Samuel L. Jackson como Nick Fury

Créditos da imagem: Marvel Studios/Divulgação

Filmes

Notícia

Samuel L. Jackson sobre tentar ganhar um Oscar: "Prefiro ser o Nick Fury"

Ator, dono de uma estatueta honorária, afirmou não querer perseguir uma competitiva

Omelete
3 min de leitura
Eduardo Pereira
15.06.2022, às 12H59

Dono de um Oscar honorário, o astro veterano Samuel L. Jackson afirmou ao Los Angeles Times não se importar com a ausência de uma estatueta vencida de forma competitiva, em uma carreira que já soma 50 anos nas telonas. Segundo o ator, ele prefere estrelar filmes que fazem bilhões de dólares nas bilheterias, como os produzidos pela Marvel Studios, do que ficar perseguindo papéis que sejam isca para a premiação.

"Por mais doído que eu quisesse ser sobre isso, sabe, pensando: 'Bem, eu deveria ter ganho um Oscar por isso ou por aquilo e não aconteceu', assim que eu superei essa questão, há alguns bons anos, ela deixou de ser um problema para mim", afirmou Jackson. "Eu sempre me diverti indo ao Oscar. Eu sempre fiquei ansioso para ganhar uma cesta de presente por apresentar. Eu dou tudo aos meus parentes; minha filha e esposa levavam algumas. É legal... Mas, além disso, eu já superei".

O astro continuou: "Eu nunca deixaria o Oscar ser uma medida do meu sucesso ou do meu fracasso como um ator. Minha medida de sucesso é a minha felicidade: estou satisfeito com o que estou fazendo? Eu não estou fazendo filmes que perseguem estatuetas. Sabe: 'Se você fizer esse filme, ele vai te render um Oscar'. Não, obrigado. Eu prefiro ser o Nick Fury. Ou me divertir sendo Mace Windu com um sabre de luz na mão".

Isso não quer dizer que Jackson não pensa ter sido injustiçado pela Academia em algumas premiações, citando ao The Sunday Times que deveria ter levado seu Oscar competitivo por Pulp Fiction (1994), em ano que viu Martin Landau premiado por seu trabalho em Ed Wood (1994), e que os votantes da premiação erraram ao não o indicarem por Febre da Selva (1991). Ainda assim, ao Times, ele garantiu preferir fazer filmes "que pessoas querem ver para que possam sair delas mesmas".

"Esse é o cara que eu escolhi ser, e estou bem com isso. Estou satisfeito porque é o que eu sou. Eu sou o cara que diz as falas que as pessoas veem em camisetas. Há atores que atravessam toda uma carreira e ninguém consegue citar uma fala deles em um filme. As pessoas vão ver meus filmes para ver o quão louco eu serei, ou quantas vezes eu vou dizer 'motherfucker'. Qualquer coisa que os faça sentar para assistir", concluiu Jackson.

Jackson voltará a mais um desses projetos na série do Disney+ produzida pela Marvel Studios Invasão Secreta. Além do astro, o elenco atualmente conta também com Ben Mendelsohn, reprisando o papel de Talos; Cobie Smulders, novamente como Maria Hill; Don Cheadle como o Máquina de Combate; e o trio Kingsley Ben-Adir, Olivia Colman Emilia Clarke, que vai estrear no MCU.

A trama segue a de Capitã Marvel, quando Nick Fury descobre a existência dos Skrulls, raça alienígena metamorfa liderada por Talos. Um dos maiores eventos da Marvel Comics dos últimos vinte anos, Invasão Secreta mostra os Skrulls infiltrados na Terra.  

Ainda não há previsão de estreia para a série.

Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

Acompanhe a gente também no Youtube: no Omeleteve, com os principais assuntos da cultura pop; Hyperdrive, para as notícias mais quentes do universo geek; e Bentô Omelete, nosso canal de animes, mangás e cultura otaku.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.