Danai Gurira em The Walking Dead

Créditos da imagem: The Walking Dead/AMC/Divulgação

Séries e TV

Artigo

The Walking Dead | 10ª temporada começa sem o fôlego da antecessora

Mesmo cheio de promessas, novo ano abre sem mostrar nada de valor narrativo

Arthur Eloi
07.10.2019
14h29

Acompanhar The Walking Dead é uma montanha-russa de ocasionais picos emocionantes e frequentes quedas bruscas. Pelos últimos anos, a série se firmou confortavelmente em um ponto baixo, com tramas tediosas e pouco inventivas. Felizmente a nona temporada mudou um pouco as coisas, introduzindo uma vilã forte em Alpha (Samantha Morton), desenvolvendo bem seus personagens após a saída de Rick (Andrew Lincoln) e também tomando decisões corajosas. Pela primeira vez em muito tempo a série levantou a bola para sua continuação, mas o começo da 10ª temporada corta essa animação sem dó.

[Cuidado! Spoilers do primeiro episódio da 10ª temporada de The Walking Dead abaixo]

Lines We Cross” mostra os sobreviventes lidando com as imposições territoriais colocadas pelos Sussurradores. Unidos eles tentam aproveitar o melhor que cada comunidade pode oferecer, ao mesmo tempo que treinam para um futuro embate. O cotidiano deles então é interrompido após a inusitada queda de um satélite. Tirando esse momento (que não é lá muito explorado nesse primeiro episódio), o capítulo é estático, dando mais foco ao estado emocional do elenco do que criando oportunidades para a trama continuar.

A produção compensa a ausência de desenvolvimentos com uma abordagem não-linear, dividindo tudo em blocos. Um acompanha Daryl (Norman Reedus) e Carol (Melissa McBride) discutindo a possibilidade de uma fuga, enquanto outro brinca com Eugene (Josh McDermitt) ajudando Rosita (Christian Serratos) a cuidar de seu bebê. Nenhum é particularmente satisfatório ou traz algo que já não foi estabelecido anteriormente. Há sim certo valor em interações do tipo, já que o público acompanha esses personagens há tempos, mas abrir um novo ano com algo pouco impactante é uma decisão questionável. The Walking Dead normalmente acerta em seus inícios e fins, mas esse não é o caso aqui, com um episódio que mais soa como enrolação do que qualquer tipo de construção narrativa.

A temporada promete coisas melhores pela frente, como uma guerra contra os Sussurradores, o retorno de Maggie (Lauren Cohan), a saída de Michonne (Danai Gurira), talvez alguma indicação da nova série derivada ou da trilogia de filmes focada em Rick, além do retorno de Alpha. Com tantas novidades assim, é ainda mais estranho a ideia de começar não mostrando nada.

The Walking Dead é transmitida aos domingos, às 22h, pelo canal pago Fox e também no streaming Fox App.