Cena de Tribes of Europa

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Netflix

Crítica

Desconexo, 1º ano de Tribes of Europa confunde violência com desenvolvimento

Ação frenética não esconde problemas de roteiro e direção da série alemã

Nicolaos Garófalo
19.02.2021
16h10

Sucesso improvável da Netflix, a série alemã Dark conquistou fãs ao redor do mundo ao unir paradoxos temporais, atuações sólidas e uma história intrigante o bastante para manter os espectadores ligados à tela. As três elogiadas temporadas do programa criaram uma certa expectativa em torno de Tribes of Europa, nova série da plataforma, com fãs esperando personagens profundos e um roteiro bem desenvolvido. No entanto, o resultado foi decepcionante até para quem não esperava muito.

Situada em 2074, a produção alemã mostra um mundo pós-apocalíptico 45 anos depois de um apagão global obrigar a humanidade a se dividir em tribos, definidas por suas crenças e maneiras de interagir com essa realidade sombria. Os Origines, uma das tribos criadas, vivem tranquilos no meio da floresta, afastados do restante da sociedade e aprendendo a conviver em equilíbrio com a natureza. Em um dia comum, os irmãos Liv (Henriette Confurius), Elja (David Ali Rashed) e Kiano (Emilio Sakraya) presenciam a queda de uma nave hipertecnológica, o que dá início a uma série de violentos acontecimentos. Após sua vila ser massacrada, os três acabam se separando em três caminhos bem diferentes: Liv se junta à milicia Crimson, Kiano se torna escravo sexual de uma violenta oficial dos tenebrosos Corvos e Elja se une ao suspeito Moses (Oliver Masucci) em busca de uma misteriosa Arca.

Já no primeiro episódio, fica claro que Tribes of Europa não compreende a diferença entre suspense e superficialidade. As introduções apressadas dos protagonistas contrastam com diálogos expositivos que parecem escritos para qualquer mídia que não a televisão. A maneira como o trio principal – especialmente a apática Confurius – entrega essas falas apenas evidencia o ritmo sonolento das partes dramáticas e faz com que os 50 minutos de cada episódio pareçam intermináveis.

Percebendo que o ritmo lento não é o bastante para segurar a audiência, a produção de Tribes of Europa tenta criar cenas frenéticas de ação, mas esses momentos sanguinolentos se tornam apenas uma tentativa malsucedida de emular o choque de Game of Thrones. As sequências de violência servem apenas como desculpa para mudanças repentinas de personalidade do trio protagonista.

Ao longo dos seis episódios, Liv e Kiano têm suas visões de mundo alteradas de maneira extrema entre uma cena e outra, e o roteiro que não faz o mínimo para justificar de verdade suas ações. Dos três irmãos, apenas Elja tem um desenvolvimento compreensível, mas que fica de escanteio por causa das caras e bocas exageradas de Masucci e pela metáfora religiosa batida que cerca sua trama.

Embora a história e as atuações decepcionem, a grande tragédia de Tribes of Europa está em sua parte técnica. Mal montada, a produção é cheia de cortes bruscos e erros de continuidade impossíveis de ignorar e que distrairiam até o mais envolvido dos espectadores.

Já as cenas de ação pecam no mau uso de planos sequência. Apressadas demais, as tomadas se movem em um ritmo difícil de acompanhar e se tornam incompreensíveis por causa do vai e vem descontrolado da câmera. A direção mal planejada de Philip Koch e Florian Baxmeyer ainda impede que qualquer coreografia das batalhas seja realmente mostrada, fazendo com que as lutas se tornem pouco mais do que gritos seguidos de jorradas de sangue.

Assim como muitas outras propriedades intelectuais genéricas que prometem épicos distópicos, Tribes of Europa tropeça feio ao apostar na ingenuidade do público. Apressada em alguns momentos e irritantemente arrastada em outros, a série não justifica os episódios de quase uma hora de duração e, por consequência, o tempo investido pelo espectador, cujas seis horas poderiam ser mais bem gastas explorando melhor o catálogo do streaming em busca de um entretenimento mais recompensador.

Tribes of Europa
Em andamento (2021- )
Tribes of Europa
Em andamento (2021- )

Criado por: Philip Koch

Duração: 1 temporada

Nota do Crítico
Ruim

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.