SAG sai em defesa de Alec Baldwin após nova acusação de homicídio culposo

Créditos da imagem: Rust Movie Production/Divulgação

Filmes

Notícia

SAG sai em defesa de Alec Baldwin após nova acusação de homicídio culposo

Ator foi indiciado pela morte da diretora de fotografia Halyna Hutchin

Omelete
3 min de leitura
25.01.2024, às 16H17
ATUALIZADA EM 25.01.2024, ÀS 20H54
ATUALIZADA EM 25.01.2024, ÀS 20H54

Screen Actors Guild (SAG-AFTRA), também conhecido como o Sindicato dos Atores dos EUA, saiu em defesa de Alec Baldwin após o ator sofrer nova acusação de homicídio culposo pela morte de diretora de fotografia Halyna Hutchins no set de Rust. A entidade se pronunciou em comunicado oficial enviado à imprensa (via TheWrap).

"Se as acusações apresentadas em 19 de janeiro se baseiam em uma acusação de uso negligente de arma de fogo com base no fato de este ou qualquer ator ter o dever de inspecionar uma arma de fogo como parte de seu uso, isso é uma avaliação incorreta dos atuais deveres de um ator no set", diz o início do comunicado.

"O trabalho de um ator não é ser um especialista em armas de fogo. As armas de fogo são fornecidas para uso no set sob a orientação de vários profissionais especializados, diretamente responsáveis ​​pela operação segura e precisa dessa arma de fogo", continuou o texto.

Para embasar o argumento, o SAG cita os padrões de segurança definidos pela Comissão Conjunta de Segurança de Gestão do Trabalho de toda a indústria cinematográfica. De acordo com as regras, um armeiro experiente e qualificado é encarregado de todo o manuseio, uso e guarda de armas de fogo no set. Essas funções incluem "inspecionar a arma de fogo e o cano antes e depois de cada sequência de disparo e verificar todas as armas de fogo antes de cada uso".

A declaração da entidade ainda diz que, se a acusação sugerir que Baldwin deveria garantir que a arma era segura, isso está fora dos limites da responsabilidade de um ator. "Os artistas treinam para atuar, e não é exigido nem esperado que sejam especialistas em armas ou experientes em seu uso."

A nova acusação aconteceu após os promotores do caso, Kari Morrissey e Jason Lewis, mergulharem em novas investigações para descobrir o que de fato aconteceu no dia do incidente. Em julho do ano passado, eles enviaram a arma que vitimou Hutchins para mais testes forenses. Seus especialistas, Lucien e Michael Haag, reconstruíram a arma – que havia sido quebrada durante os testes do FBI – e concluíram que ela só poderia ter sido disparada puxando o gatilho.

A descoberta anularia o argumento da equipe jurídica de Baldwin, que alega nunca ter puxado o gatilho. Segundo a versão do ator, a arma teve mau funcionamento e disparou sozinha.

Hannah Gutierrez-Reed, antiga armeira do filme, tem julgamento marcado para 21 de fevereiro. Ela enfrenta acusação de homicídio culposo e adulteração de provas. Gutierrez Reed carregou por engano uma bala real na arma de Baldwin.

Após a tragédia, Rust retomou as gravações em maio do ano passado. Agora, os produtores buscam acordo para a distribuição do filme.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.