Mestres do Universo | Quem é Teela e por que ela é o centro de Salvando Etérnia

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Mestres do Universo | Quem é Teela e por que ela é o centro de Salvando Etérnia

Motivos para maior destaque da personagem vêm de pontas soltas da série clássica

Eduardo Pereira
21.07.2021
19h49
Atualizada em
22.07.2021
17h02
Atualizada em 22.07.2021 às 17h02

Uma deusa guerreira, imbuída com o espírito de grandes heróis e heroínas do passado. A chefe da Guarda Real do palácio de Eternos. A tutora do Príncipe Adam. A leal companheira de batalha do poderoso He-Man (e eventual interesse amoroso). Ao longo das duas temporadas de He-Man e os Mestres do Universo (1983), essas foram algumas das principais definições de Teela. Só que a série clássica de animação, produzida pela Filmation, chegou ao fim sem revelar à própria personagem o que os espectadores já sabiam havia algum tempo: sua verdadeira origem.

Apresentada como a filha adotiva de Duncan, o Mentor, Teela descobre mais sobre seu passado já no sexto dos 130 episódios que compuseram a animação. Em “Teela’s Quest”, o Oráculo do Mar de Cristal revela à guerreira que sua mãe é a Feiticeira, que a entregou ainda bebê ao seu pai adotivo depois que o vilão Aquático tentou sequestrá-la, 20 anos atrás. Herdeira da magia e, portanto, da tarefa de proteger o Castelo de Grayskull das forças malévolas da Montanha da Serpente, esse parentesco sinalizava uma mudança enorme nos rumos da história da personagem. Mas tudo foi apagado da mente dela nesse mesmo capítulo, pela própria Feiticeira.

Filmation/Reprodução

Se a verdade sobre a mãe nunca voltou à tona para a personagem na série clássica, permanecendo como um segredo compartilhado pelo público e alguns personagens de Mestres do Universo, a identidade do pai biológico de Teela sequer foi mencionada. O que sabemos até hoje é só o que diálogos de Duncan e Feiticeira revelaram ao longo das duas temporadas: ele era um poderoso guerreiro que foi morto em combate. Nem mesmo “Teela’s Triumph”, episódio no qual a personagem assumiu momentaneamente o posto de protetora de Grayskull, trouxe mais respostas.

Esse vácuo de informação em que Teela foi colocada é parte essencial do conflito que move Mestres do Universo: Salvando Etérnia, a “sequência espiritual” da série clássica desenvolvida pelo cineasta Kevin Smith para a Netflix, que estreia sua Parte 1 em 23 de julho. Nela, a deusa guerreira é empurrada em uma jornada para tentar salvar a magia da extinção, tendo de inevitavelmente encarar a própria ligação, enquanto filha da Feiticeira, com esse poder ancestral. E não é só por isso que “revelação” é a palavra de ordem em Salvando Etérnia (no original, batizada de Revelation). Nessa nova fase da saga, Teela enfim descobre a verdade sobre He-Man.

“Na série original, sempre foi falado sobre como apenas três ou quatro sabiam do segredo dele [He-Man]: a Feiticeira, o Mentor e Gorpo, além do Pacato. Mas a Teela sempre esteve ali e sempre foi deixada no escuro”, afirmou Smith durante um painel no evento Geeked Week, da Netflix. “Então, a nossa abordagem para essa história foi imaginar ‘bem, o que acontece se ela descobrir. O que acontece quando ela sabe quem He-Man realmente é”.

E é essa descoberta que impulsiona não só Teela, mas todo o universo de Salvando Etérnia, na direção de um amadurecimento que reflete sobre as consequências de manter segredos por tempo demais. Ela não só era parceira de luta de He-Man, mas era também uma protetora, confidente, treinadora e amiga para o Príncipe Adam. A relação entre os dois sempre foi parte fundamental do coração de toda a saga. Dar início a uma nova história desse universo a partir das consequências que a verdade traria para ela é uma cartada de mestre para justificar esse retorno a Etérnia.

E tem mais: a decisão de dedicar parte do protagonismo da série à personagem vai muito além da necessidade de ampliar a diversidade e aprofundar as personagens femininas de Mestres do Universo (até porque profundidade nunca foi o forte da saga, independente de gênero). Trata-se de uma escolha narrativa que ajuda diretamente o arco emocional de todos os personagens, especialmente o do próprio He-Man, a se tornar mais rico e interessante. Idealizado ao extremo, o “homem mais poderoso do universo” sempre foi perfeito, livre de grandes conflitos internos. Como ele lidará ao ver que falhou com sua grande amiga, mentindo por anos para ela? O que faz um deus, quando sangra? A série da Netflix terá de responder.

Seja para responder às questões deixadas em aberto há quase 40 anos, ou para abrir os horizontes para mais possibilidades narrativas no futuro, Mestres do Universo: Salvando Etérnia só tem a ganhar trazendo Teela para o mesmo escalão de influência e protagonismo do guerreiro bombado de cabelo chanel. A força, qualquer fã de verdade sabe, a personagem sempre teve.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.