Por que 2019 é o ano dos comebacks

Música

Lista

Por que 2019 é o ano dos comebacks

Volta de My Chemical Romance e Rage Against The Machine provou onda nostálgica

Julia Sabbaga
14.11.2019
17h27

Depois de My Chemical Romance e Rage Against the Machine anunciarem turnês de reunião, ficou comprovado que 2019 é um período de comebacks. Além da era óbvia de nostalgia em que nos vemos, comprovada pelo retorno de clássicos ao cinema, além de sequências, remakes e reboots, o mundo da música tem um incentivo ainda maior para viver no passado: a escalada constante no preço de ingressos de shows.

Hoje em dia, turnês musicais são quase quatro vezes mais lucrativas do que eram em 96 [via Bloomberg], com preços de ingressos em uma escalada constante ano após ano, uma curva que ultrapassa a inflação. Incentivadas pela renda decrescente de venda de músicas – prejudicada pela pirataria – bandas e produtoras de shows aumentaram o preço de ingressos, segundo a Bloomberg, após a percepção de que fãs ainda estão dispostos a pagar mais. Hoje em dia, a média de preço de um grande show nos EUA é de US$ 91.9, enquanto em 96 era em torno de US$ 25.8.

Com isso, bandas que tiveram seu auge há 10 anos (ou mais), hoje percebem um potencial lucrativo muito maior em seu retorno, ainda mais no contexto nostálgico atual. Abaixo, confira alguns dos maiores nomes que fizeram seus retornos em 2019.

Rage Against The Machine

O Rage Against the Machine tem uma história instável desde a sua formação em 1991, e sofreu seu primeiro término em 2000, com a saída do vocalista Zack de la Rocha. Eles retornaram uma vez em 2007 em uma nova fase que durou até 2011, mas foi apenas oito anos depois, agora, em 2019, que o RATM anunciou uma reunião para uma série de shows. 

O comeback foi anunciado com uma foto dos recentes protestos no Chile, relembrando o teor político das canções. da banda formada também por Tim Commerford no baixo e vocal, Tom Morello na guitarra e Brad Wilk na bateria. Por enquanto o RATM anunciou apenas 5 shows, todos nos EUA, incluindo dois no festival Coachella em abril de 2020. 

McFly

O retorno do McFly é diferente do RATM e mais focado em trabalhos em estúdio. O grupo inglês, que desbancou os Beatles como a banda mais jovem a atingir o topo das paradas com seu álbum de estreia, está longe dos palcos há apenas 3 anos, mas seu último álbum de estúdio, Above The Noise, foi lançado em 2010. 

Quebrando um silêncio de dois anos no Instagram, o McFly anunciou uma live para revelar os planos de um novo álbum, intitulado The Lost Songs. O comeback inclui uma longa turnê que, inclusive, passará por sete cidades do Brasil - confira as datas.

Sandy & Junior

Um dos grandes acontecimentos da música nacional em 2019 foi o retorno de Sandy & Junior, um dos maiores comebacks da música em muito tempo. A dupla de irmãos, que lançou doze discos durante a carreira, anunciou sua separação em 2007, e desde então trabalhou em carreiras paralelas, ela em seu trabalho solo e ele no seu duo de música eletrônica Manimal

Em 2019, no entanto, a dupla resolveu comemorar os 30 anos de sua primeira performance, que aconteceu em 1989 no programa Som Brasil em 1989 (confira aqui). A turnê Nossa História contou com muitos shows (com diversos extras, anunciados após esgotamentos das primeiras datas) em 10 cidades brasileiras. 

The Raconteurs

O The Raconteurs, banda de Jack White e membros do The Greenhornes e do Blanche, estava sem lançar nada desde 2008, quando lançou seu segundo trabalho de estúdio, Consolers of the Lonely. Apesar de poucos shows, espalhados pelos anos desde 2008 até 2011, a banda mostrava todos os sinais de interromper seus trabalhos. Até que em 2019, inesperadamente, o The Raconteurs anunciou seu retorno. 

O grupo lançou Help Us Stranger, que chegou ao topo das paradas Artist 100 e Billboard 200, e ainda anunciou turnê. O The Raconteurs passará pelo Brasil este mês no Popload Festival

Spice Girls

Apesar de ter feito alguns shows esporádicos durante os últimos anos, foi em 2019 que as Spice Girls anunciaram o seu comeback de verdade, com uma turnê com diversos shows ao redor do Reino Unido. A único porém foi que o comeback aconteceu sem Victoria Beckham. As performances foram as primeiras desde a apresentação do grupo no encerramento das Olimpíadas de Londres, em 2012. 

My Chemical Romance

My Chemical Romance explodiu a internet no Halloween de 2019, quando finalmente anunciou o seu retorno. O grupo, liderado por Gerard Way, encerrou suas atividades em 2013, três anos depois do lançamento do seu quarto álbum de estúdio, Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys.

O retorno foi anunciado inesperadamente (apesar de rumores terem sido lançados pelos Jonas Brothers) e apesar da animação dos fãs, pelo menos até agora, não inclui um álbum novo e nem passagem pelo Brasil. O comeback do My Chemical Romance envolve apenas algumas datas de shows, nos EUA, Oceania e Japão.