Netflix

Notícia

Cuties | Diretora defende filme que gerou protestos contra Netflix

Plataforma foi acusada de hipersexualizar crianças

Julia Sabbaga
11.09.2020
10h19
Atualizada em
11.09.2020
14h09
Atualizada em 11.09.2020 às 14h09

O filme francês Cuties, premiado este ano em Sundance, gerou uma onda de protestos ao ser lançado na Netflix, com internautas acusando a plataforma de lançar um longa que, supostamente, hipersexualiza crianças de 11 anos. A intenção, no entanto, foi exatamente oposta, de acordo com a diretora Maïmouna Doucouré

"As pessoas que começaram esta controvérsia não viram o filme ainda", explicou a diretora à Zora, falando especificamente sobre o lançamento do cartaz da plataforma, totalmente diferente do pôster divulgado na França antes do lançamento no streaming. Confira os dois cartazes:

"A Netflix pediu desculpas ao público e para mim", continuou a Doucouré, se referindo a um pedido público de desculpas publicado pela plataforma. "Eu espero que estas pessoas possam ver o filme que agora foi lançado. Estou ansiosa para ver suas reações quando eles perceberem que estamos do mesmo lado na luta contra a hipersexualização de crianças".

Após as primeiras manifestações, a Netflix divulgou uma declaração dizendo que o cartaz "não é ok e não representa o filme premiado em Sundance". 

Já disponível na plataforma, e com o título Lindinhas em português, o longa francês acompanha a história de uma garota que, buscando se livrar do ambiente conservador de sua casa, se envolve com um grupo de dança.