Foto de Euphoria

Créditos da imagem: Euphoria/HBO/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Por que Euphoria está chocando as pessoas pelos motivos errados

Série da HBO conta com cenas de nudez e uso de drogas

Camila Sousa
19.06.2019
21h16

Desde o último domingo (16), um grande burburinho tomou conta da internet com a estreia de Euphoria, nova série da HBO estrelada por Zendaya. O motivo disso foram as cenas de nudez, sexo e uso de drogas protagonizadas por personagens adolescentes. Nos Estados Unidos, uma associação de pais pediu que o canal parasse de exibir a atração, afirmando que o público-alvo eram os jovens - saiba mais. Porém, os pontos que mais causaram polêmicas são os menos importantes da atração.

O primeiro indício disso é que os temas tratados no seriado não são nada inéditos. É comum ter séries adolescentes que contam histórias consideradas “pesadas”, como a própria Skins, exibida entre 2007 e 2013, que revelou nomes como Kaya Scodelario, Nicholas Hoult, Joe Dempsie, entre outros. O segundo ponto é que muitos espectadores ficaram chocados com uma cena de nudez frontal masculina. Porém, o trecho em questão é rápido, foi feito com uma prótese e está desfocado, mostrando que o foco ali é muito mais na jovem assustada ao fundo, do que na nudez em si.

O que realmente chama a atenção em Euphoria e deveria ser o foco das discussões é o sentimento que a protagonista Rue Bennett descreve quando usa drogas. A série acerta ao fazer vários flashbacks e mostrar como a jovem sempre teve uma relação com medicamentos, algo que pode não ser o fator principal, mas com certeza contribuiu com seus vícios atuais. Ao falar sobre suas experiências, Rue cita uma crise de pânico e fala como, por alguns segundos, sentiu o mundo parando ao seu redor. Essa sensação de completo torpor, trazida em um primeiro momento sem querer, é buscada pela personagem a todo o momento.

Tal descrição do sentimento ao usar drogas é muito parecido com o relato do personagem Nic (Timothée Chalamet) no filme Querido Menino (2018). No fim das contas, o que mais assusta em Euphoria é este retrato de uma geração que quer escapar dos sentimentos e vê nas drogas (e muitas vezes, no sexo) uma forma de conseguir isso. Zendaya vai muito bem ao mostrar que sua personagem se sente perdida na vida e sem perspectivas para o futuro. Tudo o que Rue quer é se divertir e encontrar esses dois segundos em que mais nada importa. Por isso chega quase a ser cômico que os pais de adolescentes fiquem mais chocados com uma nudez frontal masculina, do que com questões como: o que leva jovens a quererem fugir da realidade dessa forma tão extrema, arriscando a saúde e a própria vida?

Euphoria tem um bom texto, uma bela fotografia e Zendaya, até agora, está em um de seus melhores papéis. Com tudo isso, a série começa promissora e tem tudo para continuar “incomodando” e entregando temas que serão discutidos durante toda a semana. A atração é transmitida aos domingos, às 23h, na HBO.