Leah Lewis e Alexxis Lemire em Você Nem Imagina

Créditos da imagem: Você Nem Imagina/Netflix/Reprodução

Netflix

Artigo

Por que Você Nem Imagina não deveria ganhar uma sequência

Fãs fazem apelo para que Netflix lance um novo filme, mostrando Ellie, Paul e Aster se reencontrando anos depois da escola

Mariana Canhisares
13.05.2020
16h37

[Atenção: o texto a seguir contém spoilers de Você Nem Imagina. Logo, se você ainda não assistiu, guarde esse texto para mais tarde]

Você Nem Imagina não poderia ter um encerramento mais apropriado. Depois de muitas trocas de mensagens e todo um processo de crescimento pessoal, Ellie tomou coragem e deu um beijo em Aster. Ali, em frente ao restaurante Turning Point. Quer ponto de virada mais claro para ambas as personagens? Não bastasse isso, a jovem tímida finalmente se abriu para as pessoas ao seu redor e aceitou sua amizade com Paul, incluindo os momentos de bobeira e confiança absoluta. Naqueles minutos finais, o trio recomeçou suas vidas de alguma forma, cada um à sua maneira: indo para a faculdade, assumindo os negócios da família ou simplesmente tomando as rédeas da sua própria história.

Cheio de coração e sutilezas, não é de se estranhar que o filme tenha virado o novo sucesso teen da Netflix, muito menos que o streaming tenha recebido tantos apelos para produzir uma sequência. Afinal, além de carismático, o fim do longa é a deixa perfeita para uma continuação, certo? Bem, não necessariamente.

Por mais que o final realmente dê brecha para revisitar a vida de Ellie, Paul e Aster em algum momento no futuro, seja depois de dois, dez ou 20 anos, isso não significa que a história tenha lacunas a serem preenchidas. Claro, um novo filme poderia explorar mais as relações familiares do trio, assim como abordar a importância da religião na vida de Aster, para citar alguns elementos que não tiveram tanto desenvolvimento em Você Nem Imagina. Mas, convenhamos, não é por isso que os fãs pedem uma sequência.

A verdade é que queremos - sim, eu me incluo nessa - que Ellie e Aster fiquem juntas e sejam felizes. No entanto, sem que exista uma história bem pensada que justifique o reencontro, propor que elas tenham um relacionamento ou apenas se esbarrem sem querer pode ter um resultado decepcionante. Porque, no fundo, dar uma resposta definitiva de como seria a história de amor delas pode quebrar justamente o encanto do primeiro filme, que usou o triângulo amoroso para levá-las também a uma jornada de autodescobrimento.

Continuar a história é, portanto, arriscado. Se a diretora e roteirista Alice Wu conseguir pensar em uma trama plausível e satisfatória, perfeito. Caso contrário, o melhor é realmente parar no primeiro filme. Nesse cenário, podemos nos contentar que os três sempre terão gratidão uns pelos outros pela importância deste período em suas vidas. E nós, enquanto público, sempre poderemos retornar a Você Nem Imagina para sentir aquele quentinho no coração de novo.

Aceitar o fim é difícil, independentemente do que seja. Mas, como no filme, este pode ser também um recomeço. Que o sucesso de Você Nem Imagina possa servir de exemplo para elevar a qualidade de outras produções da Netflix, além de abrir portas para novas tramas centradas em personagens que nem sempre ganham os holofotes.

Você Nem Imagina está disponível na Netflix.