Campanha busca garantir renda mínima para artistas durante pandemia

Créditos da imagem: Lila Cruz/Instagram/Reprodução

HQ/Livros

Notícia

Campanha busca garantir renda mínima para artistas durante pandemia

Lila Cruz criou perfil Artistas em Quarentena em site de financiamento coletivo para ajudar profissionais independentes da área a se manter em meio ao isolamento do coronavírus

Nicolaos Garófalo
23.03.2020
23h35
Atualizada em
24.03.2020
09h53
Atualizada em 24.03.2020 às 09h53

Lila Cruz, conhecida por seu perfil colorlilas no Instagram, criou uma campanha financiamento coletivo para garantir que artistas independentes tenham acesso a uma renda mínima durante a pandemia do COVID-19, o coronavírus. Com objetivo inicial de R$ 2 mil, a iniciativa Artistas em Quarentena recebe doações de R$ 5, R$ 10 e R$ 20, com recompensas de atualizações da campanha, papéis de parede para o celular e figurinhas para serem usadas no WhatsApp.

Confira a postagem de Lila Cruz abaixo:

De acordo com o perfil oficial no site da campanha, a iniciativa pode durar até junho, dependendo da evolução do cenário da doença no país. Cruz também deixa claro no site do Artistas em Quarentena que não ficará com nenhuma parte do dinheiro arrecadado, que será dividido igualmente entre artistas selecionados de acordo com dois critérios: “pessoas que vivem de ilustração e quadrinhos e tem a renda principal composta a partir das vendas nos eventos”; e “quem mora sozinho ou divide com outras pessoas na mesma situação também têm prioridade”.

Com o crescente número de adiamentos e cancelamentos de diferentes eventos por causa do coronavírus, diversos quadrinistas brasileiros se reuniram para criar a CoronaConBR, plataforma que disponibiliza gratuitamente cerca de 100 HQs nacionais. Reunindo autores e artistas iniciantes e experientes, a iniciativa está disponível por tempo limitado.

Efeito Coronavírus na cultura pop

O COVID-19 é uma nova mutação da família coronavírus que está se espalhando em ritmo alarmante desde dezembro de 2019. A China foi o primeiro país vítima da epidemia, com infecções e mortes confirmadas em todas as suas províncias. Desde então, a presença do vírus foi confirmada em quatro continentes - incluindo a América do Sul, com casos no Brasil, Argentina e Chile.

Filmes como Pedro Coelho 2 e 007 - Sem Tempo Para Morrer tiveram suas estreias adiadas por causa da pandemia. Entre 13 e 15 de março, os Estados Unidos registraram sua pior arrecadação em 20 anos nas bilheterias.