Séries e TV

Artigo

Game of Thrones | Personagens começam a cumprir seus destinos em novo episódio

Série mostra que tem fôlego mesmo sem sua “grande ameaça”

Camila Sousa
06.05.2019
00h01
Atualizada em
06.05.2019
15h56
Atualizada em 06.05.2019 às 15h56

O terceiro capítulo da temporada final de Game of Thrones deixou muitos fãs confusos e até mesmo insatisfeitos. O Rei da Noite, anunciado como o grande vilão da série, foi derrotado e o exército dos mortos acabou. Depois disso, a grande dúvida que ficou foi: será que a série ainda terá fôlego para continuar em alta sem sua grande ameaça? E a resposta foi dada no quarto episódio, com o poder bélico e estratégico de Cersei Lannister.

É interessante como uma das falas de Tyrion reflete muito do pensamento do público. Questionado sobre a súbita vitória, o Lannister afirma que “ainda precisamos lidar com nós mesmos”, mostrando que os showrunners já anteciparam as reações que tomaram conta da internet na última semana. Dessa forma, parece que Game of Thrones quis subverter mais uma vez os conceitos clássicos da dramaturgia, aniquilando seu “grande vilão” antes e deixando outra batalha para encerrar a série.

Depois de um grande período de luto em Winterfell, em que os personagens restantes se despediram de seus mortos, a série toma dois caminhos. Por um lado, há alguns finais “felizes” por assim dizer: Jaime fica com Brienne e diz que quer permanecer no Norte; Tormund diz que levará os Selvagens para o verdadeiro Norte e Sam será pai de um bebê que Gilly está esperando. Junto a esses desfechos, a série retoma o tema político, colocando Varys e Tyrion no centro de tudo. Daenerys e Jon não chegam a um acordo e pouco a pouco a informação de que ele é um Targaryen (e com mais direito ao Trono de Ferro) se espalha.

Além disso, o grande medo de Daenerys ao marchar para o Norte realmente se concretizou: enquanto ela perdeu exércitos para os mortos, Cersei ficou mais forte em Porto Real e se armou para lutar até mesmo contra temidos dragões. Assim, sem apoio e vendo o sonho de conquistar o Trono de Ferro cada vez mais longe, Daenerys se torna alvo de medo por parte de seus conselheiros. Ao saber da verdadeira origem de Jon, Varys deixa claro que ele tem uma reivindicação mais forte do que a dela: além de ser homem, ele resistiu a várias batalhas, lutou pelo povo e é querido, algo que a própria Daenerys diz que nunca teve em Westeros.

Com isso, a Mãe de Dragões fica cada vez mais solitária e o episódio dá pistas de que ela pode seguir os passos do pai (entenda aqui) e enlouquecer, queimando culpados e inocentes em seu caminho. Uma das frases que não pode passar despercebida, por exemplo, é quando Tormund diz que só “um louco ou um rei” montariam em um dragão, ou quando Varys diz que está preocupado com o “estado de espírito” de Daenerys. Todas esses momentos parecem criar terreno para que a maior heroína de Game of Thrones se torne, na verdade, uma grande vilã.

Daenerys cada vez mais sozinha

Foto de Game of Thrones
Game of Thrones/HBO/Divulgação

Ainda assim, é tocante ver como a personagem luta contra este destino. Ela aceita negociar com Cersei e recua com o dragão Drogon quando é atacada. No fundo, Daenerys não quer queimar nenhuma cidade até as cinzas. Ela fará isso se for necessário, mas ainda há nela a alma da quebradora de correntes que ajudou tantas pessoas em Essos.

Ao ficar cara a cara com Cersei, também é impossível não comparar as jornadas das duas personagens. Assim como a Lannister, Daenerys precisou se casar por ser mulher, foi desacreditada por ser quem é e mesmo assim viveu muito mais do que homens mais fortes fisicamente. As duas sobreviveram e também sofreram: se Cersei perdeu os três filhos que teve com Jaime, Daenerys testemunhou hoje a perda de seu segundo filho, em uma cena chocante e cruel, que pegou todos os fãs de surpresa.

Com isso, fica claro que Game of Thrones colocou seus personagens principais para, finalmente, seguirem seus destinos. Alguns deles desviaram do caminho e até pensaram em viver de forma diferente, mas não há escapatória. Jaime entende que é destinado a ir para Porto Real morrer ao lado da irmã gêmea, assim como Arya não pode evitar ir para a Capital, possivelmente para tentar matar a própria Cersei. Por mais que a personagem tente, o episódio e a promo do próximo capítulo indicam que Daenerys também não escapará do destino de perder sua sanidade após tantas derrotas e Jon Snow, aquele que nunca quis o Trono de Ferro, possivelmente será aclamado para assumir o comando dos Sete Reinos. No fundo, todos esses personagens renegaram tais destinos e tentaram viver de formas diferentes, mas, pelos menos por enquanto, parece que não há como fugir.

Ao fazer isso, Game of Thrones provou que ainda tem fôlego e narrativas para desenvolver, mesmo sem a presença do Rei da Noite. E como disse uma vez o grande vilão Ramsay Bolton, “se você espera um final feliz é porque não está prestando atenção”.

A temporada final de Game of Thrones é transmitida aos domingos pela HBO, às 22h. Os novos episódios também são disponibilizados semanalmente no serviço de streaming HBO Go.