Disney oferece R$ 50 milhões à Starz para poder usar marca Star+

Créditos da imagem: Reprodução

Séries e TV

Notícia

Disney oferece R$ 50 milhões à Starz para poder usar marca Star+

Liminar impediu estúdio de usar o nome para seu novo serviço de streaming

Caio Coletti
04.08.2021
11h11
Atualizada em
04.08.2021
11h30
Atualizada em 04.08.2021 às 11h30

Disney tentou resolver a sua disputa com a Starz pela marca Star+ pagando uma indenização de R$ 50 milhões à concorrente. Em documentos oficiais do processo, no entanto, o desembargador Jorge Tosta indeferiu a oferta da Disney até que o caso passe por julgamento.

Isso significa que, caso a Disney vença o processo, poderá pagar o valor oferecido à Starz "para assegurar possíveis danos à agravada", na linguagem do documento. Caso a Disney perca a disputa, a oferta provavelmente será anulada.

Uma nova audiência do caso está marcada para o dia 24 de agosto, enquanto a Disney pretende lançar o seu streaming Star+ no dia 31 caso consiga a vitória judicial. No último dia 26 de julho, uma liminar determinou que o estúdio estava proibido de usar a marca, que já foi registrada anteriormente pela Starz.

Entenda como tudo começou

Em sua expansão no streaming, a Disney resolveu lançar uma segunda plataforma — que abarca conteúdos que não se encaixam no Disney+ — sob a marca Star, subsidiária indiana da companhia com forte presença no mercado. Como parte do processo de fortalecimento da marca, todos os antigos canais Fox no Brasil tiveram seus nomes trocados para Star no início deste ano.

O problema só bateu na casa do Mickey Mouse meses mais tarde, quando o grupo Starz Entertainment entrou com uma ação na justiça para impedir o uso dos nomes por parte da Walt Disney Company. Ainda no final de junho, a Justiça do Estado de São Paulo decidiu a favor da Disney, permitindo que o nome voltasse a ser utilizado legalmente no país. No mês seguinte, uma liminar decidiu o contrário, a favor da Starz.

O streaming Star+ anunciou recentemente 66 novas produções originais criadas na América Latina. Além disso, ele trará filmes e séries que, apesar de fazerem agora parte do acervo do estúdio, não foram incluídos no catálogo do Disney+ (veja a lista completa das produções). A nova plataforma também investirá em transmissões ao vivo de eventos esportivos, como a CONMEBOL Libertadores, Premier League, LaLiga, NHL, MLB, além de jogos de rúgbi, tênis, golfe, ciclismo, boxe e MMA, entre outros esportes.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.