Séries e TV

Entrevista

True Detective é “uma evolução” de O Silêncio dos Inocentes, diz Jodie Foster

Série da HBO foi a “única outra vez” que a atriz quis interpretar uma detetive

Omelete
3 min de leitura
15.01.2024, às 08H00
ATUALIZADA EM 16.02.2024, ÀS 14H12
ATUALIZADA EM 16.02.2024, ÀS 14H12

Jodie Foster não economiza palavras para definir sua empolgação com True Detective: Terra Noturna. Durante entrevista ao Omelete, a estrela caracterizou a série da HBO como o projeto que me deixou mais animada desde O Silêncio dos Inocentes, thriller de 1991 que se tornou emblemático de sua carreira e lhe rendeu o segundo Oscar de melhor atriz.

Essa foi a única vez desde então em que senti vontade de interpretar uma detetive, o que já diz muito! E tem sido fascinante voltar a esse mundo”, admitiu ela. “No segundo em que coloquei o uniforme, senti que já sabia totalmente quem era essa pessoa. E eu amo quem ela é, amo a ideia dessa mulher muito imperfeita em uma posição de liderança, amo que você chega a se perguntar: como deram esse cargo para essa cretina?”.

Ao invés de traçar paralelos entre a Danvers de Terra Noturna e a Clarice de O Silêncio dos Inocentes, no entanto, Foster se mostra mais atenta às discrepâncias entre as duas personagens.

Eu acho que Terra Noturna representa uma evolução de O Silêncio dos Inocentes. Aquele filme lidava com um tipo de misoginia muito específico de sua época e daquele universo masculino onde ele se encontrava”, refletiu a atriz. “E Clarice era a filha pródiga, de muitas formas, vivendo naquele mundo dos machos. Isso não é verdade sobre Danvers e Navarro [personagem de Kali Reis], elas são completas em si mesmas, são figuras de autoridade, e têm seus próprios jeitos femininos de lidar com as coisas”.

Ao mesmo tempo, olha só, tem uns caras mortos por aí!”, brincou ainda. “Não é legal poder dizer isso? Ao invés de mulheres mortas, temos caras mortos na nossa trama, e as mulheres são quem investigam. É uma reversão completa”.

Levantando outras vozes

Durante o seu discurso no Globo de Ouro 2013, quando foi premiada com o Cecil B. DeMille Award pelo conjunto da carreira, Jodie Foster famosamente anunciou que estava se afastando da atuação. Embora não tenha usado a palavra “aposentadoria”, ela prometeu que o público não a veria nos mesmos formatos e nas mesmas funções que ela desempenhara até então.

Nos dez anos desde então, Foster apareceu em três filmes - e, agora, uma série de TV. Para uma atriz que sem dúvida está entre as mais requisitadas e mais seletivas de Hollywood, o que define o “sim” para um projeto como True Detective:Terra Noturna?

Tem a ver com o principal motivo pelo qual eu continuo atuando: quero apoiar a ascensão das vozes de outras pessoas, de vozes que considero importantes”, explicou a atriz ao Omelete. “Quero trazer qualquer tipo de habilidade que eu possa ter ao set e uní-la ao trabalho de alguém, e ajudar esse alguém a se mover adiante, criativamente falando”.

É claro que ajuda o roteiro ser fantástico. Eu comecei a ler e não conseguia parar, porque queria saber o que acontecia a seguir! Me intrigou muito a ideia da Terra Noturna, das coisas que acontecem no escuro, no Alasca, nas regiões mais inóspitas do Norte”, continuou. “Mas eu gosto mesmo é de fazer parte de uma equipe, sabe?”.

Por isso, foi a primeira reunião com a diretora Issa López que conquistou Foster de verdade para o projeto. Quando a conheci, foi o último prego no caixão… embora essa seja uma fase muito mórbida. Mas soube que a visão dela era uma visão que eu queria apoiar, da qual eu queria fazer parte”.

O primeiro episódio de True Detective: Terra Noturna chega à HBO e à HBO Max hoje (14), às 23h. Os capítulos seguintes estreiam semanalmente, sempre aos domingos

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.