Filmes

Artigo

Hobbs & Shaw: vale a pena ver o derivado de Velozes & Furiosos?

Confira o veredito sobre o filme insano estrelado por Dwayne Johnson e Jason Statham

A cozinha
01.08.2019
20h30
Atualizada em
01.08.2019
20h03
Atualizada em 01.08.2019 às 20h03

Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw é primeiro filme da marca iniciada em 2001 sem a presença de Vin Diesel (que esteve até mesmo em Desafio em Tóquio, o primeiro “derivado”). A ideia, tudo indica, começou pelas desavenças nos bastidores entre Dwayne “The Rock” Johnson e Diesel, que se desentenderam durante as filmagens do 8º longa da franquia. Para não perder um astro com o peso de Johnson (e enfrentar possíveis quebras de contrato), a Universal criou Hobbs & Shaw, chamando também Jason Statham para a empreitada. 

A ideia fez com que o nono filme de Velozes & Furiosos fosse adiado para 2020, o que provocou a ira de membros do elenco como Tyrese Gibson, que chegou a ameaçar a deixar a produção por conta de The Rock. Logo ele voltou atrás e o cronograma da franquia seguiu sem problemas, agora com Johnson de um lado e Diesel do outro. E com a chegada de Hobbs & Shaw aos cinemas fica a dúvida: é possível fazer um filme de Velozes & Furiosos sem Vin Diesel?

A resposta é sim. O filme dirigido por David Leitch mostra que a Universal entendeu a marca que tem em mãos, incluindo todos os elementos necessários para tornar o longa parte do universo habitado por Toretto e Cia, mas sem depender do seu primeiro protagonista. A ação sem pé nem cabeça, o humor e as relações familiares continuam lá, criando um produto de ação perfeito para não se pensar em absolutamente nada por 2h15min.

No veredito acima, debatemos mais sobre os momentos insanos do longa, incluindo The Rock laçando um helicóptero, e sobre o que torna Hobbs & Shaw um bom investimento dentro da franquia Velozes & Furiosos. Confira.