Joaquin Phoenix em Coringa

Créditos da imagem: Coringa/Warner Bros/Reprodução

Filmes

Notícia

Coringa | Final alternativo seria mais sombrio, diz Kevin Smith

Segundo o diretor, o vilão seria diretamente responsável pela morte dos Wayne

Mariana Canhisares
31.12.2019
09h42
Atualizada em
31.12.2019
16h17
Atualizada em 31.12.2019 às 16h17

Coringa quase teve um final ainda mais sombrio do que aquele que efetivamente chegou aos cinemas, de acordo com o diretor Kevin Smith. No seu podcast Fatman Beyond (via Consequence of Sound), ele contou que o filme mostraria não um dos manifestantes atirando nos Wayne, mas o próprio vilão que não pouparia nem a vida de Bruce Wayne.

"Originalmente o final no hospital era diferente. O Coringa estaria no hospital, ele riria e diria 'estava pensando em algo engraçado'. Haveria um flashback para a morte de Thomas e Martha Wayne e era ele [Coringa] quem daria os tiros. O garoto [Bruce Wayne] gritaria e choraria. Ele [Coringa] estaria indo embora quando decidiria voltar e atiraria também na criança".

Contradizendo a fala de Smith, o jornalista do Collider Steven Weintraub afirma que esse final nunca esteve nos planos do diretor Todd Phillips e sua equipe. No Twitter, ele escreveu: "a história de Coringa ter um final diferente em que ele matava Bruce Wayne não é real. Entrei em contato com pessoas que saberiam e tenho 100% de certeza de que é apenas a imaginação de alguém viajando. Nunca foi filmado. Nunca esteve no roteiro".

Fato é que no longa o vilão acaba sim no Asilo Arkham depois de atirar no comediante Murray Franklin (Robert De Niro) e iniciar, indiretamente, um levante popular caótico em Gotham. Diante da sua psiquiatra, o protagonista ri, mas não explica o motivo. Questionado pela médica sobre qual seria a piada, ele apenas diz "você não entenderia".

Da maneira que foi apresentado, este final deixa em aberto o que de fato aconteceu e o que era fruto da loucura do protagonista. Além disso, em vez de imaginar um mundo sem o Batman, a conclusão definitiva de Coringa faz referência à origem clássica do Homem-Morcego nos quadrinhos.

Coringa estreou no dia 3 de outubro e arrecadou US$ 93,5 milhões em seu primeiro final de semana, melhor marca da Warner desde Mulher-Maravilha que, sem a mesma limitação de ser só para maiores de 18 anos, fez US$ 103 milhões. Com arrecadação de US$ 1 bilhão na bilheteria mundial, o longa ultrapassou os filmes do Deadpool e se tornou o longa para maiores mais lucrativo da história.