Sex Education Terceira Temporada - Otis e Maeve

Créditos da imagem: Divulgação/Netflix

Séries e TV

Crítica

Sex Education volta ainda melhor e mostra os perigos da desinformação

Terceira temporada da série da Netflix traz ainda mais elementos do mundo real enquanto aprofunda seus personagens

Beatriz Amendola
17.09.2021
00h01

Desde seu início, Sex Education e sua criadora, Laurie Nunn, deixaram bem claro a importância de se naturalizar as conversas sobre sexo e relacionamentos - e o fizeram de forma sensível, como poucas séries de TV conseguem. Na terceira temporada, isso é levado mais além: enquanto segue se aprofundando em seus (ótimos) personagens, a série faz uma crítica direta à desinformação e ao moralismo que impedem o acesso de adolescentes (e outras tantas pessoas) a dados importantes sobre sua saúde e sua qualidade de vida. E sim, a série continua ótima -- até melhor, na verdade. 

Após os eventos da temporada anterior, o colégio de Moordale ganhou na mídia o apelido sensacionalista de “escola do sexo”. Para tentar recuperar a reputação da instituição, chega uma nova diretora, Hope (Jemima Kirke, de Girls), que por trás da juventude e do ar descolado esconde uma postura implacável que vai tornando a experiência dos alunos cada vez mais rígida e tenta, aos poucos, apagar suas individualidades.

A série usa a trama, sabiamente, para questionar os perigos da desinformação que vem de supostas autoridades - no caso, a instituição da escola. Se no 2º ano o surto de clamídia foi amplificado pela falta de informações de qualidade, agora o problema é justamente o fato de informações falsas serem propagadas em um lugar que deveria ser seguro e confiável. Nunn e seus roteiristas trabalham bem o assunto, aproveitando para criticar também o moralismo e a hipocrisia de quem insiste em se escandalizar com a ideia de que - pasme! - adolescentes também fazem sexo e têm personalidades próprias. É um toque do mundo de fora de Moordale High (e fora das telas) que só engrandece a produção e reforça sua relevância.

Em paralelo, Sex Education continua seu trabalho brilhante em desenvolver seus personagens, e é uma delícia acompanhá-los à medida que eles amadurecem e passam a lidar com assuntos cada vez mais complexos. Otis (Asa Butterfield) e Maeve (Emma Mackey), ainda estremecidos, começam a se ajustar em seus respectivos caminhos; Jean (Gillian Anderson), visivelmente grávida, precisa lidar com uma nova configuração familiar; e Eric (Ncuti Gatwa) e Adam (Connor Swindells), embora assumidos, enfrentam novas questões em seu relacionamento e suas vidas.

Repetindo a estrutura mais fragmentada da segunda temporada, os novos episódios dão espaço para os personagens se desenvolverem individualmente, o que permite boas surpresas, como o aprofundamento em Ruby (Mimi Keene), que até então era só uma das “meninas malvadas” da escola, ou a jornada do Sr. Groff (Alistair Petrie) em busca da felicidade. Também é um ponto positivo a chegada de Cal (Dua Saleh), uma pessoa não binária que mexe com Jackson (Kedar Williams-Stirling) e levanta novas discussões com naturalidade e leveza.

Mas mesmo em seus momentos mais leves, a série deixa claro que as decisões e conversas entre seus personagens estão cada vez mais complexas e cheias de nuances. Sex Education não tem mocinhos nem vilões, e ao assistir aos dois pontos de vista de cada discussão, é quase impossível ao menos não compreender cada um dos lados, no que é um dos grandes acertos da temporada.

Faz falta uma sequência catártica de união como a cena do ônibus no segundo ano, mas a série compensa com momentos genuínos de amizade e cumplicidade entre grupos menores de amigos, familiares e pares românticos. Assim como seus personagens, Sex Education continua a amadurecer -- e acompanhar essa jornada é sempre um prazer.

Veja abaixo o trailer da nova temporada:

Sex Education
Em andamento (2019- )
Sex Education
Em andamento (2019- )

Criado por: Laurie Nunn

Duração: 2 temporadas

Nota do Crítico
Excelente!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.