Foto de Game of Thrones

Créditos da imagem: Game of Thrones/HBO/Reprodução

Séries e TV

Lista

Game of Thrones | Como Aerys II se tornou o Rei Louco

Saiba mais sobre a história do pai de Daenerys, Viserys e Rhaegar

Camila Sousa
23.04.2019
13h09
Atualizada em
23.04.2019
18h52
Atualizada em 23.04.2019 às 18h52

Uma das grandes sombras que paira sobre Daenerys Targaryen em Game of Thrones é não repetir os erros de seu pai, Aerys II, conhecido como o Rei Louco. A qualquer demonstração maior de força - como o ataque ao exército Lannister e a execução dos Tarly - a jovem é comparada ao antigo governante, já que muitos temem que ela se torne tão cruel quanto ele. Mas o “Rei Louco” nem sempre foi conhecido por esse nome. Confira abaixo como foi a jornada de Aerys II.

Casamento forçado

A história confusa de Aerys II Targaryen começa ainda em sua juventude. Filho do príncipe Jaehaerys, o segundo filho do rei Aegon, o Improvável, Aerys precisou se casar ainda muito jovem com sua irmã Rhaella, mantendo a tradição da Casa Targaryen de fazer uniões entre si. Os dois não tinham muito carinho um pelo outro, mas o rei Aegon ouviu uma profecia de que o Príncipe que foi Prometido nasceria deste casamento, por isso a união precisava acontecer.

Nesta época, Aerys não estava na linhagem direta para se tornar rei, já que era filho do segundo filho do rei. Rhaella engravidou do primogênito do casal que recebeu o nome de Rhaegar Targaryen. Só que a grande Tragédia de Solarestival mudou para sempre o destino de Aerys. Um grande fogo assolou o local, que era uma das residências oficiais dos Targaryen, matando o rei Aegon e o príncipe Duncan, herdeiro do trono. Foi durante este grande incêndio que Rhaella deu à luz a Rhaegar. O nascimento, inclusive, é um paralelo com Daenerys: enquanto ela foi a “nascida da tormenta” por chegar ao mundo durante uma grande tempestade, Rhaegar é “nascido do fogo”. Com o rei e seu primogênito mortos, a coroa foi para Jaehaerys, pai de Aerys. Mas este reinado durou aproximadamente três anos e logo depois Aerys foi coroado como o soberano de Westeros.

Ciúmes e insegurança

O começo do reinado foi pacífico. Após a Tragédia de Solarestival, o continente estava se recuperando e Aerys foi um bom governante. Na época, ele nomeou Tywin Lannister como seu Mão do Rei por sua competência como administrador. Esse foi o começo da loucura de Aerys. A competência de Tywin era tão grande que muitos diziam que era ele que comandava o reino no lugar de Aerys. O rei ficou cada vez mais inseguro com tais comentários e o Sor Ilyn Payne, que aparece na série, perdeu sua língua por espalhar o boato. Os ciúmes de Aerys se intensificaram, mas Tywin imaginava que estava tudo bem e até organizou um torneio em honra ao rei. O objetivo do Mão era casar Rhaegar com sua filha Cersei e assim unir as famílias. Aerys recusou o convite, fazendo pouco da posição de Tywin e dizendo que o príncipe herdeiro não se casaria com a filha de um vassalo.

Sequestro em Valdocaso

Até aqui fica muito claro como Aerys mudou sua personalidade quando começou a se sentir ameaçado, mas tudo piorou com o Desafio de Valdocaso. O rei resolveu ir até o local praticamente sozinho para prender Denys Darklyn. Seu objetivo era mostrar que ainda era capaz de tomar boas decisões para o reino. Mas Aerys foi preso por Darklyn em um sequestro que durou seis meses. Sor Barristan Selmy se infiltrou em Valdocaso e salvou o rei Aerys, mas a partir de então a paranoia e a crueldade do governante assumiram grandes proporções. Ele ordenou que a Casa Darklyn fosse extinta junto com os Hollard, seus aliados. A história conta que, antes de serem executados, os membros das famílias foram torturados e queimados vivos.

O sequestro também fez Aerys criar um pavor em deixar a Fortaleza Vermelha. O rei passou a acreditar que todos estavam conspirando contra ele, principalmente o Mão Tywin Lannister. Foi nessa época que Aerys contratou os serviços de Varys, o mestre dos sussurros, para saber tudo o que estava acontecendo no reino e o que falavam dele. O Fogovivo passou a ser uma obsessão em sua vida e o povo começou a chamá-lo de Rei Louco.

