Cena de luta no filme King Kong versus Godzilla

Créditos da imagem: Divulgação/Toho

Filmes

Artigo

Godzilla vs Kong | Relembre o 1º embate entre os maiores monstros da cultura pop

Titãs se encontraram pela primeira vez em um clássico da década de 1960

Gabriel Avila
05.05.2021
14h55

Godzilla vs Kong é o evento que os fãs de monstros gigantes esperam desde que a Legendary iniciou seu MonsterVerse. Após preparar terreno com Godzilla, Godzilla 2: Rei dos Monstros e Kong: Ilha da Caveira, esse universo compartilhado finalmente colocou suas duas maiores estrelas frente a frente. O que talvez você não saiba, é que esse confronto é o segundo encontro desses titãs, que saíram na porrada pela primeira vez em um filme que mudou para sempre o cinema de monstros.

Produção japonesa, King Kong vs. Godzilla chegou aos cinemas do mundo todo em 1962 e conta de um incrível embate que começou por conta de um anúncio publicitário. No filme, o presidente de uma empresa farmacêutica tem a inusitada ideia de capturar e levar King Kong ao Japão para promover sua marca e aumentar as vendas. Acontece que o primata chega ao país justo no momento em que o Godzilla escapa do iceberg que o mantinha preso e volta a causar caos e destruição. Assim tem início uma luta que uniu duas franquias que estavam em momentos muito diferentes.

Naquele ponto, King Kong já era um ícone absoluto. Lançado em 1933, o longa de Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack impressionou público e crítica por uma revolucionária técnica que misturava animação stop-motion com filmagens em live-action, e lucrou mais de US$ 5 milhões para um orçamento de US$ 672 mil. O filme chegou a ganhar uma continuação no mesmo ano chamada O Filho de King Kong e se tornou um clássico que décadas depois inspirou a criação de um outro monstro do outro lado do mundo.

Lançado em 1954, Godzilla se tornou outro marco do cinema. Dirigido por Ishiro Honda, o longa foi uma corajosa resposta do Japão aos horrores da bomba nuclear, que assombraram o país durante a Segunda Guerra Mundial. Com uma forte metáfora sobre como as bombas e a ganância humana pode levar à destruição, o filme foi um sucesso instantâneo a ponto de também ganhar uma sequência, Godzilla Contra-Ataca, e chegar aos Estados Unidos - em uma versão reeditada para suavizar a parte crítica do roteiro.

Com dois filmes cada, os monstros se encontraram graças à uma frustrada ideia de Willis O'Brien, um dos animadores do King Kong original, de colocar o primata gigante contra o monstro de Frankenstein. Como a produção não foi para frente nos EUA, O’Brien e o produtor John Beck levaram a ideia ao estúdio japonês Toho, que contratou o experiente Shinichi Sekizawa (Mothra) para reescrever o texto para substituir Frankenstein por ninguém menos do que Godzilla.

Cartaz japonês de King Kong versus Godzilla
Divulgação/Toho

Com direção de Ishiro Honda, cineasta responsável por Godzilla, King Kong vs Godzilla marcou um avanço para ambas as franquias. Sendo o terceiro filme para as duas, essa foi a primeira vez em que o público pôde conferir os monstros em cores e em widescreen - já que os longas anteriores tinham o tradicional formato 4:3.

Esse também foi o primeiro longa dos monstros a ter “versus” no título, o que acabou ditando uma tendência que colocou suas estrelas em diversos embates ao longo de suas carreiras cinematográficas. Vale dizer que não foi o primeiro filme com lutas de monstros, já que o próprio Godzilla já havia combatido Anguirus em Godzilla Contra-Ataca, de 1955. Porém, há um enorme mérito em trazer o holofote para a briga de dois personagens temidos e amados pelo público.

Quem venceu a primeira luta?

Antes de colocar os monstros pra brigar, King Kong vs Godzilla investe em mostrar as proezas destrutivas de seus dois campeões. Quando eles finalmente se encontram, há um combate em dois rounds. No primeiro o embate é à distância, com Kong jogando pedras e Godzilla respondendo com seu famoso hálito atômico. Em desvantagem por conta da força de seu oponente, Kong recua e leva sua ira de volta à civilização.

Depois de destruir casas e sequestrar uma garota inocente - e, é claro, escalar um prédio com ela em mãos -, o primata é colocado para dormir e levado por balões até a localização de Godzilla para uma revanche. Esse segundo confronto já está mais próximo do que se espera dos oponentes, com um corpo-a-corpo com direito a empurrão, soco na cara, golpe de cauda e pedrada.

Após uma sequência de golpes, Kong bate a cabeça em uma pedreira e perde as forças. O monstro até tenta reagir, mas é presa fácil para a cauda de Godzilla e seu hálito atômico. Quando está prestes a ser executado pelo inimigo, o primata é atingido por um raio, o que recarrega suas forças e permite que ele ataque o do Rei dos Monstros com ferocidade. Após uma briga intensa que chegou a causar um terremoto, King Kong deixa o Japão nadando e Godzila desaparece com a possibilidade de estar morto.

O legado King Kong vs Godzilla fala por si só. Além de manter o recorde de ser o filme do Godzilla com maior arrecadação na história do Japão, o longa iniciou a tradição de colocar o Rei dos Monstros em embates com outros monstros em filmes lançados quase anualmente. Já o Kong ganhou um novo filme japonês pela Toho antes de voltar aos Estados Unidos, onde ganhou remakes em 1976, 2005 e um reboot no MonsterVerse.

Ainda não se sabe se o novo Godzilla vs Kong de 2021 segue o mesmo caminho de seu antecessor ou se a porradaria vai ganhar novos contornos. Mas é inegável que essa icônica primeira luta marcou a história de ambos os monstros e pavimentou o caminho para esse embate que promete responder de forma definitiva quem é o monstro mais forte do cinema.

Godzilla vs Kong será lançado em 6 de maio nos cinemas brasileiros. Lá fora, o filme estreou simultaneamente nas telonas e no streaming HBO Max.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.