James Dean em Vidas Amargas/Warner Bros.

Créditos da imagem: Warner Bros./Divulgação

Filmes

Notícia

Atores reagem à reconstrução digital de James Dean para filme

Chris Evans e Zelda Williams criticaram atitude de diretores de Finding Jack

Nicolaos Garófalo
09.11.2019
19h19
Atualizada em
09.11.2019
19h55
Atualizada em 09.11.2019 às 19h55

A escolha polêmica dos diretores Tati Golykh e Anton Ernst de recriar digitalmente o ator James Dean para o filme Finding Jack, adaptação do livro homônimo de Gareth Crocker que aborda o abandono de 10 mil cães militares ao fim da Guerra do Vietnã, causou revolta entre alguns profissionais de Hollywood.

Chris Evans, o ex-Capitão América do MCU, comentou a notícia ironicamente no Twitter, dizendo que Dean adoraria ser recriado em CGI e comparou a medida a usar um robô para compor uma música e creditá-la a John Lennon – leia abaixo:

Tenho certeza que ele iria adorar. Isso é horrível! Quem sabe a gente não consiga que um computador pinte um novo quadro Picasso ou componha algumas músicas novas do John Lennon. A falta de compreensão é vergonhosa

Elijah Wood, eterno Frodo Bolseiro, concordou com o colega, sendo seguido da atriz Zelda Williams, filha do lendário comediante Robin Williams, que também não escondeu o descontentamento com a tecnologia:

NÃO. Isso não deveria existir!

Eu falei sobre isso com meus amigos por ANOS e ninguém acreditou em mim quando disso que a indústria jogaria tão baixo quando a tecnologia permitisse. Golpe publicitário ou não, estão usando um morto como marionete por sua ‘influência’ e estão abrindo um terrível precedente para o futuro da atuação

Ator que fez teste para o papel que ficou com “Dean”, Devon Sawa (Premonição) também questionou a escolha. Já Julie Ann Emery (Preacher) quis se aprofundar nas diversas questões legais envolvendo a “atuação”:

Eles não podiam ter dado o papel para um ser humano?

É, esse não é o James Dean. É a cara dele refeita com captação de movimentos com um ator ‘anônimo’ lhe dando voz e escolhas. Quero saber como isso será creditado. Como os atores serão pagos. E o quão pouco essa equipe entende de atuação.

Em resposta à reação dos atores, Ernst se disse confuso e chateado com as declarações daqueles que afirmavam que Dean estava sendo usado apenas como uma ferramenta de marketing, afirmando que a produção trará uma nova geração de fãs para o ator, morto em um acidente automobilístico em 1955 (via The Hollywood Reporter).

A pré-produção de Finding Jack começa no próximo dia 17, com data de lançamento prevista para 11 de novembro de 2020.