Séries e TV

Notícia

Batwoman | Ruby Rose deleta Twitter após receber comentários tóxicos

Mensagens criticam a escalação da atriz por viver uma personagem lésbica na TV

Arthur Eloi
12.08.2018
11h37

Alguns dias após ter sido anunciada como a Batwoman da vindoura série de TV da CW, a atriz Ruby Rose agora deletou sua conta no Twitter e removeu os comentários das fotos no Instagram. 

Batwoman nas HQs da DC; Ruby Rose em Orange is the New Black, da Netflix
DC/Reprodução;Orange is the New Black/Netflix/Divulgação

O motivo, assim como no caso de Kelly Marie Tran (Rose de Star Wars: Os Últimos Jedi) e Anna Diop (Estelar de Novos Titãs), foi uma avalanche de comentários tóxicos, dessa vez questionando sua sexualidade: como a personagem é lésbica nos quadrinhos, algumas pessoas passaram a exigir que uma atriz homossexual assumisse o papel - sem saber que Rose é abertamente.

Pouco antes de deletar o Twitter a atriz publicou uma mensagem [via Heroic Hollywood]: "De onde surgiu isso de 'Ruby não é lésbica então não pode interpretar a Batwoman'? Provavelmente a coisa mais engraçada que já li - eu me assumi aos 12 anos de idade, sendo que nos últimos 5 anos tive de lidar com críticas de 'ser gay até demais'. Como vocês viram a casaca assim? Eu não mudei", criticou a atriz.

Seja como for, ela continua escalada para viver a personagem - e até foi elogiada por Greg Rucka, o cocriador da heróina nos quadrinhos: "Não que alguém tenha me perguntado, nem importa, mas eu gosto muito de Ruby Rose. A Kate dela vai honrar o trabalho dos escritores."

Rose fará sua estreia como a heroína no crossover das séries da DC na CW ainda este ano. Greg Berlanti está novamente em um projeto com o canal para criar uma série solo focada na personagem. Caroline Dries (The Vampire Diaries) está escrevendo o roteiro e atuando como produtora-executiva da série. Sarah Schechter e Geoff Johns também serão produtores executivos.

De acordo com a sinopse oficial de Batwoman, a série "gira em torno de Kate Kane, que, movida com sua paixão por justiça social e talento para falar o que pensa, vai às ruas de Gotham disfarçada de Batwoman, uma lutadora de rua lésbica e altamente preparada para parar o crime da cidade. Mas em uma cidade desesperada por um salvador, Kate precisa superar seus próprios demônios antes de abraçar o chamado para ser o símbolo de esperança de Gotham".

A heroína Batwoman foi introduzida pela primeira vez nos quadrinhos em 1956, em Detective Comics, como Kathy Kane. A personagem foi reinventada para os Novos 52 da DC como Kate Kane, uma mulher lésbica e judia que protege Gotham.