Tribalistas Lollapalooza

Créditos da imagem: Mila Maluhy/Lollapalooza 2019/Divulgação

Música

Artigo

Lollapalooza | Tribalistas faz show amoroso e digno de headliner

Apresentação foi retribuída por muito carinho do público

Julia Sabbaga
05.04.2019
19h28
Atualizada em
05.04.2019
20h25
Atualizada em 05.04.2019 às 20h25

Eram 18h05 quando o Tribalistas subiu ao palco Budweiser do Lollapalooza, mas a quantidade de fãs que se aglomerou na área principal do festival era digna do último show da noite. A apresentação começou com muita luz e brilho e, antes mesmo de abrir com “Tribalistas”, o trio de Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Carlinhos Brown já podia sentir a onda de carinho que emanou do público durante toda a apresentação.

O povo cantou junto toda a letra da trinca de abertura, completa por “Carnavália” e “Um Só”, e não fosse por algumas falhas no som, o início teria sido absolutamente perfeito. Ainda bem que o problema técnico foi corrigido e o setlist pode continuar, alternando entre faixas do grupo e músicas solo da cantora e Antunes.

O espetáculo de luz e som do Tribalistas foi impressionante. O telão ilustrava as canções enquanto um jogo de luzes iluminavam os brilhos nas roupas dos integrantes, criando um show bonito de ver. Completada por um jogo de instrumentos e batucadas de Brown, e alguns músicos de apoio, a apresentação do Tribalistas não economizou em nada.

Vocês tem sido incríveis, com tudo que está acontecendo conosco há mais de 17 anos”, disse Brown, complementando os agradecimentos do grupo ao enorme público. Foram poucas interações com o povo, mas elas bastaram para mostrar a gratidão e simpatia do trio. No hit “Velha Infância”, não faltou braço pra cima e um belo coro preencheu o Interlagos.

O show se desenvolve com cada um dos três em um canto do palco, mas cresce quando os integrantes se soltam e interagem mais entre si, o que aconteceu em “Sem Você”, de Arnaldo Antunes e no fim de “Universo ao Meu Redor”, quando os membros sambaram no palco. O momento embalou uma dança coletiva, puxada por Brown, que fez o público dançar passinhos para cá e para lá em plena pista em “Infinito Particular”.

O clima de amor seguiu durante o show inteiro, mas a energia maior surgiu novamente na segunda metade do show, com destaques como “Amor, I Love You” e “Depois”, que rendeu um momento iluminado por celulares da plateia.
Se aproximando ao fim da apresentação, o povo já fazia o coro de “Já Sei Namorar”, ansiosos pelo hit. “Já vai rolar!”, respondeu Arnaldo.

Os Tribalistas guardaram os maiores sucessos para o fim, quando entregaram uma performance explosiva de “Passe em Casa”, marcada pelas batucadas enérgicas de Brown e o entusiasmo do público. Depois de “Não Vá Embora”, que ganhou um arranjo em clima de rock, o trio respondeu os pedidos e entregou finalmente “Já Sei Namorar”, em uma performance perfeita que fez o chão tremer.

Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown pularam a frente do palco respondendo ao coro que continuava e se curvaram ao público agradecendo o carinho recebido. Foi um show repleto de gratidão, talento e muito orgulho da música brasileira, como poucos sabem fazer.