Nicki Minaj chama fãs ao palco e conquista público com rap e funk

Música

Artigo

Nicki Minaj chama fãs ao palco e conquista público com rap e funk

Em festa do Tidal e Vivo no Credicard Hall, Minaj pareceu em casa e em show próprio

Julia Sabbaga
27.09.2018
11h46

Foi uma surpresa para os fãs quando Nicki Minaj, a garota sensação do rap atual, que acabou de lançar seu quarto álbum, Queen, anunciou o seu primeiro show no Brasil. Em uma festa fechada, apenas para convidados e alguns fãs sortudos, em São Paulo, Minaj faria a sua primeira e única apresentação no país. Isto poderia querer dizer que o show ficaria aquém das expectativas para um fã, que espera a rapper em show solo. Mas o que aconteceu no Credicard Hall na noite de ontem, 27, foi quase isso: Minaj apresentou hit atrás de hit, para um público expressivo e empolgado, que já mostrou saber as letras do recém-lançado álbum, Queen, de cor.

O palco se iluminou perto das 22h30 e revelou a decoração da nova turnê de Minaj. Unicórnios e um trono preenchiam o local enquanto, apropriadamente, as primeiras notas de “Majesty” começaram a tocar. A rainha entra no palco exatamente como o esperado: chamativa, energética e poderosa, circulada de dançarinos que complementavam sua performance. Depois da quarta faixa, “Only”, ela trocou as primeiras palavras com o Brasil: “Eu estou vendo vocês, e ai São Paulo!”. A resposta da plateia foi aos gritos que logo se organizaram em um coro que vibrava pelo seu nome. Com áudios recheados em alto volume, o público animou de verdade em “Beez in the Trap”, faixa do seu segundo álbum, Pink Friday: Roman Reloaded. A empolgação pareceu ser recíproca para a rapper, que emendou suas colaborações “Rake It Up”, do Yo Gotti, e “MotorSport”, do Migos, com toda potência.

Foi aí que Nicki começou a se sentir mais à vontade, interrompendo o som para dar o microfone a um fã da plateia e dizendo que reconheceu ele do Twitter. Conquistando de vez os corações neste momento, a rapper passou a interagir mais e sentiu a energia do público, dizendo que cantaria músicas menos rotineiras, e apresentou as colaborações com Big Sean e 6ix9ine antes de sair do palco e deixar os fãs apreensivos. Depois de uma longa ausência justificada pelo novo figurino, ela volta para “Ganja Burn” e passa parte do show sentada em seu trono.

Mas a melhor surpresa do show de Nicki veio quando ninguém mais esperava novidades. Já na parte final do show, quando ela abalou a casa com “Starships” – o momento que transformou o Credicard Hall em balada – a rapper terminou a faixa pedindo duas fãs da plateia. Foi quando “Vai Malandra” e “Bum Bum Tam Tam” tocaram, e Nicki promoveu uma batalha de twerks e rebolados no palco. Naquele momento, a trinidiana pareceu absolutamente brasileira, e em sintonia com a energia do país. O rap e o pop de Nicki fizeram total sentido com a introdução do funk, muito bem recebido e dançado pela cantora.

Depois do momento Brasil, Nicki terminou o show com hits de peso, que passaram por “Monster”, do Kanye West, “Barbie Dreams”, “Chun-Li” e terminou com “Super Bass”. Com os fãs na mão e uma apresentação memorável, Nicki fez a promessa obrigatória e, principalmente neste caso, muito justa: “Eu nunca vou esquecer vocês. Eu vou voltar, Brasil”.