Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

Créditos da imagem: Sony Pictures/Divulgação

Filmes

Lista

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa | Os principais easter eggs do filme

Longa tem enxurrada de referências

Nico Garófalo
18.12.2021, às 16:44

[Texto contém spoilers de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa]

A espera finalmente acabou e Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa enfim chegou aos cinemas do mundo todo. Uma verdadeira celebração do legado do Cabeça de Teia dentro e fora das telas, o filme não economiza em suas referências à história do personagem, lembrando seus criadores, fases icônicas dos quadrinhos e algumas cenas memoráveis de outros longas do herói.

Abaixo, separamos e explicamos os principais easter eggs - e absolutamente todos os grandes spoilers - de Sem Volta Para Casa:

“Eles têm crime lá em Boston”

Discutindo uma possível entrada na faculdade, Peter (Tom Holland), MJ (Zendaya) e Ned (Jacob Batalon) consideram morar juntos em um mesmo lugar em Boston, cidade que sedia o MIT (Instituto Tecnológico de Massachusetts, em tradução livre), escola em que os três desejam estudar. Pensando em sua vida dupla, Peter fala que poderá continuar sendo o Homem-Aranha, já que “eles têm crimes lá em Boston”. A frase é bem parecida com a dita pelo Cabeça de Teia de Andrew Garfield em O Espetacular Homem-Aranha 2.

No filme de 2014, o garoto diz que se mudará para a Inglaterra com a namorada, Gwen Stacy (Emma Stone), que acabara de ganhar uma bolsa de estudos no país. A mudança se justificaria porque, segundo ele, “eles têm crimes na Inglaterra”.

MJ Watson, garçonete

Sem Volta Para Casa traz a primeira vez que a personagem de Zendaya tem seu nome completo revelado: Michelle Jones-Watson. Por consequência, é só a partir do novo filme que ela é chamada de MJ Watson, o nome de sua contraparte dos quadrinhos.

A garota também é mostrada trabalhando como garçonete em um café nova-iorquino, espelhando os trabalhos que a versão de MJ vivida por Kirsten Dunst, predecessora de Zendaya no papel, teve em Homem-Aranha e Homem-Aranha 3, enquanto sua carreira como atriz não decolava.

"O que você fez com minha máquina?"

Logo que os vilões das franquias anteriores do Homem-Aranha chegam ao MCU, é explicado que eles foram removidos de suas realidades minutos antes de suas respectivas mortes. Por isso, o Doutor Octopus (Alfred Molina) é reintroduzido ainda sob o controle dos braços mecânicos e buscando pelo gerador de energia que ele montava em sua batalha com o Homem-Aranha de Tobey Maguire em Homem-Aranha 2.

Acontece que, assim como o autocontrole de Otto, a máquina ficou na realidade criada por Sam Raimi.

Electro azul

Quando O Espetacular Homem-Aranha 2 foi lançado, muito se discutiu sobre o visual de Electro (Jamie Foxx), que foi retratado com uma reluzente pele azul. Obviamente, Sem Volta Para Casa não perdeu a chance de brincar com esse erro, destacando várias vezes o quanto a aparência do vilão melhorou quando ele foi transportado para o MCU.

A explicação dada no filme é que a energia elétrica dos dois universos é bem diferente, o que afetou o visual de Electro.

Falas repetidas dos vilões

Alfred Molina e Willem Dafoe entregaram alguns diálogos icônicos quando atuaram como Doutor Octopus e Duende Verde, respectivamente, pela primeira vez, e Sem Volta Para Casa fez questão de relembrar esses momentos. Ao longo do filme de Jon Watts, frases como “o poder do sol na palma da minha mão”, “o Homem-Aranha quer sair para brincar?” e “eu também sou um tipo de cientista” e mais são repetidas pelos antagonistas, para o delírio dos fãs.

