Meryl Streep em O Diabo Veste Prada (Reprodução)

Créditos da imagem: Meryl Streep em O Diabo Veste Prada (Reprodução)

Filmes

Artigo

Meryl Streep nunca procurou blockbusters: “Eles só me encontraram depois dos 60”

Atriz falou sobre sua relação com a fama e suas duas experiências em Cannes

Omelete
3 min de leitura
15.05.2024, às 15H23.

Meryl Streep tem certeza de que seu agente comemorou quando o filme Entre dois Amores (1985) provou que, além de vencedora do Oscar, ela era uma estrela bancável nas bilheterias. O longa romântico coestrelado por Streep e Robert Redford foi o primeiro sucesso comercial de uma carreira que ainda produziria hits como O Diabo Veste Prada (2006), Mamma Mia! (2008) e Simplesmente Complicado (2009).

Em evento no Festival de Cannes 2024 acompanhado pelo Omelete, no entanto, a estrela contou que nunca buscou o estrelato no sentido convencional de Hollywood: “Sempre me dediquei a procurar histórias pelas quais me apaixonasse. Nunca fiquei mirando em um blockbuster, ou algo do tipo. E olha só, os filmes que eventualmente se tornaram blockbusters vieram quando eu tinha quase 60 anos. Eles vieram quando eu entendi que precisava me divertir, e que queria ajudar projetos que tinham mais chance de serem feitos se eu estivesse no elenco”.

Até por isso, contou Streep, sua primeira vinda a Cannes foi um choque. Em 1989, a atriz compareceu à Croisette para a estreia de Um Grito no Escuro, e saiu com a Palma de Ouro de melhor atriz: “Quando estava perto de vir, me disseram que eu precisaria de nove guarda-costas. Eu disse que isso era absurdo, mas quando cheguei aqui percebi que nove teria sido pouco! Naquele tempo, não havia o mesmo tipo de segurança no festival, as barreiras, esse tipo de coisa. As câmeras ficavam na sua cara! Eu quase não me recuperei daquilo, voltei para o quarto de hotel tremendo”.

Eu não me lembro de quase nada da noite que ganhei o prêmio, porque essa memória do primeiro dia eclipsou todas as outras”, confessou ainda. “Eu não sou uma rockstar, não estou acostumada com isso. Minha vida fora do cinema é muito entediante… ou talvez não entendiante, mas não gosto de nada hiperbólico”.

Nesse retorno para receber outra Palma de Ouro, desta vez uma homenagem pelo conjunto da carreira, Streep relatou ter sentido o mesmo furor. “Foi uma onda de emoções positivas vindas do público, e foi muito, muito maior do que eu pensava. As pessoas estavam emocionadas por todo o teatro, e foi incrível”, comentou ela sobre a cerimônia de abertura do Festival, emendando com uma piada atrevida. “Eu vivo uma vida muito quieta, e ninguém me respeita lá nos EUA”.

O Festival de Cannes 2024 acontece entre 14 e 25 de maio, exibindo filmes aguardados como Furiosa: Uma Saga Mad Max e Megalopolis, de Francis Ford Coppola, entre muitos outros. Fique de olho no Omelete para a cobertura completa.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.