A plataforma de streaming Disney+

Créditos da imagem: Disney/Reprodução

Filmes

Notícia

A 4 dias do lançamento no Brasil, tiramos todas as suas dúvidas sobre o Disney+

Saiba tudo sobre preços, funcionamento e catálogo da plataforma de streaming, que chega no dia 17

Natalia Engler
13.11.2020
10h00
Atualizada em
17.11.2020
12h19
Atualizada em 17.11.2020 às 12h19

Faltam quatro dias para o aguardado lançamento do Disney+, plataforma de streaming da Disney que chega ao Brasil quase exatamente um ano depois do lançamento nos Estados Unidos, na próxima terça-feira (17). A ansiedade não é à toa: o serviço vai reunir em um único lugar de três das marcas mais valiosas do entretenimento hoje: Disney, Marvel e Star Wars.

E mesmo que as últimas semanas tenham sido cheias de notícias sobre a plataforma, é possível que você ainda esteja um pouco perdida ou perdido, tentando entender os planos disponíveis, o funcionamento da plataforma e o acervo que ela vai oferecer. Pensando nisso, reunimos aqui e respondemos as principais dúvidas sobre o Disney+, para ninguém ficar ansioso (ou ficar ainda mais).

Quando é o lançamento?

O Disney+ entra no ar às 7h da terça-feira, 17 de novembro.

Como faço para assinar?

Mesmo que a plataforma ainda não esteja no ar, já é possível se inscrever no site oficial.

Quanto custa?

As mensalidades saem por R$ 27,90 por mês, mas quem optar por pagar um ano todo de uma vez ganha um desconto: a anuidade sai por R$ 279,90 (equivalente a R$ 23,32 por mês).

Tem mais desconto?

Tem sim. Até o dia 16, véspera do lançamento, a anuidade está com o valor promocional de R$ 237,90 (equivalente a RS$ 19,82 por mês). Além disso, a plataforma fechou uma parceria com o Globoplay para oferecer um pacote que dá direito aos dois serviços de streaming.

E esse pacote Globoplay + Disney+, como funciona?

O pacote começa a ser vendido no dia 17 de novembro, mas já é possível realizar um pré-cadastro no site www.globoplay.com/disneyplus. O acordo entre a rede brasileira e a gigante norte-americana prevê dois tipos de pacotes: 

  • básico, com o Disney+ e o conteúdo on demand do Globoplay, por R$ 43,90 por mês no plano mensal ou 12 parcelas de R$ 37,90 no plano anual (total de R$ 454,80);

  • mais completo, que também inclui os canais ao vivo da plataforma da Globo, por R$ 69,90 por mês no plano mensal, ou 12 parcelas de R$ 59,90 no plano anual (total de R$ 718,80).

A oferta também está disponível para os atuais assinantes Globoplay que tiverem contratado o serviço pela web, que poderão fazer upgrade de seus pacotes (assinaturas por meio de lojas de aplicativos ou operadoras de telefone não serão contempladas). Vale lembrar que as plataformas vão operar de forma independente, sem uma interface que unifique os dois catálogos.

Consigo experimentar de graça?

Sim, por sete dias. E também dá para ganhar meses gratuitos se você for cliente de algum dos parceiros do Disney+ no Brasil. Mercado Livre, Bradesco, Next e Vivo estão oferecendo mensalidades grátis e outras facilidades para seus usuários. Em todos os casos, a pré-venda já está disponível.

  • Bradesco: dois a seis meses de Disney+ grátis no plano anual para quem assinar usando um de seus cartões, a depender do nível do cartão; para os cartões mais básicos, há fidelidade de 12 meses na assinatura.

  • Next: dois a três meses de Disney+ grátis no plano anual para quem assinar usando um de seus cartões, a depender do nível do cartão;

  • Mercado Livre: até seis meses grátis de Disney+ no plano anual, a depender do nível de Mercado Pontos;

  • Vivo: um mês de Disney+ grátis no plano anual para os clientes atuais que não desejarem mudar de plano; plano Vivo Fibra 100Mbps com Disney+ incluído por R$ 154,99 mensais; plano pós de 50GB com Disney+ incluído, de R$ 159,99 por R$ 129,99 mensais nos três primeiros meses.

Como faço para assistir?

Basta acessar o Disney+ no computador ou baixar o aplicativo que estará disponível em dispositivos Apple, Android e Amazon Fire, incluindo Apple TV, Chromecaste TVs Android, além de Roku, Xbox e Playstation e modelos de smart TV Samsung e LG a partir de 2016.

Como funciona a plataforma?

A plataforma do Disney+ é muito semelhante às de outros serviços de streaming, com destaques no topo da tela, listas de novidades e sugestões de acordo com o perfil do usuário, uma divisão entre filmes e séries e subdivisões por gêneros como drama, comédia etc. A principal diferença é que logo abaixo dos principais destaques há botões que permitem acessar diretamente a lista completa dos conteúdos das marcas principais da plataforma: Disney, Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic.

Posso baixar os filmes e episódios de séries para assistir offline?

Sim, todo o conteúdo poderá ser baixado, sem restrições, em até dez dispositivos.

Quantas pessoas podem usar a mesma conta?

É possível criar até sete perfis diferentes para cada assinatura, incluindo perfis para crianças, com limitações definidas pelos pais. Além disso, o Disney+ permite que até quatro telas sejam assistidas simultaneamente.

Vou poder ver os próximos lançamentos aqui no Brasil ao mesmo tempo que os usuários dos Estados Unidos?

Segundo Juliana Oliveira, head de estratégias e novos negócios da Disney no Brasil, os principais lançamentos serão disponibilizados simultaneamente, enquanto os menores serão analisados caso a caso. Portanto, os novos episódios de The Mandalorian, além de produções aguardadas, como a série WandaVision, estreiam aqui ao mesmo tempo que nos Estados Unidos.

O que tem no catálogo do Disney+?

Já na estreia, o serviço vai contar com todas as produções dos estúdios Walt Disney, Lucasfilm, Pixar e Marvel já lançadas, além de conteúdo do canal National Geographic e algumas produções inéditas no Brasil, como a série The Mandalorian, o álbum visual Black Is King, de Beyoncé, a versão em live-action de A Dama e o Vagabundo, o musical Hamilton e a nova versão de High School Musical, entre outros (veja a lista completa).

Vai ter as produções da Fox?

Ainda é incerto, mas Juliana Oliveira sinalizou que aquilo que chamam de "conteúdo geral" deve ir para o catálogo da plataforma que se chamará Star, de modo semelhante ao que acontece com o Hulu nos Estados Unidos. Já se sabe que Os Simpsons, por exemplo, não terão todas as temporadas dispóníveis no Disney+.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.