Steve Ditko

Embora Stan Lee seja mais lembrado que seus parceiros de Marvel quando citam criadores dos personagens da Casa das Ideias, a verdade é que ele nunca esteve sozinho. Jack Kirby, por exemplo, co-criou o Quarteto Fantástico, os X-Men, o Incrível Hulk e o Homem de Ferro. Já Steve Ditko é um dos maiores responsáveis por quase todos os personagens vistos em Sem Volta Para Casa. Além de Peter Parker e Doutor Estranho, o quadrinista nos deu Doutor Octopus, Duende Verde, Homem-Areia, Electro, Lagarto e, é claro, May Parker.

E é no local de trabalho da tia de Peter que o filme homenageia Ditko, estampando seu nome em letras garrafais em um caminhão de entregas da FEAST, local que serve de abrigo para pessoas em situação vulnerável no Universo Marvel.

"Com grandes poderes..."

A história do Homem-Aranha no MCU tem um grande buraco onde deveriam se encaixar Tio Ben e sua icônica frase “com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”. Em Sem Volta Para Casa, a fala finalmente é proferida, mas por May (Marisa Tomei), após Peter considerar deixar de lado sua missão de reabilitar os vilões de outras realidades.

Pouco depois, a frase é repetida pelo Homem-Aranha de Tobey Maguire, que convence o Peter do MCU a retomar seus esforços de salvar Norman Osborn e companhia.

Ned Leeds e o Duende Macabro

Ninguém discorda que a vida de Peter Parker é difícil, mas seus amigos também não vivem em um mar de rosas. Isso fica evidente quando os Aranhas de Maguire e Andrew Garfield contam sobre os Harry Osborns de suas respectivas realidades, que se tornaram vilões, fazendo Ned se preocupar com o próprio destino. Tentando convencer a si mesmo que não teria o mesmo destino, o garoto diz ao seu Peter que não vai traí-lo ou tentar matá-lo.

Quem leu os quadrinhos sabe que essa promessa pode ser insustentável, já que o Ned Leeds das páginas faz justamente isso quando passa a cometer crimes como o Duende Macabro. Neste momento, cabe a Kevin Feige decidir se o personagem de Jacob Batalon continuará sendo um aliado do Homem-Aranha ou não no futuro.

Peter Parker professor

A partir do momento em que Holland, Maguire e Garfield passam a dividir a telona, Sem Volta Para Casa se torna uma grande micareta de easter eggs. Logo depois de se conhecerem, o trio Parker utiliza o laboratório do colégio Midtown para armar a cura para todos os vilões interdimensionais. Nisso, o Cabeça de Teia de Garfield veste um jaleco de laboratório, lembrando o visual assumido por Peter ao se tornar professor do mesmo colégio no quadrinho De Volta ao Lar, de J. Michael Straczynski e John Romita Jr.

Não bastasse a referência visual, Garfield ainda zomba dos trajes civis de Maguire, definindo o look de sua variante como “professor substituto”.

Sequência das histórias do Raimi e do Webb

Interrompidas pela Sony, as franquias comandadas por Sam Raimi e Marc Webb nunca conseguiram concluir de verdade os arcos planejados por seus diretores. Jon Watts, no entanto, relembra a história desenhada por seus antecessores, dando um vislumbre da vida dos Homens-Aranha após os filmes de 2007 e 2014.

O Peter de Maguire revela que, depois de muito esforço, conseguiu equilibrar sua vida e hoje segue em um relacionamento com Mary Jane, embora ele admita que o namoro passe por turbulências complicadas.

O destino infelizmente não foi tão bondoso com a versão de Garfield. Depois de perder Gwen, ele começa a passar mais e mais tempo como o Homem-Aranha, o que o deixou indiferente à violência que presencia em sua vida de super-herói. Às suas variantes, ele revela que se deixou levar pelo luto, tornando-se impiedoso e agressivo, algo que remete ao comportamento de Peter depois da morte de Gwen nos quadrinhos. Felizmente, o encontro com suas contrapartes parece ter convencido o herói a retomar uma atitude mais digna.

Meme dos aranhas se apontando

Desde que os rumores sobre as participações de Tobey Maguire e Andrew Garfield começaram a circular pela internet, fãs têm deixado claro que colocariam a Sony e o Marvel Studios abaixo caso os três Aranhas não recriassem a icônica cena do desenho dos anos 1960 que trazia dois Cabeças de Teia (sendo um deles o vilão Camaleão) apontando um para o outro. O meme felizmente se tornou realidade em um hilário momento de confusão em que Ned, tentando falar com seu Peter Parker, acaba não conseguindo definir com qual dos três ele queria falar. O trio então aponta dedos entre si, recriando a cena do desenho.

