Artista brasileiro João Ruas revela bastidores da criação de HQ fictícia da série Utopia

Créditos da imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

San Diego Comic-Con 2020

Artigo

Utopia | Artista brasileiro revela bastidores da criação de HQ fictícia da série

Elogiado pela criadora Gillian Flynn, João Ruas está envolvido no projeto desde 2015

Gabriel Avila
24.07.2020
16h15
Atualizada em
31.07.2020
14h54
Atualizada em 31.07.2020 às 14h54

Antes mesmo de estrear, a série Utopia já atingiu o impressionante feito de trazer HQs para as tela de forma inovadora em pleno 2020. Fonte para inúmeras adaptações de sucesso, os quadrinhos se mostraram uma semente valiosa para o fértil terreno do cinema e da TV. Para evitar cair na mesmice, a saída para a nova produção do Amazon Prime Video foi contar uma história que gira em torno de uma HQ que não existe no mundo real. Porém, para que a revista estivesse presente no universo da série, foi preciso o trabalho do artista brasileiro João Ruas.

Inspirada em uma série britânica de mesmo nome, a nova produção original do Amazon Prime Video acompanha um grupo de fãs de quadrinhos que descobre uma conspiração que liga Utopia, revista que dá nome à produção, com uma epidemia viral que ameaça extinguir a raça humana. Durante o painel da série na San Diego Comic-Con, a criadora Gillian Flynn (Garota Exemplar) revelou que a escolha de Ruas foi um dos primeiros passos da produção. “Eu admiro seu trabalho nas graphic novels há muito tempo, então sempre pensei ‘quem é esse cara?’. Começamos a fazer há alguns anos e desde o começo… Antes do elenco e de qualquer outra coisa, tínhamos que saber quem a faria. Queria que a HQ fosse aberta e vista, para entender por que essas pessoas ficaram envolvidas com isso", relembra a escritora.

Ao Omelete, João Ruas explicou que seu primeiro contato com a escritora aconteceu em 2012 através da Vertigo, para quem estava trabalhando na série Fábulas. “Ela tinha um projeto de uma graphic novel e a editora sugeriu meu nome para a arte”. Ainda que a colaboração entre eles nunca tenha saído, Flynn voltou a entrar em contato com ele nos estágios iniciais de Utopia. “Em 2015 fui convidado pela Gillian para participar da adaptação de Utopia pela HBO com direção do David Fincher, mas a série foi cancelada na pré-produção. Ela levou o projeto para a Amazon em 2019”.

Durante o painel na SDCC, Gillian Flynn relembrou como se deu a colaboração com o artista na construção da HQ. “Enviamos para ele como cada quadro deveria se parecer, e recebíamos de volta muito rápido. Foi divertido, porque estava tentando colocar alguns truques e easter eggs que voltariam depois”. João Ruas relembra que essa rapidez foi um dos grandes desafios de seu processo, já que “tudo foi criado num espaço de setenta dias, desde os primeiros esboços até as páginas finalizadas, usando em sua maioria técnicas tradicionais como aquarela e colagem”. Para entregar o trabalho a tempo, o quadrinista contou com ajuda extra. “Foi extremamente desafiante, tanto é que tive que recorrer à ajuda de quatro outros artistas: Diogo Blanco, Gregorio Marangoni, Pietro Antognioni e Renan Santos.

Todo o suor e empenho do quadrinista e seus parceiros parece ter não apenas atingido as expectativas de sua criadora, como também do elenco. Para a atriz Jessica Rothe (A Morte te dá Parabéns), ter o quadrinho em mãos foi importante para entrar na pele da nerd Samantha. “Não é apenas deslumbrante, mas também muito informativo. Como uma personagem em busca de pistas, foi muito divertido ter a coisa de verdade ali”, revelou. “Foi incrível ter essas artes em mãos, porque as pistas estão incrivelmente colocadas nessas artes lindas e acho que as pessoas vão se divertir ao assistir pela segunda, terceira ou quarta vez, porque você vai pescando coisas diferentes”.

Utopia e a ponte entre ficção e realidade

Um ponto curioso para Utopia, é como sua trama conversa diretamente com o que o planeta Terra atravessa em 2020. No mundo da série, a humanidade está ameaçada por uma pandemia viral, o que infelizmente lembra diretamente a disseminação do novo Coronavírus nos últimos meses. Para João Ruas, mesmo que o projeto tenha começado em 2015, a coincidência dos fatos deixou a equipe um pouco assustada, especialmente porque o roteiro toca em outro grande problema da sociedade atual. “O roteiro tem um foco principal em conspirações e isso talvez seja ainda mais problemático já que estamos em uma era de realidade suspensa devido à desinformação (agravada pela pandemia e por algumas lideranças) e muitos acreditam em qualquer coisa, literalmente”,

Indo além de qualquer coincidência, para Ruas, Utopia e todas as formas de arte cumprem papel importante nesse momento de pandemia. “Utilizando um terrível clichê, a arte sempre foi um ‘alento da alma’, e isso se provou importante nesse momento conturbado. Ainda que para a absoluta maioria (e eu me incluo nessa parcela), a concorrência implacável e ininterrupta das novas tecnologias e das poluídas redes sociais talvez tenha cancelado qualquer momento de reflexão”.

Ainda sem data definida, Utopia chegará ao catálogo do Amazon Prime Video entre setembro e dezembro deste ano.

A San Diego Comic-Con @Home acontece entre os dias 22 e 26 de julho, com painéis e anúncios disponibilizados para o público pela internet.