O Livro de Boba Fett

Créditos da imagem: Lucasfilm/Divulgação

Séries e TV

Artigo

O Livro de Boba Fett escancara influência de Duna em seu segundo episódio

Livro de Frank Herbert está entre as principais inspirações de George Lucas para criar Star Wars

Nico Garófalo
05.01.2022, às 15H52

Quando criou Star Wars, George Lucas misturou uma série de influências literárias e cinematográficas, que vão desde os filmes de samurai de Akira Kurosawa - destaque para A Fortaleza Escondida - aos Novos Deuses de Jack Kirby. Dentro desse panelão de referências, uma das mais presentes é Duna, livro que mudou a ficção científica e que inegavelmente serviu como base para o primeiro ato de Star Wars: Uma Nova Esperança. Expansão da franquia na TV, O Livro de Boba Fett chega ao seu segundo episódio explicitando mais do que nunca a inspiração no clássico de Frank Herbert.

No segundo capítulo da série, Boba (Temuera Morrison) recria alguns passos da jornada de Paul Atreides, incluindo uma caminhada pelo deserto sob a influência de psicotrópicos, um confronto com traficantes de especiaria e, é claro, sua relação com o povo nativo, por quem ele luta contra invasores portando uma tecnologia mais avançada. Assim como o livro de Herbert, o episódio traz um ritmo moderado, muito mais focado nos desdobramentos políticos da escolha do agora ex-caçador de recompensas de assumir o trono do submundo criminoso de Tatooine do que na ação ágil que os fãs de Star Wars se acostumaram a ver.

Embora não tenha o mesmo ritmo acelerado observado no restante da franquia, o episódio comandado por Steph Green (Watchmen) ajuda a entender a vontade de Boba de comandar seu território com base no respeito e não no medo. É nesse capítulo que Boba Fett começa a dissecar a influência que viver entre os tusken tem no clone mandaloriano, que se aproxima da figura mais solícita retratada no segundo ano de The Mandalorian.

Acolhido pelos nativos - que até agora eram mostrados apenas como trogloditas selvagens na franquia -, Fett aprende a ter mais empatia com os tusken, tratados com violência em seu próprio território por estrangeiros com interesse econômico no planeta-deserto. Continuando seu desenvolvimento apresentado na série original, o personagem mostra uma faceta protetora e compreensiva, mas sem perder o ar intimidador e impiedoso que conquistou os fãs em Star Wars: O Império Contra-Ataca.

Mais comedida, a trama do “presente” de Boba Fett é a que melhor retrata o lado ambicioso de seu personagem titular. Sempre ao lado de Fennec - que já seria intimidadora por si só graças a atuação de Ming-Na Wen -, Fett peita políticos, donos de negócios duvidosos, assassinos e outros gângsters que querem roubar seu recém-adquirido trono. Embora não entregue qual o grande plano que o clone tem para Tatooine, o segundo episódio da série deixa claro que ele precisará contar muito mais com sua inteligência do que com suas habilidades de luta se quiser manter o controle da região - e sua própria vida.

Seguindo a linha apresentada no capítulo de estreia, o segundo episódio de Boba Fett reforça a diferença de visões de Boba e Fennec, que, embora ainda não tenham tido nenhuma discussão mais acalorada, já dão indícios de um possível conflito causado por seus métodos opostos. Mesmo que feito sem estardalhaço, o desenvolvimento dos personagens já é perceptível ao final do segundo episódio, assim como o caminho que eles devem percorrer nos próximos capítulos.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.