Bloqueio de teia

Ao descobrir que o Homem-Aranha de Maguire solta teias orgânicas, os outros dois Peters questionam os limites deste poder. A versão de Garfield pergunta se seu irmão interdimensional nunca teve problemas de falta de teia. Maguire responde que sim, lembrando do arco de Homem-Aranha 2 em que seus problemas psicológicos afetaram seu corpo, transformando-o temporariamente em uma pessoa “normal”.

Problemas nas costas do Tobey

À primeira vista, a cena em que Maguire se alonga reclamando de dor nas costas parece ser apenas uma referência à cena de Homem-Aranha 2 em que ele cai de costas sobre um carro e sai com a mão na lombar. Acontece que esse momento em si surgiu por causa de um impasse entre o ator e a Sony antes do filme ser produzido.

Depois do sucesso de Homem-Aranha, Maguire pediu ao estúdio um enorme aumento para retornar para a sequência, apesar de já ter assinado contrato para atuar no filme. Para justificar o novo valor, o ator alegou ter machucado as costas em Alma de Herói (via EW) e enviou um neurocirurgião para falar com os produtores sobre os riscos de saúde que ele assumiria ao voltar à franquia. O ator, no entanto, assumiu uma postura mais branda quando o estúdio abriu negociações com Jake Gyllenhaal e aceitou voltar para o segundo filme de Sam Raimi.

Homem-Aranha e os Vingadores

Uma piada interna que durou anos entre os fãs dos quadrinhos é a ausência do Homem-Aranha nos Vingadores. Apesar de ser historicamente o personagem mais bem sucedido da Casa das Ideias desde que surgiu nos anos 1960, o Cabeça de Teia só foi integrar oficialmente a equipe dos Maiores Heróis do Mundo em 2004, quando Brian Michael Bendis assumiu o roteiro de Os Novos Vingadores. Sem Volta Para Casa inverte essa relação, no entanto, mostrando que, para as versões de Maguire e Garfield, estar no supergrupo não é nada essencial para a vida de um super-herói.

“Sempre quis ter irmãos”

As palavras “Saga do Clone” são capazes de fazer qualquer fã de gibis tremer na base. Embora o infame arco noventista tenha deixado um gosto amargo na boca dos leitores, ele introduziu dois dos personagens mais queridos da mitologia do Homem-Aranha: Ben Reilly e Kane Parker, clones de Peter que eventualmente assumem o título de Aranha Escarlate. Apesar de terem uma relação bem conturbada no começo da saga, os três personagens se aproximaram muito depois de perceberem que basicamente só eles entendiam o que acontece em suas vidas duplas e passam a chamar um ao outro de irmão.

Mesmo que Sem Volta Para Casa não dê qualquer sinal de que Tom Holland será clonado tão cedo, o amor fraternal entre Peter, Ben e Kane foi referenciado pelo Amigão da Vizinhança de Andrew Garfield. Além de dizer que “sempre quis irmãos”, o protagonista de O Espetacular Homem-Aranha entra na batalha final contra os vilões dizendo “eu amo vocês” para suas variantes.

Venom e Rino

Conversando sobre suas experiências com vilões, os três Peters contam sobre os vilões mais bizarros que já enfrentaram. O Aranha de Maguire cita “uma gosma preta que veio do espaço”, mais conhecido como o simbionte que, depois de dominar as ações do herói, se atrela a Eddie Brock (Topher Grace) e se torna o Venom. Já o Teioso de Garfield fala sobre um homem “em um traje mecânico de rinoceronte”, obviamente se referindo a Aleksei Sytsevich, o Rino (Paul Giamatti).

Como Era Verde Meu Duende

Uma das imagens mais impactantes da história da Marvel Comics talvez seja a capa desenhada por John Romita para a história Como Era Verde o Meu Duende, publicada originalmente em 1963. Na ilustração, o Duende Verde humilha publicamente o Homem-Aranha, que aparece desmascarado e amarrado no planador do vilão.

