Cena de Homem-Aranha 2

Créditos da imagem: Sony Pictures Entertainment/Divulgação

Filmes

Notícia

Homem-Aranha 4 | O que aconteceu com o filme cancelado de Sam Raimi

Colocado em desenvolvimento em 2008, longa foi tirado dos planos dois anos depois

Eduardo Pereira
18.01.2022, às 16H46

Em 2019, durante uma entrevista concedida ao Yahoo Entertainment, o diretor Sam Raimi falou sobre o sentimento de insatisfação que carregava por não ter concluído seus planos para Homem-Aranha 4. O filme, no qual o cineasta pretendia encerrar em alto nível a história que contou nas telonas entre 2002 e 2007, foi cancelado pela Sony Pictures Entertainment durante uma conturbada pré-produção, arrastada de 2008 a 2010. A decepção marcou um distanciamento de 15 anos de Raimi dos filmes de super-herói, que termina em 2022 graças ao trabalho dele na direção de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura; sua primeira colaboração com a Marvel Studios.

“Eu penso nele [em Homem-Aranha 4] o tempo todo”, afirmou Raimi. “É difícil não pensar, porque em todo verão sai um novo filme do Homem-Aranha. Então, quando você tem um filho que nunca nasceu, não consegue deixar de imaginar como teria sido. Mas eu tento pensar no que ainda será, não no que passou”. O desabafo do cineasta, apesar de já ter quase três anos de idade, parece perfeito para hoje. Com Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa nos cinemas —não só relembrando a obra do diretor, mas mergulhando diretamente nela (e tendo contado com seu apoio como consultor) —, parece apropriado resgatar exatamente quais acontecimentos foram decisivos para que os planos para o quarto filme do Teioso fossem frustrados.

EM BUSCA DE UM GRAN FINALE

Sofrendo com discordâncias entre Raimi e os produtores, Homem-Aranha 3 chegou aos cinemas em 2007, falhando em repetir o sucesso de Homem-Aranha 2 (2004) e Homem-Aranha (2002) com crítica e público. A inclusão do adorado Venom (Topher Grace) em uma história que primariamente focaria nas ameaças trazidas pelo Homem-Areia (Thomas Haden Church) e por Harry Osborn (James Franco) acabou mal para o vilão linguarudo — reduzido a uma ferramenta de roteiro — e para a trama do filme, sobrecarregada pelo excesso de personagens e pela escassez de desenvolvimento dramático. Ainda assim, a bilheteria superior a US$890 milhões era mais do que suficiente para garantir uma sequência, e Homem-Aranha 4 foi colocado em desenvolvimento já em 2008.

Cena de Homem-Aranha 3
Sony Pictures Entertainment/Reprodução

Os planos iniciais eram ambiciosos: o quarto filme seria rodado junto de um quinto, e Tobey Maguire e Raimi voltariam aos seus respectivos lugares na saga para essas duas partes. O ano de 2009 seria instrumental para a produção de um roteiro, com os longas sendo filmados em 2010 para que o primeiro pudesse ter seu lançamento em 2011. Os problemas, entretanto, surgiram ainda em 2008, com uma indefinição na história a ser contada. No ano seguinte, o discurso acerca da sequência já era mais conservador: apenas um filme, Homem-Aranha 4, seria produzido.

UM NOVO VILÃO: O ROTEIRO

Apesar do cronograma longo, a Sony tinha pressa, e logo empenhou o roteirista James Vanderbilt (que depois escreveria O Espetacular Homem-Aranha) na escrita do roteiro. O texto, entretanto, não agradou completamente tanto o estúdio quanto Raimi, sendo re-escrito duas vezes: a primeira por David Lindsay-Abaire (Shrek: O Musical) e a segunda por Gary Ross (Jogos Vorazes). Ao longo dos anos, fãs têm especulado se a quarta parte da saga enfim traria a transformação do Dr. Kurt Connors (Dylan Baker) no vilão Lagarto, ou apelaria para o fan service com Bruce Campbell (Uma Noite Alucinante) encarnado Mysterio. As informações mais concretas, entretanto, apontam para uma trama focada no Abutre (mesmo que o Mysterio fosse, de fato, dar as caras no longa).

“Teria sido um filme absolutamente arrasador. Nós estávamos trabalhando em coisas muito loucas e legais, porque todo mundo… sentiu que Homem-Aranha 3 foi como uma oportunidade perdida e realmente queria ajudar Sam a levar Homem-Aranha 4 para outro nível, para que ele pudesse encerrar a saga em um ponto alto”, escreveu o artista Jeffrey Henderson em sua página oficial. Responsável pelos storyboards do quarto longa do Teioso de Raimi, foi ele quem revelou as artes oficiais que mostravam partes do projeto cancelado: de uma abertura que traria o herói levando Mysterio às autoridades até uma luta épica contra uma versão brutal do Abutre.

Mas nem só de imagens oficiais sobrevive a aposta que o envolvimento do ameaçador ancião alado seria central ao filme cancelado: ainda em 2009, o nome de John Malkovich (Quero Ser John Malkovich) já era conectado ao papel, enquanto Anne Hathaway era especulada como Felicia Hardy. O mais estranho de tudo é que, ao invés de se tornar a Gata Negra como nos quadrinhos, os relatos iniciais eram de que a personagem seria uma versão feminina do vilão — embora Raimi já tenha afirmado que ela se tornaria mesmo a famosa gatuna.

ADEUS, TIGRÃO

De qualquer forma, nenhum dos dois sequer fechou contrato com a produção, porque enquanto o roteiro era reescrito por mais de uma vez, Raimi e Sony não pareciam concordar sobre os rumos da trama. Com o desenvolvimento não avançando até 2010, o estúdio eventualmente optou por cancelar o projeto e usar o trabalho até então desenvolvido por Vanderbilt para estruturar uma nova versão do Homem-Aranha para as telonas. Investindo em uma narrativa de predestinação que partia de um mistério sobre os pais de Peter Parker, esse conceito foi o que deu origem a O Espetacular Homem-Aranha (2012), com Andrew Garfield.

“Estamos trabalhando nele e a intenção de todos é lançar em 2011. Estamos no processo de desenvolvimento da história. Há muita coisa boa aí, e como tudo é um processo e estamos no meio dele, temos muita coisa boa em termos de história e roteiro e estamos tentando ordenar tudo e deixar pronto o quanto antes”, afirmou Tobey Maguire em entrevista concedida apenas dias antes do cancelamento de Homem-Aranha 4, em janeiro de 2010.

É difícil imaginar o que teria acontecido com o personagem caso isso tudo não tivesse acontecido como aconteceu. O mais provável é que nunca teríamos algo como a celebração de três gerações que fazem Sem Volta Para Casa valer a pena. Por outro lado, é provável que teríamos memórias de uma despedida muito mais grandiosa para aquele que é, até hoje, o retrato mais caprichado do personagem criado por Stan Lee e Steve Ditko, nas telonas. De uma forma ou de outra, pesando prós e contras aqui e ali, o fato é que não é nada difícil entender o sentimento agridoce que até hoje envolve Sam Raimi e o sonho negado de Homem-Aranha 4.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.