Thor: Amor e Trovão | As principais referências e easter eggs do filme

Créditos da imagem: Marvel Studios/Divulgação

Filmes

Lista

Thor: Amor e Trovão | As principais referências e easter eggs do filme

Para surpresa de ninguém, novo longa do Marvel Studios está recheado de momentos piscou, perdeu

Omelete
1 min de leitura
Eduardo Pereira, Julia Sabbaga e Mariana Canhisares
07.07.2022, às 16H00
ATUALIZADA EM 07.07.2022, ÀS 18H34
ATUALIZADA EM 07.07.2022, ÀS 18H34

Foram meses de antecipação para o novo capítulo do Deus do Trovão nos cinemas, e com o retorno de Taika Waititi na direção - e de Jane Foster ao lado do protagonista - Thor: Amor e Trovão finalmente está entre nós. E como é tradição, um novo filme do Marvel Studios significa também uma nova lista de easter eggs. Confira abaixo as principais referências do quarto filme de Thor.

Mas claro - cuidado com spoilers! 

LOGO DO MARVEL STUDIOS

Que o filme começaria com aquela tradicional música dos Vingadores que embala o logo do Marvel Studios não é nenhuma surpresa, mas em Thor: Amor e Trovão a produção aproveita o momento para já estabelecer o espírito de toda a coisa. Ao invés do clima sóbrio nas notas de Alan Silvestri, aqui o tema foi retrabalhado só com guitarras, criando uma atmosfera hard rock dos anos 80 que permanecerá por todo o filme. 

A NECRO-ESPADA

A origem de Gorr em Amor e Trovão é ligeiramente diferente das HQs, mas que ele vive em um planeta inóspito e perde fé nos Deuses ao testemunhar sua realidade são acontecimentos bem alinhados com a história original. No longa, também vemos que Gorr adquire seus poderes para assassinar Deuses ao empunhar a necro-espada e matar a divindade a quem era fiel, Rapu. A diferença é que, nos quadrinhos, o objeto é um simbionte, que consome a energia do personagem do mesmo modo que o Mjolnir gasta as energias da Poderosa Thor. 

BONÉ DOS VINGADORES

Já era possível ver essa cena nos trailers, mas o momento crossfiteiro de Thor traz uma pequena piscadela ao orgulho do Deus do Trovão. Usando um boné dos Vingadores, é possível ver que Thor inseriu um incentivo a si próprio, escrevendo “o mais forte dos” logo acima de “Vingadores”. Pode servir como estímulo para o treinamento, mas a frase também pode ser uma alfinetada ao saudoso Tony Stark, que considerava Hulk como o mais forte da equipe de heróis.

“VOCÊ CAVALGAVA O SEU MARTELO?”

O diretor Taika Waititi faz referência a ele mesmo ao colocar o Deus do Trovão atendendo a um chamado de socorro dos Guardiões da Galáxia e imediatamente montando o machado-martelo Stormbreaker para voar, tal qual uma bruxa em sua vassoura mágica. A referência poderia ser a algum filme de bruxo por aí, mas é, na realidade, uma brincadeira com uma fala de Korg (dublado pelo próprio Waititi) em Thor: Ragnarok (2017): ouvindo o herói falar sobre sua saudade do Mjölnir, o homem de pedra faz confusão e entende que o personagem voava sentado no martelo, e não o empunhando.

THUNDERSTRIKE (OU TROVEJANTE)

Uma referência que também já havia sido apontada quando o primeiro visual de Chris Hemsworth foi revelado em Amor e Trovão, o traje de jeans, camiseta e colete vinho remete muito a outro personagem da Marvel: Thunderstrike - ou Trovejante. Nos quadrinhos, ele é Eric Masterson, um arquiteto que assumiu a identidade de Thor entre o final dos anos 80 e o início dos anos 90.

A CAMISETA DE THOR

A roupa de Thor também tem outra referência importante. A sua camiseta traz o desenho de uma estrutura formada por nove esferas, e parece representar a árvora de Yggdrasill, da mitologia nórdica. O símbolo inclui nove mundos, encabeçados por Asgard e Valhala. 

