Ewan McGregor em Doutor Sono

Créditos da imagem: Doutor Sono/Warner Bros./Divulgação

Filmes

Lista

Doutor Sono | 12 easter eggs da continuação de O Iluminado

Cenas clássicas de volta, elementos do livro de Stephen King e mais!

Arthur Eloi
08.11.2019
17h39

Doutor Sono finalmente chegou aos cinemas! A sequência de O Iluminado vem repleta de segredos e referências, seja à outras obras de terror, ao clássico de Stanley Kubrick ou então ao livro original de Stephen King. Abaixo, listamos alguns dos easter eggs do filme de Mike Flanagan (A Maldição da Residência Hill).

 [Cuidado! Spoilers de Doutor Sono abaixo]

Tema clássico

O primeiro frame já deixa claro o carinho pelo trabalho de Kubrick, apresentando o logotipo oitentista da Warner Bros. ao som da clássica trilha sonora que embalou o filme anterior.

Danny pelos corredores

O protagonista Danny Torrance é apresentado em uma recriação da cena de O Iluminado em que o garoto anda de triciclo pelos corredores do Hotel Overlook. Ele então para na frente do quarto 237, local em que o fantasma de Lorraine Massey - a velha da banheira - atormenta a criança e seu pai, Jack Torrance, no filme original (guarde esse número, iremos falar disso daqui a pouco). Aqui, no caso, é apenas um sonho ruim, e logo depois vemos Danny em sua casa, acordando do pesadelo. Mas isso não significa que ele está seguro.

Fantasma na banheira de casa

Mesmo em casa Danny é atormentado pela velha da banheira, vendo-a no banheiro de sua casa, bem longe do Overlook. Após conversar com Halloran, o falecido cozinheiro do hotel, ele aprende uma forma de enfrentá-la.

A Hora do Pesadelo

Já adulto, Danny Torrance busca um novo começo em Frazier, no interior de Nova Hampshire, Estados Unidos. O protagonista viaja de ônibus, e desce em Elm Street. A rua é nomeada de acordo com a icônica locação da franquia A Hora do Pesadelo (chamada de A Nightmare on Elm Street em inglês). Curiosamente, a Elm Street da franquia de Wes Craven fica em Ohio, então Doutor Sono empresta apenas o nome.

Outra parte interessante é que o ônibus que Danny pega para chegar à cidade é da Corporação Tet, a mesma de A Torre Negra.

O Emprego de Danny

Para estabelecer uma nova vida longe do alcoolismo, Danny busca emprego no hospital da nova cidade. Seu processo de entrevista acontece em uma sala visualmente muito parecida com a que seu pai, Jack Torrance, foi entrevistado para a vaga de trabalho do Hotel Overlook.

Casa de Abra

Falando em locações, outra curiosidade é o número da casa em que Abra mora. A coprotagonista vive no número 1980, ano de lançamento do filme de Stanley Kubrick.

O Danny Torrance original

Todas as cenas de O Iluminado que aparecem foram regravadas por Mike Flanagan, usando atores diferentes. Mesmo assim Danny Lloyd, que viveu o garoto Danny Torrance na obra de Stanley Kubrick, dá as caras durante um jogo de baseball, e comenta o talento de um menino que está disputando a partida (sem nem saber que a criança terá um destino terrível).

Conexões com A Torre Negra

O destino terrível para o jogador de baseball é, no caso, ser torturado pelo Verdadeiro Nó, que depois o enterra em um terreno industrial abandonado. A propriedade é das Indústrias LaMerk que, em A Torre Negra, são uma empresa sob a influência de forças do mal. A Corporação Tet, por sua vez, é o oposto, servindo às forças do bem. No filme ambas seguem esses papéis: a Tet é responsável por levar Danny até a cidade onde encontrará melhora, enquanto a LaMerk fornece o espaço para uma criança ser brutalmente assassinada.

Outra referência à obra de King, que une o universo do autor, vêm na forma do fantasma de Halloran em um diálogo com Danny, quando diz que “Ka está sempre rodando”. Ka, no caso, é a conjunção de todos os seres vivos, em constante movimento, e que garante a ordem no universo.

O Quarto de King

Essa cena em que Halloran visita Danny acontece no Quarto 217 do hospital em que o protagonista trabalha. O número é o mesmo da suíte de Lorraine Massey, a velha da banheira, na obra original de Stephen King - mas não na primeira adaptação cinematográfica. Quando Kubrick levou o momento para as telas na década de 1980, precisou alterar o número para 237 a pedido dos donos do hotel que servia como locação para o Overlook. O motivo é que os administradores não queriam associar a assombração com um quarto real da propriedade, para evitar que futuros visitantes ficassem com medo do lugar. O filme de 2019, por sua vez, encontra uma forma de homenagear ambos os números.

Viagem ao Overlook

Quando Danny e Abra decidem ir ao Hotel Overlook para o confronto final, a cena da viagem de carro pelas montanhas é conduzida com os mesmos enquadramentos que Stanley Kubrick usou para abrir seu filme em 1980.

“Tome o seu Remédio”

No Overlook, Danny enfrenta o espírito de seu pai. Mas Jack tenta fazer com que ele volte ao alcoolismo, falando para que o filho “tome o seu remédio”. A frase é icônica no livro de King, falada justamente quando Jack persegue sua família com um martelo de críquete. No filme de Kubrick a frase foi deixada de lado, e o martelo virou um machado.

O Fim

O livrotermina de forma bem diferente. Ao invés de Jack morrer em um labirinto de gelo como no longa, o cozinheiro Halloran (que aqui não é assassinado) ajuda Danny e sua mãe a escaparem do Overlook, que explode por uma caldeira defeituosa. Agora, Doutor Sono vêm para apresentar isso nas telonas, só que com Danny adulto percebendo que é a única forma de acabar com o mal do Verdadeiro Nó e dos fantasmas que o perseguem.