365 Dias

Créditos da imagem: Next Film/Divulgação

Filmes

Lista

8 filmes bons para quem curtiu 365 Dias

Filmes quentes com grandes performances e bons diretores

Julia Sabbaga
23.06.2020
12h38

365 Dias, o soft-porn recém-adicionado à Netflix, fez um estrondoso sucesso na plataforma. É relativamente natural: com todos quarentenados dentro de casa, a temperatura aumenta e a carência também, e nada mais comum do que ir atrás de um fácil conforto, que fica ainda menos censurável quando é disponibilizado em um dos maiores streamings. 

Mas convenhamos, 365 Dias não é uma realização memorável. E se você quer aproveitar um clima quente sem abrir mão de qualidade cinematográfica, não é preciso cavar muito. Por isso, selecionamos abaixo algumas obras que valem a pena conferir, não apenas por seu conteúdo sexual mas porque elas entregam tramas, direções ou atuações que estão anos-luz do filme polonês da Netflix. 

Confira 8 filmes bons para quem curtiu 365 Dias:

Segundas Intenções

Segundas Intenções
Columbia Pictures/Divulgação

Segundas Intenções é talvez o ápice do filme erótico adolescente, até porque ele traz um elenco irresistivelmente anos 90. Nessa reinterpretação de Ligações PerigosasSarah Michelle Gellar e Ryan Phillippe atuam como dois riquinhos entediados que brincam de envolver os outros em seus jogos sexuais. 

Dirigido por Roger Kumble, Segundas Intenções conta a história de uma aposta feita entre estes dois irmãos, envolvendo a virgindade da filha do diretor da escola, Anette (Reese Witherspoon). Cheio de cenas quentes - incluindo o icônico beijo de Sarah Michelle Gellar e Selma Blair - Segundas Intenções é uma aposta certa para quem quer entretenimento adolescente com travessuras sexuais. 

Onde assistir: lançado em DVD pela Columbia Pictures no Brasil.

Ata-Me

Ata-Me
El Deseo/Divulgação

O mais curioso de Ata-Me, longa de Pedro Almodóvar de 1989, é que sua premissa é bem parecida com a de 365 Dias. No filme, o personagem de Antonio Banderas é liberado de um hospital psiquiátrico e vai atrás de uma antiga paixão sua: a atriz pornô Marina (Victoria Abril). Sequestrando a moça, Ricky amarra ela na cama até que ela aprenda a amá-lo. Parece familiar?

As diferenças, no entanto, não faltam. Não apenas Ata-Me é um filme muito bonito de assistir, como os personagens tem uma complexidade muito bem construída, como aqueles sujeitos problemáticos que só Almodóvar sabe fazer. Ainda, Banderas e Abril têm química de sobra, e figuram cenas quentes memoráveis. 

Onde assistir: disponível em streaming no Telecine Play e Prime Video.

Garotas Selvagens

Garotas Selvagens
Mandalay Entertainment/Divulgação

Sejamos sinceros: Garotas Selvagens não é exatamente aquela obra-prima cinematográfica, mas ele realmente é uma pérola do cinema trash. Cheio de cenas super quentes, o thriller de 98 ficou marcado por sua ousadia e originalidade, e chamou atenção por contar com um elenco tão bom. 

Com Kevin Bacon, Matt Dillon, Neve Campbell, Denise Richards e até Bill Murray, Garotas Selvagens é, em sua essência, um filme de investigação. Mas são tantas tramas, revelações e twists, que o filme é muito mais que isso, incluindo cenas picantes e nada sutis.

Onde assistir: disponível para compra/aluguel no Google Play.