A relação entre Aerys e Tywin ficou cada vez pior. O rei mostrava interesse em Joanna Lannister, esposa do Mão e isso deixou Tywin enfurecido várias vezes. Ainda assim, ele estava com os filhos na corte esperando que o casamento de Cersei pudesse acontecer. Já o rei casou Rhaegar com Elia Martell e, como um ato final de provocação, nomeou Jaime Lannister, primogênito de Tywin, para a Guarda Real. Com isso ele não poderia se casar e levar o nome da família em frente. Nesta época, Joanna já tinha morrido no nascimento de Tyrion e Tywin ficou tão furioso com o rumo das coisas que pediu demissão do cargo de Mão do Rei e voltou para Rochedo Casterly com Cersei.

Torneio de Harrenhal

Sem seu Mão do Rei por perto, Aerys voltou suas paranoias para o próprio filho Rhaegar. Neste período o príncipe já tinha se tornado querido pelo povo e era descrito como alguém amável, que gostava de ajudar as pessoas e cantar. Aerys começou a acreditar que o jovem iria tirá-lo do trono e muitos dizem que Varys ajudou nessa paranoia, dizendo ao rei que o plano era verdade.

O medo disso fez Aerys deixar a Fortaleza Vermelha e ir até o Torneio de Harrenhal. Lá Rhaegar coroou Lyanna Stark como a Rainha do Amor e da Beleza, sendo que todos esperavam que ele desse o título a sua esposa, Elia Martell. Pouco tempo depois, Rhaegar fugiu junto com Lyanna, já que os dois se amavam, mas a ação ficou parecendo um sequestro, já que ninguém sabia deste sentimento.

Com a irmã desaparecida, Brandon Stark foi até Porto Real desafiar Rhaegar. Ele foi preso e seu pai Rickard Stark foi chamado até a capital para responder pelo filho. Mas Aerys já estava tão perdido em si mesmo que mandou queimar os prisioneiros e Brandon morreu enforcado tentando salvar o pai do fogo. Depois de tal ação cruel e sem julgamento começou a Rebelião de Robert Baratheon, que queria salvar sua prometida Lyanna Stark. Outras casas se uniram à causa, aproveitando para reivindicar a saída de Aerys do comando.

“Queime todos”

Robert Baratheon começou a vencer várias disputas e isso preocupou Aerys. O rei ordenou que uma grande reserva de fogovivo fosse feita, para que ele pudesse explodir Porto Real antes que Robert pudesse tomar a cidade. Muitos conselheiros - incluindo seu Mão na época, o lord Chelsted - foram contra, mas o Rei Louco queimava vivo qualquer um que falasse contra ele. A Batalha do Tridente aconteceu e Rhaegar foi morto por Robert. Ao ouvir as notícias, Aerys mandou sua esposa grávida e seu outro filho, Viserys, para Pedra do Dragão, para a segurança dos dois. Aqui vale ressaltar que a loucura de Aerys também se estendeu ao filho mais novo. Se o rei temia a rebeldia de Rhaegar, ele tinha um cuidado excessivo com Viserys, que sempre era vigiado e não podia ficar sozinho nem mesmo com a mãe. Guardas provavam toda a comida dada ao garoto e os presentes enviados para ele eram queimados por Aerys, que dizia que tudo era “amaldiçoado”.

Voltando à rebelião, Tywin chegou a Porto Real e disse que era real ao rei. Pycelle convenceu o rei a abrir os portões e assim os Lannister fizeram o saque de Porto Real, que resultou nas mortes de Elia Martell e dos filhos de Rhaegar. Vendo que a batalha estava perdida, Aerys quis colocar em prática o plano de queimar a cidade, gritando “queime todos”. Então na Guarda Real, Jaime Lannister ficou com a responsabilidade de proteger o rei e pediu que ele se rendesse para evitar ainda mais mortes. Mas Aerys disse que Jaime que ele deveria matar o próprio pai, Tywin, e trazer sua cabeça até o trono. Vendo que a cidade seria queimada, Jaime matou o alquimista Rossart, que colocaria o plano em prática, e matou o rei Aerys II, recebendo a alcunha de regicida.

Lições da história

Com essa história, fica claro que Aerys desenvolveu sua loucura aos poucos, deixando-se levar pelas paranoias e medo de perder o poder. Para muitos, a jornada do Rei Louco pode refletir o próprio caminho de Daenerys. Desde que chegou em Westeros, a Mãe dos Dragões perdeu um de seus filhos, deixou de lado o objetivo de tomar o Trono de Ferro imediatamente, sofreu várias derrotas em campo e agora descobriu que Jon Snow também é Targaryen e pode estar à sua frente na disputa pelo poder.

Será que tudo isso poderá transformar Daenerys? Ou ela aprendeu a agir diferente e tentará trilhar seu caminho para o poder de outra forma? Só resta aos fãs esperar para ver. A temporada final de Game of Thrones é transmitida na HBO aos domingos, às 22h.