VAN DAMME

Toda a rotina de exercícios intensa de Thor - combinada com o estilo hard rock de Amor e Trovão - atinge seu ápice em uma referência adorável a ninguém menos que Jean Claude Van Damme. Em uma curta cena, é possível ver o personagem de Chris Hemsworth abrindo um espacate, acenando para o movimento que se tornou assinatura do astro de ação, completando o momento com um chute giratório. 

GUNS ‘N’ ROSES

Será que embalar um filme todo como uma homenagem a uma banda vale como easter egg? Fato é que Thor: Amor e Trovão é um grande presente ao Guns N’ Roses, não apenas por tocar clássicos como “Welcome to the Jungle”, “Paradise City” e “Sweet Child O’ Mine” mas porque o filho de Heimdall muda seu nome para Axl (e se torna xará do frontman da banda, Axl Rose) e uma das crianças de Asgard tem um grande pôster do grupo em seu quarto. 

OS BODES

Waititi se divertiu em referências nórdicas para Amor e Trovão, e uma das mais legais chega como presente do povo que pede ajuda dos Guardiões da Galáxia e Thor, no início do filme. Como “agradecimento” (por terem destruído uma cidade e seu imponente palácio de vidro), os heróis ganham de presente dois bodes - e os animais fazem parte tanto da mitologia clássica quanto das HQs. 

Chamados de Tanngrisnir e Tanngnjóstr no texto clássico e Toothgnasher e Toothgrinder nos quadrinhos, os animais ajudam no transporte de Thor quando o personagem precisa transportar passageiros ou objetos, ou quando não pode usar o Mjolnir para voar.

ORIGEM DA PODEROSA THOR

Depois de muita especulação, fãs puderam conferir que Thor: Amor e Trovão leva sim a trama da Poderosa Thor às telas com tudo que se tem direito, incluindo o arco de câncer de Jane Foster. Traduzindo a jornada da personagem nas HQs, aqui, a personagem de Natalie Portman já está em um estágio avançado de câncer quando sente um chamado do Mjolnir e se torna a Poderosa Thor. Ao fazer isso Jane recupera a saúde, mas não sem um preço: sempre que Jane retorna à forma humana, sua doença piora. 

O ENIGMA DO HORIZONTE (E INTERSTELLAR)

Na sala de quimioterapia, Jane Foster explica tempo e espaço para um sujeito em uma cena que dá uma leve e carismática alfinetada em Interstellar. Para explicar a sua própria teoria ao paciente ao lado, Foster pergunta se ele já viu O Enigma do Horizonte, e com a resposta negativa ela insiste “e Interstellar?”. O rápido diálogo faz referência ao fato de que o filme de 2014 de Christopher Nolan traz uma explicação absolutamente idêntica ao longa de 1997, usando até os mesmos materiais para demonstrar o funcionamento de wormholes.

REPRISE DA PEÇA

E não é que um dos melhores momentos de Thor: Ragnarok retornou com força em Amor e Trovão? Trazendo Matt Damon e Luke Hemsworth de volta para interpretar Loki e Thor em uma peça em Asgard - agora focada na morte de Odin que aconteceu no último filme de Thor - o momento teatral reconta os acontecimentos de Ragnarok contando com Melissa McCarthy como Hela.

DARYL

Adivinha quem é o guia turístico em Nova Asgard? Ninguém menos que Daryl, o amigo que o Thor fez na sua temporada na Austrália, enquanto os Vingadores lidavam com seus conflitos internos em Capitão América: Guerra Civil. Ao que tudo indica, o personagem, apresentado no divertido curta Team Thor, não conseguiu se livrar do Deus do Trovão nem depois do estalo de Thanos. Ao menos, agora, ele parece mais feliz, diferentemente do humor que tinha trabalhando naquele escritório sem graça.

CONES DO INFINITO

Taika Waititi se deleita nas cenas de Asgard na Terra, mostrando como a cidade viking se tornou turística nos últimos anos, e quase se assemelha à Disney. Um dos estabelecimentos não poderia ser melhor para representar isso: ao fundo, é possível ver uma sorveteria que leva o nome de “Cones do Infinito” (ou Infinity Conez, no original), uma referência à Manopla do Infinito. 

VALQUÍRIA USA OLD SPICE?!

