Elizabeth Olsen e Evan Peters em WandaVision

Créditos da imagem: WandaVision/Disney+/Reprodução

Séries e TV

Artigo

WandaVision | Com humor e revelações, episódio obriga Wanda a encarar o luto

Misterioso retorno de Pietro obriga heroína a encarar seu passado e abre brecha para jornada de Visão em busca da verdade

Mariana Canhisares
12.02.2021
13h27
Atualizada em
12.02.2021
16h01
Atualizada em 12.02.2021 às 16h01

“O caos está instalado, nem tente questionar. Ninguém será poupado [...] Sobrevivência! O jeito é aguentar”. Mais que uma divertida referência a Malcolm in the Middle, sitcom estrelada por Bryan Cranston no início dos anos 2000, a música de abertura do sexto episódio de WandaVision, “Um Halloween Assustadoramente Inédito”, é a primeira de muitas provas de que a Feiticeira Escarlate e o Visão não podem mais ignorar o que está acontecendo ao seu redor. Enquanto o retorno de Pietro obriga a heroína a encarar honestamente seus traumas do passado, o sintozóide finalmente se vê livre dos poderes da esposa para ir atrás da verdade e, junto com o espectador, entender a extensão dos problemas criados por Wanda.

Desde o capítulo anterior, o conto de fadas do casal de Vingadores já estava estremecido, e as brigas silenciosas seguem como parte da nova rotina da casa - clima que definitivamente não passa despercebido pelos gêmeos. Embora Visão desconfie de Pietro, até pelo fato da amada nunca falar sobre sua relação com o irmão, ele aproveita a brecha na atenção de Wanda para investigar a vizinhança. No entanto, não sai sem cutucar a esposa: “juízo, Wanda”.

Paul Bettany em WandaVision
WandaVision/Disney+/Reprodução

Essa side quest, porém, revela o oposto: a Feiticeira Escarlate não consegue manter a ilusão de perfeição nem na aparência. Conforme o sintozóide se aproxima da fronteira do hex - campo energético criado pela heroína, cujo nome é um trocadilho esperto para “feitiço” -, os vizinhos parecem estar em curto-circuito, como se fossem um bug na Matrix. Repetindo ações em loop, ou simplesmente paralisados, eles não conseguem disfarçar o medo e deixam escapar ora uma lágrima solitária, ora um arregalar de olhos espantados.

Curiosamente, Agnes não é exceção à regra. Visão a encontra estacionada justamente no limite do “reino” da Feiticeira Escarlate, na avenida Ellis, sem reação e fantasiada como uma bruxa - mais um aceno à teoria popular de que ela é Agatha Harkness. Ela está em transe, como os demais figurantes da sitcom da qual integra o elenco principal e, para entender essa bizarrice, o herói decide acordá-la. Para o bem ou para o mal, ele é surpreendido por uma avalanche de informações: ele era um Vingador, o que quer que isso signifique; Wanda não deixa ninguém pensar em sair de Westview; e, pior, ele está morto!

Paralelamente, Wanda também não consegue se livrar das suas desconfianças. A troca do intérprete de Pietro, algo que ela não parece ter causado, a leva a fazer uma nada sutil investigação, enquanto o irmão se aproxima cada vez mais de Billy e Tommy, assumindo o personagem de “tiozão divertido” por um dia. Tudo levanta suspeitas: memórias diferentes de um Dia das Bruxas da infância, o sumiço do sotaque e, claro, sua aparência. De modo análogo, difícil não se colocar na mesma posição de Wanda, e o fato do Pietro dizer com todas as letras “liberem o inferno, meus demônios” não ajuda - fala a verdade, nessa hora, você também se perguntou se ele não era o Mephisto. Contudo, a postura cética dura pouco e, pela primeira vez, Wanda fala abertamente sobre seu processo de luto. A heroína não se lembra de como toda essa loucura começou, só sabe que sentia “um nada infinito”.

Elizabeth Olsen e Evan Peters em WandaVision
WandaVision/Disney+/Reprodução

O momento é bastante sensível e, por isso, parece ser um bom presságio das intenções da Marvel para a personagem. Do mesmo modo que as sitcoms evoluíram com o passar das décadas, desconstruindo gradualmente a imagem da família ideal, WandaVision faz isso com sua protagonista. Ela não passou por uma loucura súbita, que a despe da sua faceta de heroína. Ela ainda está ali, como bem revela Pietro ao mencionar como a Feiticeira Escarlate preservou as crianças na criação da sua doce realidade, assim como manteve casais unidos e não mudou suas personalidades. Na verdade, ela está passando por uma depressão profunda, algo intenso, quer você tenha super poderes ou não.

Há uma ousadia na vontade da Casa de Ideias de querer debater um tópico tão relevante, mas é sobretudo uma responsabilidade. Os próximos episódios serão, portanto, cruciais para definir se o conceito foi executado de forma adequada e bem sucedida, ou não.

