As Meninas Superpoderosas | Presidente da CW diz que piloto ficou brega

Séries e TV

Notícia

As Meninas Superpoderosas | Presidente da CW diz que piloto ficou brega

Mark Pedowitz diz acreditar no projeto que, atualmente, está em reformulação

Flávio Pinto
25.05.2021
16h32

O segredo por trás do engavetamento do piloto de Powerpuff, live-action de As Meninas Super Poderosas para a rede CW, foi finalmente revelado. Segundo Mark Pedowitz, presidente da emissora, piloto estava “brega” demais. [Via TV Line]

Mais precisamente, Pedowitz utilizou o termo “campy” para descrever o resultado. A gíria em inglês é comumente associada a interpretações, atitudes ou até mesmo objetos que podem ser descritos como brega, cafona, afetado, entre outros. 

“[o tom do piloto] Achei um pouco 'campy' demais. Não parecia estar tão ’real’ como deveria”, ele contou. Vale lembrar que a trama original de Meninas Superpoderosas gira em torno de três garotinhas com superpoderes que tentam combater as forças do mal em uma cidade, e cujo principal inimigo é uma versão afeminada do diabo, com orelhas pontudas, garras e um boá de plumas rosa.

Recentemente, a série teve imagens de bastidores reveladas, mostrando Florzinha (Chloe Bennet), Lindinha (Dove Cameron) e Docinho (Yana Perrault) em ação.

Powerpuff vinha causando bastante burburinho e curiosidade desde que fora anunciado que a vencedora do Oscar de melhor roteiro original, por Juno, Diablo Cody, seria responsável por roteirizar a atração, além de produzi-la. 

Apostando em narrativas subversivas com um toque de cultura pop, os principais trabalhos de Cody, além de Juno, são o cult Garota Infernal e a série United States of Tara, sobre uma dona de casa que sofre de perturbação de identidade dissociativa. 

“Acreditamos no elenco completamente, acreditamos em Diablo Cody e Heather [Regnier], os escritores, e acreditamos no [produtor executivo] Greg Berlanti e Warner [Bros.] Studios. Neste caso, o piloto simplesmente não funcionou. Mas, como vemos elementos suficientes lá, tentaremos novamente. Não queríamos seguir com o que tínhamos em mãos. ”, finalizou o presidente da rede CW. 

Conforme anunciado anteriormente, o piloto ainda terá a chance de passar por uma reformulação, diferente de outros títulos que simplesmente somem do mapa após um anúncio de engavetamento. Especialmente porque nos últimos anos, a CW dispensou uma série de títulos promissores — ou pelo menos "curiosos" — como um spin-off de Jane the Virgin, e Cheerleader Death Squad, descrito na época como uma mistura de Atração Mortal (o clássico cult estrelado por Winona Ryder sobre uma patricinha que mata suas colegas de classe) e Alias - Codinome Perigo (série estrelada por Jennifer Garner sobre uma espiã internacional).

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.