Entenda por que Fênix Negra é a despedida dessa geração de X-Men

Créditos da imagem: 20th Century Fox/Divulgação

Filmes

Artigo

Entenda por que Fênix Negra é a despedida dessa geração de X-Men

Longa já está em cartaz nos cinemas

Mariana Canhisares
07.06.2019
17h24

Fênix Negra marca a despedida dos X-Men das telonas após quase 20 anos. Embora o longa de fato sele o destino de alguns mutantes, a razão para o adeus ao Professor X de Patrick Stewart e James McAvoy, assim como ao Magneto de Ian McKellen e Michael Fassbender não tem qualquer relação com a jornada de Jean Grey, ou sequer com as projeções pessimistas da bilheteria de estreia do filme. O motivo, na realidade, é corporativo.

Em dezembro de 2017, a Walt Disney anunciou a compra da 20th Century Fox, assumindo o controle de grandes propriedades que estavam nas mãos do estúdio, como Alien, Avatar, Quarteto Fantástico e os próprios X-Men. Com a fusão oficializada em março deste ano, agora as próximas produções que trarão Wolverine e companhia dependem dos planos de Kevin Feige no Marvel Studios, ou seja, devem começar a jogar dentro das regras do MCU. Porém, essa transição não deve ocorrer nos próximos anos, como o próprio executivo afirmou. "Creio que vai demorar um pouco. Está tudo apenas no começo e o plano original para os próximos cinco anos segue como prioridade".

Até lá, a Disney não deve continuar a investir nessa geração de mutantes. Pelo contrário. O presidente da Walt Disney Studios Alan Horn já anunciou publicamente que Fênix Negra é "a despedida perfeita do nosso time de X-Men", dando a entender que a equipe terá novos atores, quando esta finalmente se juntar ao universo dos Vingadores.

A decisão, ainda que possa desapontar alguns fãs, é bastante lógica. Afinal, ainda que a Marvel possa usar a cartada do multiverso, tentar justificar a coexistência desses personagens numa mesma realidade, na qual eles não têm conhecimento uns dos outros, seria muito forçado. Além disso, a franquia já se despediu de alguns dos seus grandes nomes, como Hugh Jackman. Logo, se será necessário reescalar o Wolverine, talvez o personagem mais amado da franquia, por que não mudar todo o elenco?

Vale notar que ao menos um dos mutantes será mantido do jeito que está: o Deadpool de Ryan Reynolds. "Quando fomos comprados, Bob [Iger, presidente da Walt Disney Company] nos disse 'se não está quebrado, não o conserte'", explicou Kevin Feige. "Não há dúvidas de que Deadpool está funcionando, então por que mudaríamos?". Não se sabe ainda se Reynolds terá tanto controle criativo como antes, mas Iger garante que os longas do mercenário tagarela ao menos continuarão para maiores de 18 anos.

Há de se considerar nessa equação também Os Novos Mutantes. Desde o anúncio da fusão entre Disney e Fox, o terror dos X-Men foi adiado três vezes - originalmente, o lançamento era previsto para abril de 2018, agora só chega em abril de 2020. Dirigido por Josh Boone, a produção passará por regravações, mas o destino também parece envolto por incertezas.

Em outras palavras, vai demorar para que a nova fase dos mutantes na Marvel de fato seja anunciada. Por enquanto, resta aos fãs a nostalgia dos sete filmes estrelados pelos X-Men, incluindo Fênix Negra, que está em cartaz nos cinemas.