Filmes

Lista

Coringa | 5 pontos para prestar atenção no trailer

História de origem do vilão estreia em outubro

Mariana Canhisares
03.04.2019
12h37

Além de apresentar a versão de Joaquin Phoenix do icônico vilão da DC, o primeiro trailer de Coringa (veja aqui) deu as primeiras pistas da jornada de Arthur Fleck na trama. Confira a seguir 5 pontos para prestar atenção na prévia:

Saúde mental

Coringa/Warner Bros./Reprodução

"Sou eu ou o mundo está ficando mais louco?". A primeira faceta revelada de Arthur Fleck é a sua saúde mental. A caracterização do personagem no trailer dá a entender que ele sofre de depressão e tenta mascarar seus sofrimentos no trabalho, fazendo rir enquanto está vestido de palhaço, diante de uma assistente social e até mesmo para si, quando encara o espelho. No seu caderno de piadas, ele desabafa: “a pior parte de ter uma doença mental é que as pessoas esperam que você se comporte como se não tivesse".

É interessante vê-lo também entrando em Arkham (que aparece com outro nome), discretamente irritado com a loucura do outro paciente. Nota-se nele muitas variações de humor sutis até que ele finalmente se sinta pleno na pele do Coringa.

Relação com a mãe

Coringa/Warner Bros./Reprodução

A representação do relacionamento entre o protagonista e sua mãe, interpretada por Frances Conroy, é um dos poucos momentos no trailer em que Arthur aparece feliz, seja dançando na sala ou ajudando-a a tomar banho. É perceptível que Penny Fleck tem um papel importante na sua vida, pelo próprio modo como ele tenta se manter otimista no dia a dia. "Minha mãe sempre me fala para sorrir e fazer uma cara alegre. Ela disse que eu tinha um propósito. Trazer risos e alegria ao mundo", explica.

Embora pareça uma relação positiva, nada impede que a situação desande. Usando de parâmetro Psicose, de Alfred Hitchcock, ou mesmo o Mr. Mercedes, de Stephen King, a intimidade materna pode tomar rumos bastante sombrios e trágicos.

Ser motivo de riso

Coringa/Warner Bros./Reprodução

Mas nem todo o otimismo do mundo é capaz de mudar o fato que em vez de fazer rir, Arthur Fleck é motivo de riso. São muitas as situações que o personagem é agredido ou, mesmo, aparece com hematomas pelo corpo. Ainda que não justifiquem a origem da loucura de Fleck, as ofensas e toda a hostilidade de Gotham podem indicar o princípio da revolta dele com as pessoas e o mundo ao redor.

A perdição de Gotham

Coringa/Warner Bros./Reprodução

"Que covarde seria capaz de fazer algo tão cruel? Alguém que se esconde atrás de uma máscara", diz Thomas Wayne em determinado momento em uma entrevista. No primeiro momento, parece que ele está fazendo uma referência imediata ao Coringa, como se Arthur Fleck já tivesse começado sua carreira no mundo do crime. Mas não se pode esquecer que este argumento já foi muito usado para falar sobre o Batman. Seria essa uma pista de que o Homem-Morcego dará as caras na produção?

A transformação

Coringa/Warner Bros./Reprodução

"Eu pensava que minha vida fosse uma tragédia. Agora me dou conta de que é uma comédia". Sabe-se que eventualmente Arthur Fleck abraçará a loucura e o trailer dá os primeiros acenos da transformação do personagem em um dos mais icônicos vilões dos quadrinhos. A estranha risada durante um show de comédia, a tentativa frustrada de sorrir diante de um espelho e a decisão de tingir o cabelo de verde. Todos os elementos apontam para o nascimento do Coringa.