Dragon Ball Super

Créditos da imagem: Divulgação

Séries e TV

Lista

Guia: como acompanhar animes e mangás no Brasil oficialmente?

Separamos as principais plataformas e editoras responsáveis pelos conteúdos no país

Fábio Garcia
23.04.2020
11h15

Durante muito tempo quem quisesse acompanhar animes e mangás aqui no Brasil precisava aprender um outro idioma ou então apelar para fontes não oficiais.

Porém, com o avanço da tecnologia e o crescimento mercado editorial daqui, atualmente é muito fácil ler mangás recém-lançados no Japão ou então ver um episódio de anime poucas horas após a exibição japonesa. Como são muitas formas de se aproveitar esse conteúdo, fizemos um guia para você saber quais as fontes oficiais dos animes e mangás que tanto adoramos.

No caso dos mangás, o mercado nacional começou em meados dos anos 80 com a publicação de Lobo Solitário e Akira, mas foi no final de 2000 que a Editora Conrad trouxe Dragon Ball e Os Cavaleiros do Zodíaco, os primeiros mangás com leitura oriental e formato parecido com o japonês. De lá pra cá muitas editoras vieram, algumas se foram, e a variedade de títulos está gigantesca.

Já entre os animes, durante muito tempo o público brasileiro era refém de emissoras de televisão ou lançamentos em home video, por sorte o streaming surgiu e agora temos muitas possibilidades de se assistir animes por meios oficiais. Acredite, é possível assistir a mais de 80% da produção de animes da temporada no Japão! Listamos alguns dos meios aqui, e ainda lembramos de canais de televisão que exibem animações japonesas. Confira as dicas abaixo:

Mangá: Editora JBC

Divulgação

Com a crise da editora Conrad, a JBC se tornou a editora de mangás mais antiga em atividade. Seu catálogo atual tem títulos de peso como My Hero Academia, Boa Noite Punpun e o clássico Akira. Além dos mangás físicos, disponíveis em livrarias e lojas especializadas, a JBC também aposta no mercado de quadrinhos digitais.

Inclusive ela é a única editora brasileira a lançar em lojas digitais os capítulos de mangá simultaneamente com o Japão, possibilitando que os fãs de séries como The Seven Deadly Sins, Edens Zero e Card Captor Sakura Clear Card leiam as séries junto dos japoneses.

Mangá: Editora Panini

Divulgação

Atualmente a maior editora de mangás do país é a Panini, que começou como quem não quer nada em 2002 publicando a versão mangá de Gundam Wing.

O catálogo da Panini é imenso, tendo Naruto, One Piece, Jojo's Bizarre Adventure, Pokémon e por aí vai. Sempre antenada às novidades, ela também deve trazer em breve Demon Slayer, As Quíntuplas e Spy x Family. A grande vantagem da Panini é o fato de ela estar presente em bancas de jornal por todo o país, além das livrarias e lojas especializadas.

Mangá: outras editoras

Divulgação

Atualmente temos muitas editoras lançando mangás no Brasil. A NewPOP Editora, por exemplo, tem títulos de peso como Made in Abyss, GTO e Devilman, e ainda é uma das únicas que apostam em light novels, como Re:Zero e No Game No Life. Outra que chegou há pouco mas já conquistou o público com sua qualidade é a Pipoca & Nanquim.

Derivada de um famoso canal de YouTube, a editora já conseguiu publicar mangás de autores renomados como Jiro Taniguchi e Hirohiko Araki. Um mais elogiados por parte do público é o mangá-documentário Virgem Depois dos 30, uma obra pesada que mostra uma faceta do Japão nunca mostrada antes. Não podemos esquecer também a editora Veneta, responsável por trazer mangás em formato de luxo como Ayako de Osamu Tezuka e vários outros.

Mangá: apps de celular

Divulgação

Uma das maiores revistas de mangás do mundo é a Shonen Jump. Recentemente, a editora Shueisha passou a disponibilizar os capítulos mais recentes de seus mangás no site e aplicativo MangaPlus, como forma de intimidar a pirataria de capítulos. Ou seja, semanalmente o fã brasileiro pode acompanhar os capítulos mais recentes de One Piece, Dragon Ball Super, My Hero Academia e muito mais.

A estratégia parece ter dado certo, pois alguns fãs pararam de traduzir mangás famosos por não conseguir competir com a velocidade do oficial. Embora os capítulos mais antigos sejam deletados depois de algumas semanas, alguns mangás como Spy x Family estão inteiros lá. Infelizmente, somente em inglês e espanhol. Outro aplicativo que permite ler mangás é o Crunchyroll Manga, mas precisa ser assinante da Crunchyroll. Há uma variedade boa de mangás e alguns títulos como Edens Zero, são disponibilizados semanalmente junto com o Japão (mas capítulos mais antigos são deletados). Infelizmente, também só em inglês.

Anime: Crunchyroll

Divulgação

O serviço de streaming totalmente dedicado a material japonês é o paraíso para quem curte animação japonesa. Muito mais do que uma simples "Netflix de anime", a Crunchyroll oferece a chance do assinante assistir aos animes poucas horas após a exibição japonesa, com legenda em português.

No catálogo da Crunchyroll estão as maiores séries do outro lado do mundo, como Naruto, Dragon Ball Super, Bleach, Hunter x Hunter, Haikyuu, My Hero Academia, Attack on Titan e muito mais. Alguns animes, como Mob Psycho 100, Black Clover e Bungou Stray Dogs também estão disponíveis com dublagem em português. A Crunchyroll ainda permite que uma pessoa não assinante assista aos animes, mas aí os episódios ficam com intervalos comerciais e sem a qualidade máxima.

Anime: Netflix

Divulgação

O maior serviço de streaming do mundo se rendeu fácil aos animes. Mesmo com a produção original intensa, uma parte bem considerável das visualizações da plataforma vem dos animes, então a Netflix começou a investir pesado em séries.

Cavaleiros do Zodíaco, Evangelion, Pokémon, Hi Score Girl, Violet Evergarden, Kakegurui e outros estão disponíveis na plataforma, geralmente com a opção de se assistir dublado ou legendado. Aos mais afobados, um aviso importante: os animes da Netflix são lançados após o término no Japão, ou seja, você precisa esperar um pouquinho a mais.

Anime: Prime Video

Divulgação

Assim como a Netflix, o Prime Video apostou muito em um catálogo de animes. Além de clássicos como InuYasha, Sonic X, Pokémon e Street Fighter Victory, o serviço de streaming da Amazon também traz animes recentes como Fire Force, Wotakoi e Dororo.

O Prime Vídeo também oferece transmissão de episódios à medida que são lançados no Japão, porém o serviço os disponibiliza somente uma semana após a transmissão original.

Anime: Rede Brasil

Divulgação

Mas não pense que o anime morreu na televisão aberta! A Crunchyroll fez uma parceria com a Rede Brasil e exibe animes dublados todos os dias. Atualmente quem tem dado as caras na emissora é o anime Black Clover, um dos sucessos recentes da Shonen Jump, e um rodízio de animes que podem ser vistos no streaming do serviço.

Animes: PlayTV

Divulgação

Assim como fez com a Rede Brasil, a Crunchyroll realizou uma parceria com o canal pago e exibe semanalmente episódios dublados de Re:Zero e Darling in the FranXX às quartas-feiras, dentro do programa Mais Geek. Foi o retorno dos animes ao canal, que até algum tempo atrás exibia Yu-Gi-Oh e Naruto Shippuden.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.