O momento é parcialmente recriado em Sem Volta Para Casa, quando o Duende de Willem Dafoe intercepta o Aranha de Tom Holland no meio de um salto, deixando-o pendurado entre as lâminas de seu planador. Assim como na imagem de Romita, o herói aparece ferido e desmascarado.

“Você é espetacular”

Por estrelar filmes questionáveis, o Homem-Aranha de Andrew Garfield teve certa dificuldade em atrair o carinho do público. Em um momento de redenção, o personagem ouve sua versão mais experiente vivida por Maguire chamá-lo de “espetacular”. Mais do que uma referência ao título da franquia estrelada por Garfield, a fala é uma espécie de validação não só para sua versão do Cabeça de Teia, mas para toda a geração que descobriu o personagem graças aos longas que ele protagonizou.

Homem-Aranha negro

Logo depois de os Homens-Aranha curarem Electro, o agora ex-vilão desabafa com o Parker de Garfield sobre sempre ter imaginado que o Amigão da Vizinhança seria negro e diz que “deve existir alguma versão negra do Homem-Aranha”. A frase se relaciona a duas gerações diferentes do personagem nas HQs.

A primeira, obviamente, é dos anos 1960, quando Stan Lee e Steve Ditko idealizaram um herói que poderia ser de qualquer etnia debaixo da máscara. Como o traje do Homem-Aranha não mostrava nenhum pedaço de sua pele, era mais fácil para todas as crianças acreditarem que elas também poderiam ser heróis um dia. O próprio Lee reforçava esse desejo de permitir que os jovens se vissem refletidos no personagem sempre que tinha a oportunidade.

A segunda, obviamente, é a criação de Miles Morales, em 2011. O personagem nasceu no falecido universo Ultimate, criado por Brian Michael Bendis e Sara Pichelli, e rapidamente se tornou um grande fenômeno de vendas. Transportado para o universo regular da Marvel em 2016, esse novo Homem-Aranha ganhou sua própria animação em 2018 e voltará aos cinemas em 2022, com Homem-Aranha Através do Aranhaverso.

Rino e Kraven

Durante a batalha final entre os Homens-Aranha e seus grandes vilões, o Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch) revela que vários outros vilões do multiverso do Cabeça de Teia estariam tentando se transportar para a realidade do MCU por meio de fissuras no espaço-tempo. Essas fraturas mostram algumas silhuetas, mas foca por um bom tempo em duas: a de Kraven, o Caçador, que ganhará seu filme solo estrelado por Aaron Taylor-Johnson, e o Rino. O brutamontes, no entanto, se assemelha mais à versão dos quadrinhos do que àquela vivida por Paul Giamatti.

Um Momento no Tempo

Desde a estreia de Homem-Aranha: Longe de Casa, especulava-se que Sem Volta Para Casa seria uma adaptação do infame Um Dia a Mais, arco em que Peter, cuja identidade secreta foi revelada durante a Guerra Civil, faz um acordo com Mefisto para que o mundo esqueça que ele é o Homem-Aranha e para salvar tia May da morte certa. Em troca, o demônio apaga o casamento de Peter e MJ, que na época celebrava vinte anos. No entanto, o filme prefere pegar emprestado elementos da sequência de Um Dia a Mais, Um Momento no Tempo.

Assim como em Um Momento no Tempo, Sem Volta Para Casa mostra o Doutor Estranho fazendo o mundo esquecer a identidade secreta do Homem-Aranha. A grande diferença aqui é que, para impedir uma fratura na realidade, o Mago Supremo precisa apagar toda e qualquer memória ligada a Peter Parker, com o mundo esquecendo que o garoto sequer existiu.

Conexões com Gavião Arqueiro

O final agridoce de Sem Volta Para Casa se passa no Natal e, claro, em Nova York, mesmo cenário usado na série do Gavião Arqueiro. A sequência reforça que as produções se passam na mesma época ao mostrar outdoors de Rogers - O Musical, peça fictícia da Broadway baseada na vida do Capitão América.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.