Olivia Wilde e Beanie Feldstein no set de Fora de Série

Créditos da imagem: Francois Duhamel / Annapurna Pictures / Divulgação

Filmes

Lista

Oscar 2020 | As diretoras que poderiam ter sido indicadas

Greta Gerwig, Olivia Wilde, Lulu Wang e mais!

Natália Bridi
13.01.2020
10h42
Atualizada em
13.01.2020
12h13
Atualizada em 13.01.2020 às 12h13

Apesar do número de filmes dirigidos por mulheres entre as 100 maiores bilheterias de 2019 ter batido recorde, a presença de diretoras na temporada de premiações tem sido escassa. Abaixo, listamos algumas das diretoras que tiveram destaque em 2019 e que poderiam muito bem ter sido lembradas pelo Oscar 2020

Greta Gerwig - Adoráveis Mulheres

Elenco de Adoráveis Mulheres
Adoráveis Mulheres/Columbia Pictures/Reprodução

Indicada em 2018 nas categorias de Melhor Direção e Melhor Roteiro Original por Lady Bird, Gerwig comanda a nova adaptação de Adoráveis Mulheres (Little Women) com um elenco de jovens talentos, incluindo Saoirse Ronan, Emma Watson, Florence Pugh e Timothée Chalamet. Apesar de ser um nome forte por sua história com a Academia, Gerwig não foi lembrada pelo Sindicato dos Diretores, sendo indicada apenas pelo Sindicato dos Roteiristas pela adaptação do romance de Louisa May Alcott, o que também se repetiu entre os indicados ao Oscar 2020. 

Lulu Wang - The Farewell

Elenco de The Farewell
The Farewell/A24/Reprodução

Lembrada no circuito independente desde que The Farewell levou o prêmio do público no Festival de Sundance e foi indicado nas categorias de Filme Estrangeiro do Globo de Ouro (apesar do filme ser uma produção norte-americana falada em inglês e mandarim) e Filme não falado em Inglês no BAFTA, Lulu Wang traduz perfeitamente no seu segundo longa-metragem a realidade do imigrante que se vê entre duas pátrias, no caso os EUA e a China. É uma história sobre família, sobre legado cultural, contada com personalidade. 

Kasi Lemmons - Harriet

Cynthia Erivo em Harriet
Harriet/Focus Features/Reprodução

Em seu quarto longa-metragem, Kasi Lemmons conta a história real de Harriet Tubman, que ajudou a libertar centenas de escravos, estabelecendo uma história de fuga e heroísmo de aura clássica. Cynthia Erivo, que interpreta a personagem-título, recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz pelo papel e também de Canção Original por "Stand Up", música-tema do filme. 

Céline Sciamma - Retrato de Uma Jovem em Chamas

Noémie Merlant e Adèle Haenel em Retrato de uma Jovem em Chamas
Retrato de uma Jovem em Chamas/Lilies Films/Reprodução

Em seu quarto longa-metragem depois de concluir uma trilogia sobre desabrochar e amadurecimento juvenil, Céline Sciamma cria em Retrato de Uma Jovem em Chamas uma história sobre descoberta: afetiva e intelectual. É um filme completo, em que todos os elementos conversam harmonicamente, traduzindo não só esteticamente sua temática artística, mas o estado emocional das suas personagens. 

Alma Har'el - Honey Boy

Noah Jupe em Honey Boy
Honey Boy/Amazon Studios/Reprodução

Indicada pelo Sindicato dos Diretores na categoria de cineastas estreantes, Alma Har'el faz do seu primeiro longa-metragem (depois de assinar documentários, curtas e videoclipes) um legítimo esforço cinematográfico, elaborado com sensibilidade, atuado com precisão e amarrado por uma construção estética bem resolvida, não sendo ofuscado pela sua origem: as polêmicas desventuras de Shia LaBeouf

Olivia Wilde - Fora de Série

Kaitlyn Dever e Beanie Feldstein em Fora de Série
Fora de Série/Annapurna Pictures/Reprodução

Olivia Wilde levou sua experiência como atriz para sua estreia na direção de um longa-metragem, dando a Fora de Série (Booksmart) uma profundidade que poderia ter sido descartada em troca de uma aventura adolescente fácil. Wilde deu personalidade (e feminilidade) a uma história de descoberta e amizade e traduziu todas as nuances das atuações de Kaitlyn Dever e Beanie Feldstein.

Lorene Scafaria - As Golpistas

Costance Wu e Jennifer Lopez em As Golpistas
As Golpistas/Annapurna Pictures/Reprodução

Em uma trama sobre strippers e trambiques, o desejo é peça central, mas a direção de Lorene Scafaria garante que essa temática não se limite ao sexo. A ânsia por dinheiro, sucesso e amor tem o mesmo espaço. Essa representação humana completa cria um filme altamente atrativo, seja pela beleza que coloca na tela, seja pelo fascínio pelo golpe com gosto de vingança.

Marielle Heller - Um Lindo Dia na Vizinhança

Tom Hanks e Matthew Rhys em Um Lindo Dia na Vizinhança
Um Lindo Dia na Vizinhança/TriStar Pictures/Reprodução

Depois do ótimo Poderia Me Perdoar?, Marielle Heller continua seus esforços pelo gênero biográfico com a adaptação do artigo de Tom Junob sobre seu encontro com o apresentador Fred Rogers. Além de traduzir perfeitamente o espírito do celebrado programa infantil, a diretora aproveita cada cena de Tom Hanks, mesmo que em um papel secundário, para honrar da melhor forma o legado de Mr. Rogers