Instinto Selvagem

Instinto Selvagem
Carolco Pictures/Divulgação

Uma lista de sugestão de filmes eróticos bons não poderia ficar sem o diretor Paul Verhoeven, conhecido por diversas tramas que envolvem sexo, em filmes como Louca Paixão ou Showgirls. Mas sua obra mais memorável neste quesito é Instinto Selvagem, relembrado eternamente pela icônica cruzada de perna de Sharon Stone

No filme, outra estrela do gênero, Michael Douglas interpreta o detetive Nick Curran, que investiga um assassinato e acaba se envolvendo com uma das suspeitas, Catherine (Stone). Instinto Selvagem foi criticado por mil motivos, incluindo cenas de estupro e violência, mas mesmo assim ele permanece até hoje entre os maiores thrillers eróticos já feitos. 

Onde assistir: disponível para compra/aluguel no Google Play e Microsoft Store.

Em Carne Viva

Em Carne Viva
Screen Gems/Divulgação

Em Carne Viva é um daqueles filmes que recebeu diversas críticas negativas, mas tem seus seguidores fieis, e suas cenas de sexo não deixam a desejar. Nesta adaptação de um livro com o mesmo nome, a diretora Jane Campion brinca com as definições do thriller psicológico e erótico, e comanda Meg Ryan em um papel totalmente diferente de tudo que a queridinha de comédias românticas já tinha feito. 

Lançado em 2003, Em Carne Viva traz Meg Ryan como uma professora que se envolve com um detetive, interpretado por Mark Ruffalo, que investiga um assassinato brutal em sua vizinhança. Os dois, no entanto, criam uma relação que brinca com o encanto e a perversão, tudo com uma química sexual memorável. 

Onde assistir: disponível em streaming na Netflix.

Secretária

Secretária
Slough Pond/Divulgação

Secretária é uma dica para qualquer um que gosta de filmes picantes, mas tem seu foco no prolongamento do desejo e retrata uma relação BDSM (que envolve bondage, discliplina, dominação, submissão, sadismo ou masoquismo).

Estrelado por Maggie Gyllenhaal e James Spader, o mais legal de Secretária é que apesar do assunto intenso e das cenas fortes, ele é um filme de amor que pretende mostrar o lado doce da relação nada convencional, inclusive sendo um dos únicos filmes do mainstream que não retrata uma relação BDSM de modo negativo. Mesmo com todo o romance, Secretária é recheado de cenas de tirar o fôlego, e a química entre os protagonistas é inesquecível. 

Onde assistir: disponível em streaming no Prime Video e para aluguel/compra no Google Play e iTunes.

Elle

Elle
SBS Productions/Divulgação

Paul Verhoven aparece mais uma vez na lista por um de seus melhores filmes recentes, Elle, protagonizado por Isabelle Huppert. Aqui, Verhoven é polêmico mais uma vez, ao retratar a reação peculiar de Michèle (Huppert) depois de ser estuprada.  

Misturando um assunto super delicado com um filme altamente sexual, Verhoeven é novamente controverso, mas consegue entregar um filme sobre estupro surpreendentemente empoderador. Michèle é uma personagem interessante exatamente por sua excentricidade, dando à Elle uma realidade humana raramente vista no cinema americano. Com uma grande direção, belas performances e claro, cenas quentes, não falta nada ao filme. 

Onde assistir: disponível para compra/aluguel no Google Play e iTunes.

9 1/2 Semanas de Amor

9 1/2 Semanas de Amor
Jonesfilm/Divulgação

Talvez Cinquenta Tons de Cinza e 365 Dias não tivessem existido não fosse por 9 1/2 Semanas de Amor, filme de 1986 dirigido por Adrian Lyne, conhecido por outros clássicos como Proposta Indecente e Atração Fatal. Aqui, Lyne explora o relacionamento peculiar entre os personagens de Mickey Rourke e Kim Basinger, que se intensifica de diversas maneiras e testa os limites dos dois. 

Apesar de uma performance questionável nas bilheterias, 9 1/2 Semanas de Amor se tornou queridinho de críticos e hoje tem uma reputação cult, que aclama tanto a química dos atores quanto as memoráveis cenas quentes. 

Onde assistir: lançado em DVD no Brasil pela Fox Video Brasil.