Esse momento terno entre irmãos, contudo, não tira a sensação de que há algo de errado com Pietro. Embora se trate de Evan Peters, e não Aaron Taylor-Johnson, fica explícito que ele é o Mercúrio do MCU (Universo Cinematográfico Marvel). “Tomei um tiro na rua sem motivo e a próxima coisa que ouvi foi você me chamando”, explica ele para Wanda - uma ótima piada sobre o desfecho do personagem em Vingadores: Era de Ultron, diga-se de passagem, ainda que a cena tenha outro tom. Mas, se isso é verdade, por que a mudança de visual? Afinal, se ele não tem as memórias do personagem no universo da Fox, WandaVision não está introduzindo o multiverso. Ainda, pelo menos.

As muitas perguntas são a evidência mais gritante desse descompasso. “De onde vieram as crianças? Como você fez tudo isso?”, ele indaga. Até a tentativa dele de consolar a irmã (“isso é melhor do que dar pesadelos para as pessoas”) parece suspeita, principalmente neste episódio, que garantiu que nem tudo é o que parece. Se ele é ou não o Mephisto, não dá para saber. Mas não parece absurdo pensar que Pietro é uma espécie de agente infiltrado.

WandaVision/Disney+/Reprodução

A expectativa de uma resposta mais clara sobre o mutante foi frustrada por duas descobertas: Billy tem poderes como a mãe - e como nos quadrinhos -, e o Visão está tentando escapar da hex. Convencido de que Wanda está causando mal a pessoas inocentes, o sintozóide decide pedir ajuda ao mundo externo. Porém, ele não tem sucesso. Ainda que encontre agentes da ESPADA, a tentativa de passar pelo campo de força faz com que sua carcaça de vibranium comece a se desfazer. A Feiticeira Escarlate, então, amplia o alcance dos seus poderes e o absorve novamente. Aliás, não só ele, como agentes da ESPADA e até a astrofísica Darcy.

A melancolia e o choque do momento ficam ainda mais intensos quando se lembra que, minutos antes, o comercial dentro do episódio havia mostrado um homem abandonado em uma ilha, sem qualquer chance de sobrevivência. Para piorar, a chegada de um tubarão descolado, aparentemente um lampejo de esperança, se revela em vão, porque o náufrago não consegue abrir a embalagem do snack Yo-Magic! e morre. A propaganda, certamente a menos óbvia de todas até aqui, pode ser interpretada como um espelho da própria jornada do Visão no episódio, colocando a chegada do Pietro como uma falsa expectativa de mudança (o tubarão) e apontando um destino inevitável para o personagem.

Reviravoltas também no mundo real

Enquanto Wanda e Visão se aventuram na nova roupagem da sitcom, Monica, Jimmy Woo e Darcy vivem dilemas próprios. Como era esperado, fica claro que a capitã da ESPADA e o diretor interino da agência têm visões completamente opostas sobre como lidar com o caos criado pela Feiticeira Escarlate. Ciente de que não há tecnologia capaz de superar os poderes da heroína, Monica também tem dúvidas sobre o que pode acontecer com os civis caso a Vingadora morra. Por isso, propõe uma abordagem mais acolhedora. Hayward, por sua vez, cansou de fingir ser bom moço e se mostrou, de uma vez por todas, um grande babaca. “Qual de vocês é a amiga atrevida?”, pergunta, ironicamente, diante da aliança de Rambeau, Lewis e Woo, que se mostram determinados a impedi-lo de continuar com suas investidas armamentistas.

A discussão acaba com o afastamento oficial do trio das atividades da ESPADA, mas eles não se dão por vencidos. Trazendo uma boa e surpreendente dose de ação, Monica e Jimmy saem na mão com alguns agentes e garantem sua liberdade. A cena, além de empolgante, volta a aquecer o coração dos mais otimistas, que torcem por uma série solo do agente interpretado por Randall Park. Porém, mais importante do que isso, são as revelações feitas desse momento em diante.

Marvel Comics/Reprodução

Hackeando o sistema da agência, Darcy descobre que as células de Monica foram modificadas depois de passar duas vezes pelo hex, ou seja, a capitã realmente deve assumir o posto de heroína no universo Marvel. Vem aí uma nova Capitã Marvel ou a Casa das Ideias vai introduzi-la como Fóton ou Espectro?

Além disso, a astrofísica ainda percebe que parte dos arquivos da ESPADA podem ser acessados apenas por Hayward. Eles estão escondidos em uma pasta chamada Catarata, um nome que pode indicar a visão deturpada que o executivo tem da situação. Mais um sinal do seu possível caráter vilanesco? Talvez.

E, então, a enxuta força-tarefa é desfeita, separando Darcy dos demais colegas. Ela fica para trás na expectativa de descobrir do que se tratam esses arquivos e, ao que parece, consegue enviá-los para Woo antes de ser absorvida pela realidade de Wanda. Já o agente e Rambeau terminam o episódio tentando evitar o mesmo destino da astrofísica e, com sorte, encontrar o intrigante contato que Monica menciona já há alguns capítulos.

Quem é esse cara misterioso e como ele pode ajudá-los são apenas duas das interrogações deixadas por WandaVision nesta sexta-feira (12). Para variar. Com o MCU invadindo de vez o mundo ideal das sitcoms, a série deve acelerar o ritmo - agradando os críticos do início da temporada - e garantir novos desenvolvimentos bombásticos nesta reta final.

Todas as sextas-feiras, os críticos do Omelete se reúnem na twitch.tv/omeleteve, a partir das 16h30, para discutir o episódio da semana e o futuro da série e do MCU. Venha conversar com a gente!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.