Séries e TV

Artigo

A origem e a trajetória de Sam Wilson, o Falcão da Marvel

Personagem vai protagonizar nova série do estúdio, ao lado do Soldado Invernal

A cozinha
16.03.2021
15h02

O final de Vingadores: Ultimato trouxe muitas mudanças para o MCU, entre elas, a passagem do escudo do Capitão América de Steve Rogers para Sam Wilson, conhecido como o Falcão das histórias da Marvel. E, embora seja difícil pensar em um novo Capitão América após anos com Rogers neste posto, não há dúvidas que Sam Wilson é o melhor nome para assumir este papel atualmente.

O personagem foi criado por Stan Lee e Gene Colan, aparecendo pela primeira vez em Capitão América #117, em 1969, e reaparecendo de forma constante nos quadrinhos do Capitão América até hoje. Porém, lá na década de 60, não era comum ter personagens negros em histórias em quadrinhos, nem mesmo como coadjuvantes. 

Quem começou a mudar isso foi Stan Lee, que deu mais vida ao universo Marvel e também atraiu mais leitores. Lee já tinha conseguido isso em 1966 com o Pantera Negra, porém, como o personagem não era afro-americano, ele continuava distante das lutas por igualdade nos Estados Unidos, em um momento em que essas disputas ficaram cada vez mais densas.

Com isso chega o Falcão, que fez bastante sucesso na época também por ser mais do que um ajudante: Sam Wilson tinha personalidade e batia de frente com o Capitão América quando era necessário. Por outro lado, Steve Rogers trazia seu lado mais compreensivo e tudo isso fortaleceu a amizade entre os dois. O Falcão sempre estava ao lado do Capitão em capas de revista e foi o primeiro super-herói negro a ganhar um colecionável, em 1970.

Em certo momento, o Falcão chegou a ganhar os poderes do Super Soldado, ao receber uma transfusão de sangue de Steve Rogers, para salvar sua vida, mas foi no arco da Guerra Civil que ele assumiu o manto do personagem, algo já esperado por muitos fãs.

Capitão Sam Wilson

Um dos arcos mais importantes do personagem é mostrado na HQ Capitão América: Sam Wilson, lançada em 2015. Considerada uma das melhores histórias publicadas pela Marvel nos últimos anos, ela mostra Sam assumindo o manto do Capitão, que vem carregado de responsabilidade, enquanto mantém suas posições políticas fortes.

Ao longo de 25 edições escritas por Nick Spencer e desenhadas por diversos artistas, Sam é colocado frente à frente com diversos dilemas e siuações envolvendo os Estados Unidos atualmente. Logo no início, há um ótimo monólogo em que o personagem fala da experiência de se tornar o Capitão América e como foi cortar os laços com a S.H.I.E.L.D. e governo, para ter mais liberdade em suas ações. Há um paralelo interessante, inclusive, com Ultimato, já que nesta HQ Steve Rogers perde o Soro do Super Soldado e envelhece, entregando o manto para Sam, exatamente como acontece nos cinemas. 

O personagem cresce muito durante este arco e traz um ponto interessante: enquanto os demais heróis têm Super Vilões como oponentes, Sam Wilson tenta sempre ajudar as pessoas e superar as circustâncias da vida - algo que condiz com a sua essência, já que ele trabalhava como assistente social quando foi apresentado nos quadrinhos.

Já no cinema, ele foi introduzido em Capitão América: Soldado Invernal como um conselheiro para soldados que sofrem de estresse pós-traumático. Em qualquer um dos casos, Sam provou que é digno de assumir o manto do Capitão, já que ele sempre se preocupou com as pessoas ao seu redor, assim como Steve Rogers.

Com o lançamento da nova série do Disney+, o MCU terá a oportunidade de mostrar toda a evolução de Sam Wilson e provar que ele está pronto para ser o novo Capitão América do cinema e da TV.

Falcão e o Soldado Invernal estreia no Disney+ em 19 de março.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.