Assim como Luke Hemsworth estrela a campanha publicitária acima, da tradicional marca de desodorantes americana que colocou Terry Crews e Isaiah Mustafa em dezenas de comerciais nonsense, Valquíria faz um troco a mais para Nova Asgard gravando sua própria versão de comercial para a marca. É uma maneira espirituosa de mostrar a extensão do empreendedorismo que o país encontrou em sua roupagem de atração turística.

JANE FOSTER, JANE FONDA E JODIE FOSTER

É claro que Korg tem as melhores piadas de Amor e Trovão, e duas delas partem de uma mesma ideia - o fato de que o companheiro de Thor é realmente péssimo para nomes. Em dois momentos diferentes, Korg se refere a Jane Foster usando nomes familiares: Jane Fonda (atriz, ativista e estrela de Barbarella e Grace e Frankie) e Jodie Foster (atriz, diretora e produtora, estrela de O Silêncio dos Inocentes).

FANTASMA DA ÓPERA

Não é só de hard rock que se faz um Thor: Amor e Trovão, e Valquíria está aqui para provar isso. Enquanto o filme é embalado por Guns N’ Roses, a Rei de Asgard é vista usando uma estilosíssima camiseta do musical O Fantasma da Ópera durante a primeira batalha na cidade viking. Além de revelar o gosto da Valquíria pelo musical, o momento também é um easter egg de bastidores, porque a roteirista Jennifer Kaytin Robinson vestia uma camiseta do Fantasma da Ópera quando conheceu o direitor Taika Waititi.

NICK “FURRY”

É uma piadinha rápida porém hilária: quando Thor mostra seu celular para Jane, na cena dos flashbacks, vemos que o contato de Nick Fury em seu celular está registrado como Nick “Furry” (termo utilizado para designar pessoas que gostam de criaturas e animais antropomórficos). Poderia ser só um erro de digitação do nosso protagonista, mas na verdade o Deus do Trovão chega a se questionar no curta Team Thor se o nome do personagem de Samuel L. Jackson não é pronunciado “Furry”. (Ou será que abrimos espaço para especular que o líder da S.H.I.E.L.D tem preferências pouco convencionais? Cada um, cada um). 

“O HORROR”

Em um outro aceno cinematográfico, no momento em que Thor, Korg e seus companheiros acompanham diversos chamados distantes de socorro, o personagem de pedra olha surpreso para a tela e solta um sonoro “o horror!”. A frase pode parecer desimportante, mas é uma referência ao clássico momento de Marlon Brando em Apocalipse Now.

FALLIGAR

Em uma cena retirada diretamente das páginas (que já tinha figurado também em prévias do filme), Thor e Korg se deparam com o corpo de Falligar, deus das Fronteiras Galáticas. A cena é uma recriação quase exata de Thor: O Deus do Trovão #3, escrita por Jason Aaron e ilustrada por Esad Ribić e Ive Svorcina. A diferença aqui é apenas a companhia de Thor, que nas HQs aparece sozinho no quadro. 

BRAÇO DA SIF

Neste mesmo momento reencontramos a personagem de Sif (Jaime Alexander) e vemos que a batalha custou-lhe o seu braço. Aqui existe um paralelo com a HQ, só que bem alterado: nos quadrinhos, Sif perde o braço no Ragnarok de 2004

THUNDERBOLT

Ao encontrar Zeus (Russel Crowe) naquela imponente assembléia na Cidade da Onipotência, um local que reúne todos os panteões divinos do universo conhecido, somos introduzidos também a sua icônica arma, o Thunderbolt (ou Raio-Mestre). Só por motivos de coincidência, vale lembrar que a equipe do Barão Zemo (que vai ganhar filme) compartilha o mesmo nome.

BAST

São diversos personagens misteriosos que aparecem na Assembléia de Zeus no meio do filme, e enquanto alguns estão lá porque são fofos ou servem como piada - como o Deus que senta em um trono de tesouras, apontado por Korg - existe uma em especial que aparece logo abaixo de Jane e Valquíria que merece atenção especial.

É possível ver a presença de Bast, deusa do Pantera Negra, baseada na figura egípcia de Bastet. Depois de uma aparição mais grandiosa no filme de 2018 do Marvel Studios, é possível ver Bast aqui em sua forma humana, interpretada pela atriz Akosia Sabet

ZEUS E THOR

Para fazer uma rápida piscadela à mistureba de mitologias, ao encarar Zeus na Cidade da Onipotência, Thor faz uma piadinha sobre como este era um de seus deuses favoritos, com quem compartilha diversas coincidências. Enquanto os dois realmente são heróis da Marvel, a piada está na origem de cada um dos personagens. 

