Filmes

Notícia

Guardiões da Galáxia | Da Frigideira

Mais uma aposta arriscada da Marvel. Mais um acerto.

Thiago Romariz
25.07.2014, às 00H00
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H39
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H39

Na série de artigos Da Frigideira o Omelete publica as primeiras impressões de seus críticos de aguardados filmes da temporada, no calor da saída do cinema.

guardioes-galaxia

None

guardioes-galaxia

None

Quando colocou Robert Downey Jr. como Homem de Ferro, a Marvel Studios apostou em um personagem pouco conhecido do público geral e em um rosto desaparecido dos grandes filmes. A receita retorna em doses maiores com Guardiões da Galáxia. Antes relegada ao segundo escalão na Casa das Ideias, a equipe protagoniza uma superprodução com espírito adolescente: irresponsável e empolgado na mesma medida.

Durante as duas horas de duração, que passam imperceptíveis, não há economia alguma na quantidade de piadas e referências a clássicos dos anos 1980, seja na música ou no cinema. O clima nostálgico também aparece na maquiagem realista das criaturas e no design de produção, que não exagera na computação gráfica apesar do filme possuir dois protagonistas feitos 100% pelo computador: a árvore falante Groot (Vin Diesel) e o guaxinim Rocket (Bradley Cooper).

A dupla é responsável pelo carisma e por boa parte do sucesso da equipe. Com uma química inspirada em Han Solo e Chewbacca, ambos equilibram a malandragem de Peter Quill (Chris Pratt) e a brutalidade de Gamora (Zoe Saldana) e Drax (Dave Bautista). Conseguir dar espaço para os cinco e definir suas personalidades sem exageros é o maior trunfo do diretor James Gunn, que também acerta nas cenas de perseguição espacial - outro quesito que remete a uma inevitável comparação a Star Wars.

Por hora, não há porquê colocar essas duas franquias no mesmo patamar. São marcas distintas, criadas em épocas e contextos diferentes. No entanto, é difícil sentir o clima aventuresco e desbravador de Guardiões da Galáxia e não lembrar de Luke e Cia. Esse e outros pontos do filme serão abordados na crítica completa, a ser publicada no dia 31 de julho, data da estreia oficial no Brasil.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.