Tom Welling no episódio de Batwoman, parte da Crise nas Infinitas Terras

Créditos da imagem: Batwoman/CW/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Batwoman entra na Crise nas Infinitas Terra mostrando Tom Welling e mais

Ótimo episódio vai no cerne dos personagens da DC

Camila Sousa
10.12.2019
13h36
Atualizada em
11.12.2019
16h19
Atualizada em 11.12.2019 às 16h19

O nono episódio de Batwoman continua a Crise nas Infinitas Terras da CW com grande estilo. Além de aguardadas participações, o capítulo também aprofunda o cerne dos principais personagens da DC.

[Spoilers de Crisis on Infinite Earths: Part Two abaixo]

O capítulo começa com os personagens lamentando a morte de Oliver Queen/Arqueiro Verde (Oliver Queen), que se sacrificou logo no começo da Crise. A Supergirl (Melissa Benoist), especialmente, se sente culpada: ela acredita que Oliver se sacrificou por ela e Barry/Flash (Grant Gustin) e se angustia por isso. Já o Velocista Escarlate enfrenta o luto de outra forma. Barry não aceita a morte de Oliver e toma uma decisão perigosa: usar o Poço de Lázaro para reviver o amigo.

Tal escolha leva à participação especial de Matt Ryan como John Constantine. É ele quem ajuda Barry, Mia e Sara na tentativa de trazer o Arqueiro de volta, mas o plano só funciona parcialmente. O corpo de Oliver volta, mas sua alma não e Constantine alerta que esse passo é ainda mais difícil. Tal trama deixa o questionamento de como a morte de Oliver será tratada no Arrowverse. Será que o canal dará um jeito de trazê-lo de volta, ainda que em momentos especiais?

Outro ponto interessante tratado no capítulo é a explicação de porquê tantos heróis estão aparecendo. Para impedir a nuvem antimatéria, os heróis precisam reunir sete paladinos, dos quais quatro foram revelados aqui: verdade, coragem, destino e esperança. Kara representa a esperança, algo que combina muito com sua personagem. Sara Lancw, com sua habilidade mostrada em Legends of Tomorrow, é o do destino. O da coragem é o Batman do futuro de Kevin Conroy

Assim como aconteceu em Supergirl, é neste momento que o episódio se torna sobre a heroína do título. Kate Kane (Ruby Rose) se emociona ao rever um Bruce envelhecido e debilitado. Além da derrocada física, o Batman do futuro também não tem nada da moral que ela conhece. Em um diálogo profundo e sombrio, Wayne revela que já matou diversas pessoas e que bastou matar a primeira para que o sentimento tomasse conta dele.

Kate volta para sua realidade triste e reflexiva com o que presenciou. Ela se assusta ao ver quem Bruce se tornou e não quer ficar da mesma forma. Assim é mostrado que ela é a verdadeira paladina da coragem. Kate se assusta e até se questiona: "sou vigilante há tão pouco tempo, será que isso faz sentido?". Com certeza a Batwoman continuará sua série solo depois disso de forma diferente.

O episódio continua com a busca do quarto e último paladino, o da verdade, descrito como um "kryptoniano que já perdeu tudo o que um homem pode perder". É dentro dessa busca que há a volta de Tom Welling, astro de Smallville. Infelizmente não é tocada a música clássica do seriado, mas Clark está de volta na mesma fazenda, com a mesma camisa de flanela e, curiosamente, sem poderes. Assim como o Clark da Terra de Supergirl, ele desistiu de ser o Homem de Aço para ter uma família ao lado de Lois (Erica Durance, também de volta). A repetição do arco não passa despercebida e gera uma dúvida: será que, para serem felizes, todos os kryptonianos precisam deixar seus poderes?

A procura continua e revela que o paladino da verdade é o Superman de Brandon Routh que, em sua realidade, perdeu todos que ama, inclusive Lois. Routh retorna com o figurino do Reino do Amanhã e, ao ser controlado por Lex, entra em uma grande batalha com o Superman de Tyler Hoechlin. Ainda que os efeitos lembrem os Agentes Smith de borracha de Matrix 3, Superman e Superman lutam em cima do globo do Planeta Diário, em uma sequência de fan service divertida e satisfatória.

Ao fazer tudo isso, a Crise nas Infinitas Terras entra profundamente no cerne de cada personagem. Ser o Batman significa ser sombrio? Ser o Superman é estar condenado a nunca ser feliz? Ou uma nova geração de heróis pode mudar isso?

Crise nas Infinitas Terras entregou um belo segundo episódio e tem tudo para ser realmente o maior crossover da DC até agora. A história continua este ano, com a exibição de The Flash (10/12) e termina em 14 de janeiro com um episódio duplo de Arrow e Legends of Tomorrow.