Carrie Fisher e Daisy Ridley em Star Wars: A Ascensão Skywalker

Créditos da imagem: Star Wars: A Ascensão Skywalker/Lucasfilm/Reprodução

Filmes

Notícia

Star Wars: A Ascensão Skywalker | Entenda como Carrie Fisher aparece no filme

Atriz faleceu em dezembro de 2016, antes do início da produção do capítulo final da Saga Skywalker

Mariana Canhisares
19.12.2019
16h10
Atualizada em
19.12.2019
16h10
Atualizada em 19.12.2019 às 16h10

Depois de dedicar O Despertar da Força a Han Solo e Os Últimos Jedi a Luke Skywalker, era apenas lógico que Star Wars: A Ascensão Skywalker fosse focado em Leia. Mas a repentina morte de Carrie Fisher em dezembro de 2016 se mostrou um empecilho para concretizar esse plano. Assim, além do claro desafio de colocar um ponto final na saga espacial iniciada nos anos 1970, o diretor e roteirista J.J. Abrams precisou contornar uma perda muito grande para dar prosseguimento à história de Rey, Finn e Poe Dameron.

“Não poderíamos escalar outra atriz, nem usar uma Leia feita em computação gráfica. Teria sido um desastre”, afirmou Abrams ao Omelete. A possibilidade de dizer que a General Organa estava fora enquanto o trio de protagonistas lidava com o retorno de Palpatine ou, então, que ela morreu entre filmes também não o agradava. Assim, ele e o também roteirista Chris Terrio encontraram uma solução inusitada: usar cenas filmadas para o Episódio VII, mas que não foram para a edição final. "Tínhamos todo aquele material e percebemos que, se escrevêssemos cenas ao redor dele, ela poderia interagir com os personagens. Ela poderia realmente estar no filme de um modo significativo".

O plano, apesar de lógico, parece à princípio tecnicamente complicado de ser executado. Mas, segundo o cineasta, apenas parece. "Quando você faz refilmagens, muitas vezes os atores não estão disponíveis. Então, estranhamente, não foi como se essas fossem técnicas inéditas. Algumas delas foram bem low tech".

Para garantir que as cenas se integrassem perfeitamente com o restante da produção, um dos recursos usados por Abrams e sua equipe foi repetir os ângulos, as lentes e a iluminação usados em O Despertar da Força. Os atores, por sua vez, viam as cenas em que contracenariam com Fisher antes das gravações. "Daisy [Ridley] realmente fez cenas com ela. Sabe, é realmente impressionante de ver", contou, animado, o diretor.

É evidente que o plano inicial da Lucasfilm não pode ser concretizado por inteiro, mas dá gosto de ver a General Leia novamente nas telas. “As pessoas morrem na vida real. Nos filmes, eles nunca morrem se você assim escolher", disse o ator Anthony Daniels, outra lenda da franquia, sobre a presença de Fisher no filme. Sem dúvida, o legado de Leia e da atriz são provas disso.

Star Wars: A Ascensão Skywalker está em cartaz nos cinemas.