Cena de Ursinho Pooh: Sangue e Mel (Reprodução)

Créditos da imagem: Cena de Ursinho Pooh: Sangue e Mel (Reprodução)

Filmes

Entrevista

Diretor de Ursinho Pooh imagina versões slasher de Emília, Louro José e mais

Menino Maluquinho e Cuca também entraram na mira de Rhys Frake-Waterfield

Omelete
2 min de leitura
13.08.2023, às 06H00

Se o urso mais fofinho do Bosque dos 100 Acres pode virar um assassino sanguinário em Ursinho Pooh: Sangue e Mel, o que impede o diretor e roteirista Rhys Frake-Waterfield de adaptar alguns personagens infantis brasileiros para o seu universo compartilhado de terror? O Omelete apresentou algumas opções ao cineasta, e o resultado foi… curioso, para dizer o mínimo.

O Menino Maluquinho (Reprodução)
O Menino Maluquinho (Reprodução)

Encarando uma imagem do Menino Maluquinho, de Ziraldo, o britânico o compara com um “flasher” - apelido dado aos criminosos que saem pela rua expondo sua nudez a desconhecidos.

Olhe para o casaco gigantesco dele! Eu consigo imaginar ele assustando as pessoas na rua abrindo esse casaco e estando nu por baixo. Mas talvez ele deva ser um pouco mais velho para fazer isso, brinca o diretor.

Emilia e Cuca, de Sítio do Picapau Amarelo (Reprodução)
Emilia e Cuca, de Sítio do Picapau Amarelo (Reprodução)

Os alvos seguintes são duas personagens de O Sítio do Picapau Amarelo: a boneca de pano Emília e a “crocodila” mais temida do folclore nacional, a Cuca.

Com Emília, eu imagino fazer algo na vibe do Chucky... Mas talvez a boneca tenha sido de uma menina que morreu. Os pais dela ficaram devastados e, na loucura do luto, colocaram o corpo da filha dentro da boneca, o que por sua vez fez a boneca ganhar vida”, dispara Frake-Waterfield.

A Cuca é legal, gostei do visual dela! Ela se encaixa na categoria das criaturas meio humanas, meio animais”, diz ainda, fazendo um paralelo com o seu Pooh. “Sem contar que a história poderia se passar no esgoto, o que eu acho que é um cenário incrível para qualquer filme de terror. Talvez ela possa atacar as pessoas através das privadas e dos ralos de suas casas.

Ana Maria Braga e Louro José (Reprodução)
Ana Maria Braga e Louro José (Reprodução)

O desafio final é encontrar um pano de fundo sinistro para a dupla mais emblemática das manhãs brasileiras: Ana Maria Braga e seu Louro José. Primeiro, o cineasta pergunta se a apresentadora é uma espécie de ventríloqua, e parece decepcionado em saber que não é ela quem controla o fantoche do papagaio.

Poxa, eu amo histórias de ventríloquos nos filmes de terror”, lamenta ele. “Mas, de qualquer forma, poderíamos imaginar um cenário assustador em que na verdade é o boneco que está controlando ela, e não o contrário.

Ursinho Pooh: Sangue e Mel já está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.