Séries e TV

Notícia

O Gambito da Rainha | Netflix é processada por fala sobre enxadrista soviética

Ex-campeã georgiana Nona Gaprindashvili acusa plataforma de streaming de difamação

Eduardo Pereira
16.09.2021
15h49
Atualizada em
17.09.2021
21h03
Atualizada em 17.09.2021 às 21h03

Nona Gaprindashvili, uma das maiores enxadristas do mundo nos anos 1970, está processando a Netflix por difamação, depois de afirmar que uma fala que a referencia na série de TV da plataforma O Gambito da Rainha apresenta falsas informações em tom "sexista e de menosprezo"

Indicada a 18 prêmios nos Emmy 2021, O Gambito da Rainha adapta livro de 1983 e foca na trajetória de sucesso da fictícia enxadrista Beth Harmon (Anya Taylor-Joy), órfã que eventualmente vence os principais enxadristas russos na Moscou dos anos 1960, no auge da Guerra Fria.

No episódio final da produção, uma fala sobre Harmon, feita por um comentarista de xadrez, menciona Gaprindashvili: "A única coisa incomum sobre ela, realmente, é seu gênero. E mesmo isso não é único na Rússia. Há Nona Gaprindashvili, mas ela é a campeã mundial feminina e nunca enfrentou homens".

Segundo representantes legais de Gaprindashvili, "a alegação de que Gaprindashvili 'nunca enfrentou homens' é manifestamente falso, além de ser altamente nojento, sexista e em tom de menosprezo". Segundo a enxadrista, em 1968, quando o episódio se passa, ela já havia competido com pelo menos 59 homens enxadristas, incluindo 10 Grandes Mestres.

“A Netflix descaradamente mentiu sobre as conquistas de Gaprindashvili pelo propósito barato e cínico de 'elevar o drama' por fazer parecer que seu herói fictício conseguiu fazer o que nenhuma outra mulher, incluindo Gaprindashvili, havia feito", afirma a defesa da enxadrista. Gaprindashvili também se queixou de uma segunda questão adicional: a nacionalidade atribuída a ela, na série.

"Adicionando insulto à injúria, a Netflix ainda descreveu Gaprindashvili como russa, mesmo sabendo que ela é georgiana, e que os georgianos sufreram sob a dominação russa quando parte da União Soviética, e têm sido atacados e invadidos pela Rússia, desde então", diz a defesa da ex-campeã.

Em punição e indenização pela difamação, Gaprindashvili espera receber no mínimo US$5 milhões. A enxadrista também move uma ação para que a fala seja retirada da produão da Netflix. Em nota, a plataforma de streaming afirmou ao THR"Netflix tem o maior respeito pela senhora Gaprindashvili e sua ilustre carreira, mas acreditamos que essa queixa não tem mérito e vamos defender essa posição vigorosamente".

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.