Filmes

Artigo

O legado de Kobe Bryant em Dear Basketball, curta que rendeu o Oscar ao jogador

Ex-jogador morreu aos 41 anos após acidente de helicóptero na California

Nicolaos Garófalo
27.01.2020
15h00

Morto no último domingo (26) em um acidente de helicópteroKobe Bryant teve seu nome eternizado não só no basquete, esporte pelo qual foi bicampeão olímpico, mas também no mundo do entretenimento. Amigo de inúmeros artistas, o ex-atleta entrou também para a história do cinema em 2018, quando ganhou o Oscar pelo Melhor Curta-Metragem de Animação.

Jogador profissional de basquete desde os 18 anos de idade, Bryant passou seus 20 anos de carreira vestindo a camisa do Los Angeles Lakers. Durante esse período, o Mamba, como viria a ser chamado por torcedores, conquistou cinco títulos na NBA, principal liga do basquete americano. Foi selecionado 18 vezes para a equipe da temporada e votado o “jogador mais valioso”, ou MVP, uma vez, em 2008.

Com uma média de 25 pontos por jogo, somando mais 33 mil na carreira, e dois ouros olímpicos, Bryant era visto como um dos possíveis sucessores de Michael Jordan como o maior jogador de basquete da história, rivalizando apenas com LeBron James, outra lenda das quadras.

Em 2015, com uma carta aberta escrita ao The Players’ Tribune, o Mamba anunciou sua aposentadoria aos 37 anos, ao final da temporada 2015-2016 da NBA. A importância de Bryant para a história do basquete foi tamanha, que o jogador foi o primeiro na história a aposentar não um, mas dois números de camisa dos Lakers: o 8 e o 24, usados em fases diferentes de sua carreira. A carta, intitulada “Dear Barketball”, ou “Querido Basquete”, serviu de base para o curta animado homônimo premiado no Oscar de 2018 – assista no topo da página.

Narrado por Bryant, Dear Baskettball fala da relação que o ídolo tinha com o esporte e como sua trajetória nas quadras o deixava feliz. Animado e dirigido por Glen Keane, animador veterano da Disney que trabalhou em obras como A Bela e A FeraTarzanA Pequena Sereia, a estética de Dear Baketball foi celebrado não só pelos traços, que capturam com extrema fidelidade os movimentos do Mamba na quadra, mas pela emoção passada ao alternar e misturar cenas de jogos do ídolo em seu auge com momentos em que um jovem Bryant treinava seus dribles usando cadeiras como oponentes. Keane ainda testaria novas técnicas de animação para retratar cada gota de suor do ídolo dos Lakers, utilizando grafites, borracha e efeitos da câmera de seu celular.

A trilha foi criada pelo inigualável John Williams, compositor de franquias como SupermanIndiana Jones e, é claro, Star Wars. Unida à narração de Bryant, a música dá o peso emocional de Dear Basketball, do momento em que um jovem Mamba usa bolas de meia para praticar cestas em suas cama ao ponto que o jogador admite não aguentar mais o esforço físico do esporte. Entre o emocionado texto de Bryant, a trilha de Williams e a animação impressionante de Keane, o curta chegou à cerimônia do Oscar 2018 como principal canditado a Melhor Curta-Metragem Animado, derrubando a sempre favorita Pixar, indicada por Lou.

Em 26 de janeiro de 2020, aos 41 anos, Bryant e sua filha de 13 anos, Gianna, morreram após a queda de um helicóptero em Calabasas, na California. No mesmo dia, o mundo do esporte e do entretenimento lamentou a perda do ídolo. A “casa” dos Lakers, o Staples Center, foi, horas mais tarde, palco do Grammy 2020, onde a cantora e apresentadora Alicia Keys começou a cerimônia homenageando o bicampeão olímpico ao lado do grupo Boyz II Men.