Neon Genesis Evangelion, anime clássico

Créditos da imagem: Neon Genesis Evangelion/Reprodução

Séries e TV

Artigo

Evangelion | Por que você deveria assistir ao anime clássico na Netflix

Robôs gigantes, depressão e filosofia em um pacote completo

Oferecimento
Arthur Eloi
21.06.2019
10h26
Atualizada em
04.07.2019
17h43
Atualizada em 04.07.2019 às 17h43

Seja Cowboy Bebop ou Cavaleiros do Zodíaco, encontrar formas legais de assistir animes clássicos é um pesadelo: ainda que haja interesse do público, a aquisição dos direitos geralmente é uma bagunça, além de ser custosa e demorada. Até pouco Neon Genesis Evangelion era um desses. Mesmo tendo sido transmitido mais de uma vez no Brasil, era impossível encontrá-lo em plataformas digitais ou até em home video. Felizmente a Netflix entrou para dar uma força, e agora relançou toda a série clássica (e também suas duas continuações em filme) no seu catálogo. Mais do que nunca essa é a hora perfeita para conhecer - ou então redescobrir - a obra de Hideaki Anno.

Originalmente iniciado no Japão como mangá a partir de 1994 e, um ano depois, continuado nas telinhas, Neon Genesis Evangelion acompanha uma cidade futurista chamada Tokyo-3 que se vê novamente a beira de destruição após impiedosos ataques de criaturas monstruosas, chamadas de Anjos. Para combatê-las, a organização NERV recruta jovens pilotos que consigam se sincronizar com robôs gigantes. O protagonista Shinji Ikari é um desses recrutas mas, para efetivamente salvar o mundo, precisará lidar com seus traumas e decepções - tarefa quase impossível quando a organização em questão é comandada por seu pai, que o abandonou ainda quando criança.

Ainda que seja repleto de batalhas e robôs gigantes, é bom esclarecer que o anime não dá tanto foco para isso - e é daí que surge a decepção de muitos com a franquia ao longo dos anos. Ao invés disso, Evangelion discute a condição humana em meio ao caos e desespero, explorando o papel da angústia e sofrimento interno na tomada de decisões cruciais - e como a conexão com outras pessoas pode ajudar (ou então condenar) esse processo. Isso significa que frequentemente a série intercala episódios de destruição frenética com alguns mais silenciosos e contemplativos. Portanto é preciso medir as expectativas de acordo.

Muitas das críticas que o seriado recebe desde sua introdução e sucesso vêm do fato de que a escrita de Anno e a produção da adaptação frequentemente beiram a pretensão. Enquanto isso realmente pode ser comprovado vez ou outra, com passagens desnecessariamente introspectivas, o saldo ainda é muito positivo - especialmente em 2019, era em que a televisão é repleta de tramas sensíveis e surreais, estreladas por personagens complexos e difíceis. Nessa perspectiva moderna, Shinji Ikari é um prato cheio: é possível entender a origem do seu sofrimento e torcer por sua melhora, mas sem deixar de criticar suas decisões questionáveis. O restante do elenco, como a teimosa pilota Asuka, ou então Misato, a amigável e misteriosa diretora da NERV, também se encaixa muito bem na descrição - especialmente Gendo Ikari, pai do protagonista que ganha novas facetas a cada episódio (mesmo que muitas delas sejam desprezíveis). É uma trama riquíssima em temática, desenvolvimento de personagem e simbolismo.

Neon Genesis Evangelion envelheceu ridiculamente bem, e hoje tem potencial de encontrar um novo público ainda mais receptivo a seus questionamentos filosóficos e intrigas. Para complementar, as lutas - ainda que espaçadas - seguram a barra e entregam na ação. De quebra, o traço característico de animes noventistas, e o forte carinho pela estética, criam uma identidade retrô-futurista que só fica mais charmosa e marcante a cada dia, tendo inspirado inúmeras outras animações (e até filmes live-action) desde então.

Com dublagem repaginada e tudo, a série completa está disponível no catálogo da Netflix - mas é bom avisar: por conta de complicações financeiras e falta de orçamento do estúdio de animação, os episódios finais tomam abordagens ainda mais experimentais, o que pode resultar em uma conclusão insatisfatória. Para isso, o filme The End of Evangelion (também disponível no streaming) existe para concluir a trama e explicar melhor alguns dos acontecimentos - mas não muito. Se tem uma coisa que é preciso saber sobre Neon Genesis Evangelion é de que não se deve esperar respostas fáceis, mas sim abraçar a sua estranheza e descobrir a beleza no processo.