Originário da mitologia nórdica, Thor não é considerado um Deus para a mitologia grega, mas ele tem seu equivalente, que é ninguém menos que Zeus. É por isso que os dois compartilham o apelido de Deus do Trovão, referência que acaba sendo abordada de modo jocoso por Zeus na cena. 

TATUAGENS DE THOR

Uma piada inusitada - mas também um momento tocante - acontece quando Zeus revela completamente o físico de Thor, despindo o herói de armaduras e roupas. Além de fazer as donzelas desmaiarem, aquele corpo também mostra algumas cicatrizes do passado, registradas como tatuagem. É possível ver que nas costas de Thor há diversas homenagens ao seu irmão, Loki, inclusive com uma mensagem de “descanse em paz”. 

CELESTIAIS

Também revelados em uma prévia recente de Thor: Amor e Trovão, os seres introduzidos em Eternos, Celestiais, marcam sua presença na Assembléia de Zeus. No momento em que Thor, Korg, Jane e Valquíria fogem da reunião, é possível conferir dois deles logo na parte de fora (no marco de 12 segundos do vídeo). 

É curioso que apesar de terem tanta relevância em Eternos, os seres tenham aparecido aqui em Thor 4 em um momento tão passageiro. Será que a presença dos Celestiais será explicada no futuro do MCU?

VIAGEM À LUA

É um outro aceno breve ao cinema, mas quando o barco de Thor e cia. bate de frente com o planeta em que Gorr aprisiona as crianças, o brusco momento relembra um dos quadros mais clássicos da história do cinema, da lua em Viagem à Lua (1902), de Georges Méliès.

ETERNIDADE

Reafirmando sua homenagem às HQs, a reta final de Thor: Amor e Trovão também traz uma figura bizarramente semelhante à sua forma original. A entidade Eternidade aparece no fim de Thor 4 quase idêntica aos quadrinhos.

VIGIA E ARISHEM NO PALÁCIO DA ETERNIDADE

Umas das entidades formadoras do Universo Marvel nos quadrinhos (e, aparentemente, no MCU também) Eternidade repousa em um palácio localizado no centro de toda a existência, onde Thor, Poderosa Thor e Gorr travam a batalha final do novo filme. O local é adornado por enormes bustos de pedra de outros poderosos seres celestes que conhecemos, entre eles o Vigia, Uatu (Jeffrey Wright) e o Celestial Arishem, o Juiz (aquele mesmo, que surge no final arrepiante de Os Eternos).

GALACTUS VEM AÍ?

Além de Eternidade, outras quatro entidades definem a existência do Universo Marvel, nos quadrinhos: Morte, Infinito, Esquecimento e… Galactus, o Devorador de Mundos. O personagem, cujos direitos cinematográficos retornaram à Marvel Studios juntos aos do Quarteto Fantástico, é especulado como um grande vilão no MCU já há alguns anos. Com Kevin Feige afirmando recentemente queos planos para o futuro dos filmes serão revelados em breve, não é uma loucura apostar em uma investida do personagem contra a Terra.

FILHOS DA ETERNIDADE

Uma das maiores surpresas de Thor: Amor e Trovão é a revelação de que o título não é só um indicativo do que os fãs encontrarão na trama do novo filme, mas também como ficou conhecida pelo espaço a parceria do Deus do Trovão com sua filha adotiva, a filha de Gorr, renascida graças a um pedido concedido pela Eternidade.

Uma garota de aparência humanóide, mas munida de poderes cósmicos, ela parece fazer referência aos filhos da entidade nos quadrinhos da Marvel: jovens seres celestes altamente poderosos que atendem pelos nomes Empatia, Elogio, Conveniência, Entropia, Epifania, Inimizade, Eon, Antes e Hoje.

CENAS PÓS-CRÉDITOS

Para não dar absolutamente todos os spoilers de Thor: Amor e Trovão, guardamos as cenas pós-créditos para outro lugar - confira aqui tudo que acontece e as sequências representam para o MCU.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.