Séries e TV

Entrevista

Matt Shakman compara dragão de GoT com Godzilla: “Fácil trabalhar com eles”

Piada à parte, diretor diz que experiência em Thrones ajudou muito com Monarch

Omelete
3 min de leitura
18.11.2023, às 06H00.
Atualizada em 09.12.2023, ÀS 18H24

O diretor Matt Shakman sentiu a pressão quando foi chamado para comandar episódios de Monarch: Legado de Monstros, nova série do Apple TV+ que continua a franquia MonsterVerse e, portanto, o legado de Godzilla nas telas - um legado que Shakman acompanha de perto desde a infância.

Eu sou fã de Godzilla desde pequeno! Me lembro de assistir aos filmes da Toho com o meu pai, de brincar com bonecos do Godzilla, esse tipo de coisa”, conta ele ao Omelete. Basicamente, é um personagem faz parte da minha vida desde que me entendo por gente. Então, ao mesmo tempo que foi uma grande alegria ter a oportunidade de dirigir esta série, também foi muita pressão: eu não queria desapontar o cara!”.

Por sorte, uma das experiências prévias de Shakman ajudou muito nessa missão. Em 2017, ele assinou “The Spoils of War”, episódio de Game of Thrones em que Daenerys (Emilia Clarke) e, crucialmente, seus dragões atacam um exército Lannister comandado por Jaime (Nikolaj Coster-Waldau). Veja que sorte: o diretor de Monarch já sabia como filmar cenas de ação que envolviam enormes monstros escamosos.

Olha, nem Drogon nem Godzilla foram divas! Foi muito fácil trabalhar com eles”, brinca Shakman. Mas, falando sério, o meu trabalho em Thrones me ajudou muito aqui.

O diretor explica que, em sua visão, “The Spoils of War” trazia a primeira vez em que o público de Game of Thrones tinha personagens com os quais se importavam nos dois lados de uma batalha. Antes disso, você estava sempre torcendo por Daenerys, e a câmera sempre te colocava lá no ar com ela, em cima do dragão, enquanto ela queimava seus inimigos”, lembra.

Quando chegou a minha hora de dirigir uma batalha, eu decidi que queria mostrar a ação do ponto de vista dos soldados que estavam no chão, porque é o melhor jeito de entender como aquele mundo estava mudando”, continua Shakman. “Você tem um exército armado com lanças e escudos, bem treinado nesse sentido, e do nada chega esse dragão... é como trazer um avião F-16 para um campo de batalha medieval.

Para o cineasta, esse é também o DNA essencial de Monarch. “Estamos sempre contando a história a partir de um ponto de vista subjetivo, acompanhando a experiência das pessoas no chão. O nosso foco é nos personagens, em passar para o espectador a sensação de como é estar lá quando um desses monstros ataca”, explica. “Como isso afeta a vida deles? Como a história dos humanos que acompanhamos com o passar dos episódios muda de rumo por causa das interações deles com monstros?”.

Os dois primeiros episódios de Monarch: Legado de Monstros já estão disponíveis no Apple TV+. Os capítulos subsequentes serão lançados semanalmente, sempre às sextas-feiras.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.