Chris Evans como o Capitão América em Vingadores: Ultimato

Créditos da imagem: Vingadores: Ultimato/Marvel Studios/Divulgação

Filmes

Notícia

Vingadores: Ultimato | Roteirista discorda de teoria de Joe Russo sobre o final

Obviamente spoilers abaixo

Arthur Eloi
05.05.2019
10h52
Atualizada em
05.05.2019
11h16
Atualizada em 05.05.2019 às 11h16

Viagem no tempo sempre complica as coisas, e não é diferente com Vingadores: Ultimato. As cenas finais do filme, em que o Capitão América (Chris Evans) decide retorna ao passado para ficar com Peggy Carter (Hayley Atwell), criaram uma dúvida sobre a possibilidade de alterar o passado ou criar novas realidades.

Anteriormente, o diretor Joe Russo ofereceu uma explicação dizendo que, na verdade, o herói teria pulado para uma dimensão paralela para viver com sua amada - e a cena final se passaria no universo principal, sem maiores alterações. Já o coroteirista Christopher Markus não é tão fã assim dessa ideia.

"Nós [Markus e Stephen McFeely, o outro roteirista] não somos experts em viagem no tempo, mas a Anciã especifica que quando você pega uma Jóia do Tempo, uma nova realidade é criada. Então quando o Steve volta no tempo, uma nova realidade não é criada só por ele estar lá. Eu rejeito a teoria de que ele está em uma realidade alternativa. Acredito que houve um período de tempo na história - de 1948 até agora - em que havia dois Steve Rogers. De qualquer forma, por boa parte deste tempo um deles estava congelado então não é como se eles fossem se trombar", afirmou em entrevista ao Fandango.

Enquanto não há resposta definitiva, uma curiosidade pode ter passado batida: o roteirista oficialmente confirmou que a cena final, em que o Capitão América dança com Peggy, se passa em 1948. Pelo menos algo ficou claro.

Vingadores: Ultimato está em cartaz nos cinemas e já bateu vários recordes de bilheteria - confira os números aqui.