Entrevista: Como a série de Sweet Tooth na Netflix levou Jeff Lemire de volta à HQ

Créditos da imagem: Divulgação/Jeff Lemire;Divulgação/DC Comics

HQ/Livros

Entrevista

Sweet Tooth | Como a série da Netflix levou Jeff Lemire de volta à HQ

Autor revelou ao Omelete o processo de criação da sequência do quadrinho original, encerrado em 2013

Gabriel Avila
13.11.2020
11h00
Atualizada em
13.11.2020
11h31
Atualizada em 13.11.2020 às 11h31

Se Jeff Lemire se firmou como um dos grandes autores dos últimos anos, muito se deve a seu trabalho magnífico em Sweet Tooth. Escrita e desenhada pelo autor canadense, a HQ publicada pela Vertigo acompanha a jornada de Gus, um garoto híbrido entre humano e cervo, em um mundo pós-apocalíptico em que uma inexplicável praga mata parte da população humana. Aclamado como uma das grandes publicações autorais da década passada, o quadrinho ganhou uma aguardada sequência em 2020 com Sweet Tooth: The Return. Quadrinista confirmado na CCXP Worlds, Lemire revelou ao Omelete que a inspiração para a nova história veio da vindoura série de Sweet Tooth na Netflix.

Anunciada em maio, a série, que terá produção de Robert Downey Jr., gravou o piloto na Nova Zelândia há aproximadamente dois anos, e, segundo Lemire, ver de perto a empolgação da equipe durante as filmagens foi motivador. “Me lembrou o que eu amava em Sweet Tooth quando comecei a escrever, e isso definitivamente ficou em minha mente”. Para o autor, essa vontade de retomar um projeto foi algo inédito, já que geralmente não revisita histórias depois de finalizá-las: “Fiquei muito feliz com a conclusão da história e não esperava nunca voltar a ela. Mas sempre que faço convenções de quadrinhos ou sessões de autógrafo, alguém sempre me traz Sweet Tooth ou pede um desenho dos personagens... E eu realmente sinto falta deles. Passei muito tempo trabalhando esse mundo e sinto muita saudade”.

Se a decisão de matar as saudades com um novo quadrinho ocorreu depois da visita ao set da série, o retorno levou muito tempo para de fato acontecer. Jeff Lemire lembra ter passado meses arquitetando uma história que agregasse ao universo de Sweet Tooth sem interferir na obra original - do qual se orgulha muito. “Não via motivo para fazer mais porque meio que contei toda a história de vida dele, então não tinha mais nada a acrescentar”.

O autor chegou a pensar em histórias para preencher os saltos temporais da publicação original, mas desistiu pela falta de desafio. “Assim que tive a ideia, pareceu uma grande oportunidade para voltar e celebrar esses personagens novamente, porque sinto muitas saudades deles. Acho que consegui, mas não posso dar spoilers do que estou fazendo”.

O resultado dessa volta ao universo, propriamente batizada de Sweet Tooth: The Return (Sweet Tooth: O Retorno, em tradução livre) já está disponível nos Estados Unidos, com a primeira edição lançada em novembro.

Além da HQ: Sweet Tooth na Netflix?

Ao ser perguntado sobre o que poderia revelar aos fãs sobre a série live-action da Netflix, Jeff Lemire fez suspense. Afirmando que não está autorizado a falar muito, o autor disse que as gravações já chegaram à metade da temporada e, com base nas cenas que já viu, vão muito bem. “Para mim é ótimo, porque você nunca sabe como será quando alguém adapta seu trabalho, poderia ir por um caminho ruim. Mas nesse caso está incrivelmente fiel aos quadrinhos e realmente é como trazer a HQ à vida, o que é super satisfatório”. Por fim, Lemire elogiou o elenco e a “magia” da televisão. “Realmente amo isso, estou muito orgulhoso e ansioso… Acho que será realmente especial”.

Sweet Tooth versus Fall Out Boy

Para os fãs de música, um garoto com chifres de cervo pode lembrar a banda Fall Out Boy, já que o clipe de “Sugar, We’re Going Down” é protagonizado por um rapaz com essa mesma característica. Considerando que os lançamentos do vídeo e de Sweet Tooth foram separados por alguns meses, muitos leitores já se perguntaram se um teria influenciado o outro de alguma forma. Segundo Jeff Lemire, esse não foi o caso.

Revelando que o visual de Gus sempre aparecia enquanto rabiscava em seus sketchbooks, o autor confessa que não conhecia o clipe até que as pessoas começarem a perguntar. “Serei honesto, nunca ouvi Fall Out Boy, não era o tipo de música que eu escutava (risos). Não tinha ouvido a canção ou algo do tipo, e ainda hoje não vi o clipe, mas as pessoas dizem que tem um garoto com guampinha de cervo ou algo assim, mas é uma coincidência”.

Para quem quiser conferir a participação de Lemire na CCXP Worlds: A Journey of Hope, a primeira edição 100% digital do maior evento de cultura pop do mundo será realizada entre os dias 4 e 6 de dezembro de 2020. Os ingressos já estão disponíveis no site www.ccxp.com.br.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.