A Casa do Dragão dá início à Dança dos Dragões no melhor episódio do 2º ano

Créditos da imagem: HBO/Divulgação

Séries e TV

Artigo

A Casa do Dragão dá início à Dança dos Dragões no melhor episódio do 2º ano

Spin-off entrega batalha deslumbrante com grandes consequências

Omelete
3 min de leitura
07.07.2024, às 23H05.

A Casa do Dragão finalmente começou! Sim, a segunda temporada exibiu o seu quarto episódio neste domingo (7) e nos encontramos na metade da jornada, mas apenas agora surgiu o sentimento de que a história do novo ano começou a andar após um início entendiante. Em seu melhor episódio até agora, o spin-off de Game of Thrones deu início à famigerada Dança dos Dragões e entregou uma batalha deslumbrante que trará grandes consequências para o decorrer da trama.

[Atenção: spoilers de A Casa do Dragão abaixo]

Game of Thrones nunca foi uma série movida apenas a dragões e grandes batalhas. Ciente disso, o showrunner Ryan Condal segue à risca a fórmula estabelecida na série original e mescla os momentos de ação com sequências onde os diálogos são prioridade para desenvolver seus personagens. É desta forma que a trama política sempre avançou em paralelo com guerra.

São exatamente estes momentos mais "parados" que pavimentam o caminho para os grandes acontecimentos do quarto episódio. Enquanto Daemon (Matt Smith) continua em Harrenhal enfrentando delírios e buscando reunir aliados para o exército de Rhaenyra (Emma D'Arcy), Aegon (Tom Glynn-Carney) se entregou totalmente à teimosia de um rei inflado por seu ego - principalmente após ser humilhado por Aemond (Ewan Mitchell) em frente a todos os membros do Conselho Real.

Aegon, em uma versão bem menos psicopata de Joffrey Baratheon (Jack Gleeson), quer provar a qualquer custo o seu valor como rei. Nem mesmo os conselhos de Alicent (Olivia Cooke) para que ele faça o que se espera dele - ou seja, nada - são capazes de colocar juízo na cabeça do filho de Viserys (Paddy Considine). E é essa atitude intempestiva que quase coloca tudo a perder para o lado dos Verdes.

Criston Cole (Fabien Frankel) segue avançando com seu exército pelas terras do reino para subjulgar aqueles que declararam apoio a Rhaenyra. Sua intenção, no entanto, ela encurralar um dos dragões da princesa em uma batalha no Pouso das Gralhas. Quem morde a isca é Rhaenys (Eve Best), que vai com a dragão Meleys para acabar com a farra do Mão do Rei, mas apenas para dar de cara com Aegon e seu Sunfyre. Contudo, o plano de Cole era que Rhaenys fosse surpreendida por Aemond e Vhagar, que deixam o rei encarar a batalha sozinho por breve período.

A batalha marca o início da Dança dos Dragões e resgata o espírito dos melhores confrontos da franquia. As cenas em que Aegon e Rhaenys se digladiam no topo de seus dragões são visualmente deslumbrantes, e a tensão apenas aumenta quando Aemond e Vhagar decidem se juntar à luta. Definitivamente, ver a "dança" com as três criaturas entrelaçadas no céu foi o presente perfeito após um início lento até demais.

O confronto, claro, trouxe consequências catastróficas para ambos os lados. Rhaenys e Meleys sucumbiram perante os irmãos e deixaram as forças de Rhaenyra ainda mais fracas. Embora Aemond e Vhagar tenham saído ilesos, o caolho não poupou Aegon e deixou o rei e seu dragão muito machucados, para o desespero de Criston Cole.

Para quem não é familiarizado com os eventos de Fogo e Sangue, acompanhar a segunda temporada de A Casa do Dragão será muito mais emocionante a partir de agora. De que lado você está?

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.