Alita: Anjo de Combate | Filme carrega a essência do mangá segundo autor

Créditos da imagem: Divulgação/Twentieth Century Fox

Filmes

Notícia

Alita: Anjo de Combate | Filme carrega a essência do mangá segundo autor

Yukito Kishiro revelou também desejo de se tornar um cineasta

Gabriel Avila
11.02.2019
14h22
Atualizada em
11.02.2019
17h15
Atualizada em 11.02.2019 às 17h15

Yukito Kishiro, o autor do mangá que inspirou Alita: Anjo de Combate, revelou em entrevista ao CBR que está muito orgulhoso com a adaptação de sua obra para o cinema:

“Para os fãs antigos, que vêm seguindo a franquia há um bom tempo, acho que posso dizer com segurança que esse filme realmente carrega a essência do que estava no trabalho original. Acho que há muitos motivos para ficarem animados e ligados para o que vem a seguir. Para aqueles experimentando [Alita] pela primeira vez, genuinamente acho que foi um filme maravilhoso, e espero que vocês se apaixonem por esse mundo.”

Kishiro relembrou também como sua paixão por artes marciais influenciou as lutas de ação do mangá:

“Acredito que as artes marciais são chamadas de arte por uma razão: há um elemento de graça nisso. Então em cada coreografia, em cada cena, eu sempre tentava imaginar um balanço. E isso será diferente para cada personagem. Por exemplo, para um lutador sem experiência você coloca dois deles e será um páreo duro. Porém, se alguém é bem treinado nas artes, você verá mais do lado gracioso”

O autor revelou ainda que Alita saciou um desejo antigo em se tornar cineasta:

“Quando eu era jovem, era meu sonho virar um diretor de cinema. Queria produzir filmes como Star Wars, mas desisti quando virei artista de mangás. E levou décadas, mas de certa forma, nós fizemos esse filme acontecer."

Baseado no mangá Battle Angel Alita, o filme dirigido por Robert Rodriguez com produção de James Cameron conta a história da personagem-título, que vive em um mundo cyberpunk ambientado no século 26. Na trama, o caçador de recompensas Daisuke Ido encontra uma ciborgue avariada e resolve tratá-la como filha, dando-lhe o nome de Alita. Inspirada no pai adotivo, a menina eletrônica decide, então, seguir seus passos e tornar-se também uma caçadora.

A estreia está marcada para 14 de fevereiro.